Edifícios Cardozo

Sempre encontramos inúmeros edifícios abandonados espalhados pela cidade de São Paulo. A grande maioria deles estão geralmente localizados na região central da cidade e costumam estar bastante deteriorados, em péssimo estado de conservação.

Detalhe da fachada do edifício

No entanto, muitas vezes encontramos alguns que apresentam-se em boa forma, apto para a habitação, como o Edifício Garcia e outro na rua Conselheiro Carrão, ambos na Bela Vista, também na área do centro.

Entretanto, o leitor Rogério A. enviou-nos fotos de dois grandes e belos edifícios vazios na região do bairro de Vila Mariana que estão desocupados já tem vários anos e que parecem, aparentemente, pertencerem aos mesmo proprietário, pois ambos possuem os mesmos sobrenomes em suas fachadas. Trata-se dos edifícios A. Cardozo e E Cardozo.

Localizados um ao lado do outro na altura do número 486 da rua José Antonio Coelho, os dois prédios são muito bons e possuem 10 andares cada um. Segundo o leitor que nos envia o material ambos estão passando por fase de inventário.

Com certeza tão logo sejam recolocados à venda ou alugados irão ser ocupados muito rápido. Afinal, trata-se dois belos edifícios em um dos melhores bairros paulistanos.

Sabe quem seriam A. e E. Cardozo ? Entre em contato conosco e ajude a descobrir a história destes edifícios e das pessoas que dão nome a eles.

Vejam outras fotos (clique na miniatura para ampliar):
Crédito das fotos e informações sobre os imóveis: Rogério A.

Compartilhe este texto em suas redes sociais:
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Siga nossas redes sociais:
pesquise em nosso site:
ouça a nossa playlist:

21 respostas

  1. Eu morava ali no Ed. Boulevard… Ouvi falar que era abandonado, mas não tinha certeza… é uma pena né? Uma região tão boa como aquela e o predio ate q ta bonitinho!!

  2. Esses prédios tem o estilo daqueles construídos no início dos anos 70. Essas pastilhas com desenho de gravata de velho são cafoninhas, sim, mas muito legais! Aliás, vejo em prédios dessa época – como esses dois – uma dignidade e uma graça com que nenhum espigão pintado de bege com nome estrangeiro sonha ter…

  3. Gente! Passei na frente deles hoje e vi uns homens discutindo sobre ele e que talvez seria possível restaura-los! Acho que é uma esperança de logo esses prédios etarem com moradores em breve!!!!

  4. Moro próximo destes prédios e sempre me perguntei qual seria a historia deles, até uns 2 anos atrás aparentemente tinha um zelador que morava ali, mas já faz algum tempo que não vejo ninguem ali.
    Da próxima vez que ver alguem por ali, vou tentar parar e perguntar a historia.

  5. Moro á 18 anos na José Antônio Coelho, e desde que moro lá, escuto empresários discutindo sobre esses prédios e até agora, nada aconteceu. Oque não sei, é o porque de estarem abandonados, sei de um boato de bairro de que, a 30 anos, teve um vazamento de gás muito sério, e todos os moradores ficaram com medo e abandonaram o local. Hoje esse prédio serve de abrigo para muitos gatinhos. Aproveito para pedir que se alguém quiser um gatinho de estimação, você encontra lá!

  6. Novidades! Nessa semana apareceram algumas luzes de natal, pintura nova no hall e aparentemente o predio esta ocupado até o sétimo andar.
    Não sei muita coisa a respeito, mas uma senhora que passeava com seu cão me disse que o predio havia sido comprado por uma ONG, de um proprietário que esta no exterior. Não sei se isso é verdade mas vou tentar confirmar e saber mais a respeito.
    Como morador da rua fico feliz em saber que o predio esta ocupado.
    Assim que tiver mais noticias confirmadas, coloco aqui no site.

  7. Gostaria também de saber quem seriam donos desses dois edificios. Morei muito tempo nesta rua, e sempre quis saber dos proprietários.
    Caso alguém saiba, favor envie-me emais.

  8. A. Cardozo = Abel Cardozo – E Cardozo = Elvira Cardozo – pais de Rubens Cardozo e Ademar Cardozo – Fomos vizinhos da casa dos mesmos antes da construção dos Prédios. Moramos no numero 472 até 1979. A casa continua lá habitada hoje se nao me engano por familia de origem Japonesa. Sidney T. Sayeg.

  9. Eu lembro dos moradores onde Sidney disse ter morado,tinha umas moças e um casal de senhores senão me engano ele era militar,v´viamos sentados no muro dessa casa e o dono vivia mandando a gente sair,bons tempos!!!

  10. amanha haverá uma reintegração de posse. muitos dos apartamentos foram invadidos, mas hoje os moradores ja estavam saindo pacificamente.

    1. Passei por lá ontem a noite e vi a chegada de vários caminhões de mudança para retirar esses moradores.
      Espero que a reintegração também gere a revitalização dos prédios.

  11. Vim parar aqui pois buscava informações a respeito de um tal Ed. Abel Cardozo, localizado no cruzamento Campos Salles x Visconde do Rio Branco, Centro de Campinas.
    Curiosamente, muita coisa bate com esses do artigo: prédio de apartamentos robusto, com mais de 10 pavimentos, bem acabado porém sem habitantes há anos. Não sei o motivo. O engraçado é que até o letreiro na portaria é muitíssimo parecido… será alguma questão familiar dos Cardozo que culminou no fechamento destes edifícios?

  12. O edificio A. Cardozo continua abandonado, e há uma placa dizendo que não há imóveis a venda naquele prédio

  13. Sempre passo por eles, há uma placa dizendo que “não há apartamentos a venda”, e aparentemente, alguém faz manutenção porque as plantas da entrada sempre estão cuidadas, apesar de certo acumulo de sujeira nas laterais. No site 123i diz que a construção do A. Cardozo é de 1965 e seus apartamentos são de 39m², mas não tem informações sobre o E. Cardozo.

  14. Estamos no ano de 2019 e os prédios continuam abandonados! Alguém descobriu a real história deles?

  15. Os dois edifícios ainda estão bem conservados, precisando apenas de uma boa limpeza e pintura para posterior ocupação.

  16. Moro a 34 anos ao lado dos edificios.
    Os antigos donos possuiam comercio de ferragens e correias na famosa R. Florencio de Abreu, tambem forneciam material de reparo para antigas fabricas de nosso bairro como:
    – Lacta (Edifico 300)
    – Lares Metalurgica (Cristo Rei e Regiao)
    – Lustres Pelotas (Sesc)
    – Estamparia Caravelas(Faculdade Belas Artes) e etc..
    Após dividas trabalhista houve bloqueio dos Bens e então a desocupação dos dificios.
    Não sendo suficiente apos falecimento de um dos filhos e novo casamento do outro se iniciou briga judicial pelos herdeiros…
    Até onde sei hoje existe outro condominio em mesma situação em Campinas e somente 1 herdeiro.

Deixe um comentário!

%d blogueiros gostam disto: