Arroz com Suã

Esta semana apresento para vocês mais uma receita típica paulista: o arroz com suã.

clique na foto para ampliar
clique na foto para ampliar

Foi bastante curioso o fato de que quando sai para comprar o corte de suã nenhum dos açougues próximos de casa ofereciam este corte de carne. O suã é um corte de carne de porco que abrange a coluna vertebral com as suas costelinhas.

Parti então para a região central da cidade, mais precisamente no Mercado Municipal de São Paulo, famoso por seus ingredientes frescos e variados, e no primeiro açougue que perguntei sobre a disponibilidade do corte, o atendente me responde:

“Moça, sou mineiro, vim trabalhar em São Paulo e você me pede um treco em francês!. – Brincadeira! Temos sim moça, e vai fazer com arroz não é??? Quer o corte mais carnudo ou mais ossudo?”.

Pedi o mais carnudo, que foi cortado na hora. Quando for comprar, peça para cortar em pedaços menores para facilitar o preparo e para servir. Não dá para cortar em casa porque precisa serrar os ossos.

Trata-se de um corte de carne barato mas difícil de encontrar segundo o atendente do açougue, por causa do corte que despreza uma boa porção de carne que é retirada do entorno do corte e depois o açougue não consegue vender essa carne que sobra. No caso daquela loja, tem saída para tudo, segundo o simpático e brincalhão balconista.

Fui pra casa feliz preparar o meu arroz com suã, novidade no meu repertório culinário.

Para a receita caipira tradicional, você vai precisar de pouca coisa:

  • 3 xícaras (chá) de arroz
  • 2 colheres (sopa) de banha de porco ou azeite
  • 3 batatas (opcional)
  • 1 quilo de suã de porco
  • temperos a gosto (alho, limão, vinagre, cebola, pimenta, sal, etc.)
  • água

Modo de preparo:

  • Prepare o arroz para o cozimento: lave-o bem e escorra numa peneira. Reserve.
  • Refogue o suã na banha (ou azeite) e deixe cozinhar um pouco (pode-se moquear). Quando secar a gordura, corar a suã.
  • Adicione o arroz ainda cru e refogue mais um pouco.
  • Junte os temperos, as batatas partidas ao meio e acrescente água fervendo até dois dedos acima do nível do arroz.
  • Cozinhar em fogo lento, e se precisar, juntar um pouco mais de água fervendo, até o arroz ficar cozido e solto.

Eu preparei de um modo um pouco diferente: usei meu tempero caseiro preferido, já publicado nesta coluna. Temperei a carne, deixei pegar gosto por uns 20 minutos e refoguei como indicado na receita original.

O resultado é um prato único que pode ser servido com uma salada verde ou o quibebe também já publicado nesta coluna. O sabor da carne cozida impregna-se no arroz e nas batatas, ficando muito saboroso.

Vale a pena procurar o suã para fazer estar receita.

Compartilhe este texto em suas redes sociais:
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Siga nossas redes sociais:
pesquise em nosso site:
ouça a nossa playlist:

10 respostas

  1. Obrigada, foi uma nostalgia sem tamanho ver essa receita e lembrar dos tempos de infância e apreciar esta iguaria feita por minha saudosa vovó!!!

  2. Muito bom. Continue com seu precioso trabalho de divulgação da culinária paulista. Parabéns!

  3. Em cada receita publicada, um sabor de nostalgia e de tempos mais humanos e fraternos, e um resgate do orgulho de ser paulista. Parabéns.

  4. Que delíciaaaa! Sou paulistana mas hoje moro no interior. Arroz com suã (aqui suan) é constante lá em casa, porém aqui também já está começando a ficar difícil de achar por ser considerado “coisa de pobre”. Acredita?

    1. Daniela, quer ver isso virar uma febre? Febre em igual? Bastaria algum programa de culinária a lá “gourmet” inventar de fazer esse prato, transformando-o e uma comida gourmet que provável que até falte suã na praça. Por enquanto eu prefiro assim, que se considerem “coisa de pobre” que pelo menos a gente paga barato no suã. 🙂

  5. Sabor de infância com direito à família toda reunida na casa da vó no Sul de Minas

  6. Pode ser incomum ai pra esses lados, mas aqui no interior é bem comum esse prato, fizemos em casa fazem duas semanas. Em um rancho com amigos é de praxe fazer também. É uma iguaria sem igual!

  7. Por mim podem falar que é de pobre hahaha, eu simplesmente adoro esse tipo de comida, ja salvei aqui e vou fazer do seu jeito pra ver como fica.

Deixe um comentário!

%d blogueiros gostam disto: