Qual foi a primeira garagem automática de fato do Brasil ?

O trânsito das grandes cidades brasileiras já era um problema considerável no final da primeira metade do Século XX. Claro, levando-se em consideração os volumes de veículos de cada época, já naquele momento se discutia como estacionar um grande número de veículos no centro de São Paulo uma vez que quase a totalidade dos edifícios daquela região não possuía garagem em suas dependências.

Vale do Anhangabau em 1950, nada fácil de estacionar

A primeira solução veio em 1954 com a construção do primeiro edifício garagem de São Paulo, o Edifício Garagem América, na Rua Riachuelo e com saída também pela Avenida 23 de Maio.

Entretanto esta edificação – que inclusive é tombada como patrimônio histórico paulistano desde 2016 – não é automatizada, sendo que suas 500 vagas distribuídas em 15 andares são acessíveis com rampas duplas e o motorista – este sim – utiliza-se de elevadores.

Existia a ideia de implementar em São Paulo garagens automatizadas similares as que existiam nos Estados Unidos. Lá o conceito já era largamente utilizado em cidades como Nova York, Chicago etc. Faltava trazer o experimento para as terras brasileiras.

Garagem automática em Chicago em 1932

Isso aconteceria oficialmente em outubro de 1958, com a inauguração da primeira garagem automatizada do Brasil na Rua Araújo, nas proximidades da Praça da República. O anúncio abaixo, publicado nos principais jornais paulistanos mostrava a chegada da novidade:

Porem seria esse a primeira garagem automática de fato do Brasil ? Bem, a resposta é: não.

A primeira garagem automática de fato foi instalada no bairro do Cambuci nas próprias dependências da Elevadores Atlas, na número 202 da Rua Alexandre Levi:

O edifício garagem da Rua Alexandre Levi (clique para ampliar)

De acordo com nota divulgada na revista Automóveis e Acessórios a garagem automática da Rua Alexandre Levi foi construída a título experimental. O objetivo era testar a eficiência e a praticidade do sistema antes de ser colocado no mercado.

De acordo com o que foi possível averiguar mediante as escassas informações disponíveis, a estrutura permaneceu em funcionamento por aproximadamente um ano e os carros que eram estacionados eram de funcionários da empresa.

Com os testes finalizados e aprovados a estrutura foi desmontada. Atualmente não existe mais nada da Elevadores Atlas no local sendo a área ocupada por um condomínio chamado Reserva do Bosque.

Nota:
*1
– Revista Automóveis e Acessórios – Ano 11, Nº 132 pp 19

Compartilhe este texto em suas redes sociais:
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Siga nossas redes sociais:
pesquise em nosso site:
ouça a nossa playlist:

11 respostas

  1. Parece o Dean Martin na propaganda da garagem da rua araújo. Seria algum admirador secreto do astro que fez essa propaganda? Brincadeiras a parte, muito legal o artigo.

  2. A Garagem das Américas, foi onde, por longos anos, guardávamos nosso carro. Duas coisas me lembro bem: uma era o café que serviam lá; era muito bom, outra era uma espécie de escova de sapatos “automática” que lá havia. Enfiava-se os sapatos numa espécie de nicho, apertava-se um botão e os ditos saiam brilhando.

    1. A demolição do prédio da Delegacia Fiscal na foto grande foi chocante. Também triste foi a demolição do teatro na rua Araújo pra dar lugar à garagem automática. Não lembro o nome do teatro mas gostava muito dos degraus de mármore na entrada. Lá eu assisti à peça A Moreninha com Marília Pera e Zezé Motta

  3. Olha só! Desde sempre o automóvel foi um entulho na vida das pessoas.

  4. Ótima matéria, parabéns. A 1ª garagem automática de que me lembro, foi a do Viaduto Major Quedinho. Na retirada do carro, uma plataforma circular girava 180º e posicionava o carro para sair de frente. Eu achava fantástico. Creio que ainda existe.

  5. Parabéns pelo seu nobre trabalho, obrigado em nos proporciona sublimes informações.

  6. Muito legal mesmo, porque será que não foi dada continuidade no empreendimento de tão grande utilidade?

Deixe um comentário!

%d blogueiros gostam disto: