Neofarm

A malha ferroviária que corta a cidade de São Paulo já foi uma grande aliada da indústria paulistana. Ao redor da ferrovia, é possível notar um bom número de fábricas que se beneficiaram de ter a linha do trem ao seu lado, seja para transportar a produção ou para trazer a matéria prima.

clique na foto para ampliar

São empresas como Moinho Fluminense, Antarctica Paulista, Leite Paulista, Ferla, Vemag e também a Neofarm Ltda.

Composição da CPTM passa na região do Bom Retiro

Fábrica de medicamentos localizada no bairro do Bom Retiro, a Neofarm está bem no fim da Rua Júlio Conceição, ao lado da linha do trem. Hoje está desativada e deteriorando-se. Apesar disso, ainda é possível ver na fachada da antiga fábrica, o mural de azulejos com o logotipo da Neofarm (veja na galeria abaixo). Um resquício do passado industrial paulistano que esperamos, seja preservado.

Da fábricas mencionadas que estão localizadas ao lado da ferrovia, nenhuma mais permanece ativa.

Painel de azulejos que ficava no alto da fachada da fábrica (clique para ampliar)

Confira outras fotos da Neofarm (clique na miniatura para ampliar):

Atualização 02/01/2013:


Infelizmente, fomos informados por leitores e pudemos constatar que a antiga Neofarm não existe mais, foi demolida rapidamente durante o início do mês de dezembro. Mais um pedaço da memória industrial do Bom Retiro desapareceu de nossos olhos. Felizmente foram eternizados aqui através das fotografias.

Abaixo uma foto do local da antiga Neofarm em março de 2013:

Clique na foto para ampliar.
Clique na foto para ampliar.

Atualização 26/11/2021:

Oito anos depois de nossa última visita ao local da antiga Neofarm eis que estamos lá novamente e foi possível constatar que até o momento nada foi construído no local, operando apenas um estacionamento em um enorme terreno vazio que outrora foi a fábrica.

Possivelmente é terreno de “estoque” de alguma construtora aguardando uma ocasião para erguer ali um novo empreendimento.

Compartilhe este texto em suas redes sociais:
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn
Siga nossas redes sociais:
pesquise em nosso site:
Cadastre-se para receber nossa newsletter semanal e fique sabendo de nossas publicações, passeios, eventos etc:
ouça a nossa playlist:

15 respostas

  1. Ao lado da ferrovia temos também o conjunto industrial Matarazzo, no Brás, local que tive a oportunidade de adentrar após ser deflagrada a operação da PF. Após isso os edifícios, que são tombados, ficaram sem uso, a não ser ocasionalmente para locações de comerciais e filmes (um deles o recente Lula, Filho do Brasil).

  2. Muito simpática a fábrica. Deviam fazer alguma coisa ali. Hoje em dia não há mais motivo para deterioração ao longo das linhas da CPTM. Aliás, até esse muro deveria ser substituído por grades para deixar o ambiente mais claro e menos feio. Os proprietários de imóveis em SP são realmente dotados de pouquíssima, ou nenhuma imaginação. Este poderia ter muitos usos.

  3. Nesse trecho da Linha 7 eu não substituiria os muros por grades. Primeiro porque não faria muita diferença, já que o leito dos trilhos está uns dois metros ou mais acima do nível da rua. Segundo, porque os muros são bem antigos e muito bonitos em vários pedaços.

  4. Do outro lado da linha existem dois casarões, um já reformado que virou um museu e outro caindo aos pedaços.

  5. Gostaria de copartilhar a todos o seguinte, bem como caso alguns dos que trabou comigo abaixo veja.

    A primeira namorada e/ou primeiro emprego realmente você não esquece.

    Trabalhei na Neofarm no ano de 1983 a 1986, foi meu primeiro emprego, trabalhava na perfumária, onde, guardei bons momentos, inclusive, fiz muitos amigos, o qual teria o maior prazer em revê-los, razão pela qual deixo meus dados a um possível contato. Lembrome-me dos seguintes amigos: Eliana; Ana; Delma; Lauzi; Meire; Cristina; Edson Paulino, Totonho; Claudemiro; alex; Raildo; Marcelo; Libório; Raildo; Vanderlei; Ricardo; Ferreira; Chico; Sostenes; Pimenta; Manoel; Nicoli; Casemiro e outros.

    1. Edson Ferreira, trabalhei na Neofarm de 1951 a 1961, a minha juventude passei dentro desse prédio dos 15 aos 24 anos, conheci o prédio todo, pois, trabalhei no escritório,1 ano ou 2 antes de sair abriram a drogaria na rua Anhaia onde você deve ter trabalhado, trabalhei junto com o Sostenes o Pimenta e com o Casemiro que trabalhavam também no escritório, lembro muito do senhor Penna que era diretor depois se afastou tinha mais 2 que não lembro os nomes, depois ele se afastou e ficou o sr. Sergio, sai da firma para meu casamento, vi eles algumas outras vezes a ultima vez foi talvez em 1981, depois nunca mais.

  6. eu quero muito saber qual foi o ano que esse predio foi construido, nao consigo nenhuma informaçao…brinquei muito na frente desse predio, havia aqui nos anos 80, uma turma muito boa!!!!
    a turma do beco….. saudades!!!!!!!!

  7. Trabalhei na Neofarm no fim de 94 e os 3 primeiros meses de 95, conheci o seu Casemiro o sóstenes, o Freitas, o Fernando e outros.

    1. Veralice, trabalhei na Neofarm durante 10 anos, sai em 1960, Sostenes e Casemiro foram meus colegas os dois trabalhavam na contabilidade eu junto com eles, talvez seja os mesmos, pois são nomes não comum.

  8. Sempre entrando nesta pagina para conhecer um pouco de nossa cidade antiga, hoje deparei com as fotos do da NEOFARM, vocês não imaginem a saúdade que bateu em meu coração, trabalhei lá durante 10 anos seguidos foi meu primeiro emprego, passei minha juventude trabando lá, sai só para meu casamento entrei em 1950 e sai em 1960, como disse o Edson Ferreira e a Veralice Evangelista, o Sostenes, Pimenta,Casemiro e o sr. Freitas foram meus colegas do meu tempo deles o que tinha mais idade era o sr. Freitas que trabalhava com as correspondencia e os bancos, Sostens e Pimenta na seção de compras Casemiro na contabilidade junto comigo, infelizmente nosso passado vai morrendo com o tempo, adorava trabalhar lá.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.