Chafariz de Ferro de Bananal

Mais próxima da cidade do Rio de Janeiro do que da capital paulista, a cidade de Bananal é uma das mais agradáveis cidades do interior de São Paulo que já tive o prazer de conhecer e passear.

Pacata, bonita, muito bem cuidada e com um clima sempre agradável, Bananal já foi a cidade mais rica do Brasil em um certo tempo do período imperial brasileiro.

Foto: Divulgação

Localizada na região da Serra da Bocaina, o nome da cidade tem duas origens possíveis: Uma delas sugere que o nome Bananal é tido como uma corruptela da palavra indígena “banani”, que significa “sinuoso”, termo que designava o traçado em curvas do rio local. Outra versão relaciona-se com os numerosos bananais que existiam na região.

O fato que a riqueza da cidade e da região tornou-se imensa pra valer durante o primeiro ciclo do café em São Paulo, ainda no século 19, quando a cidade era uma das prósperas na produção. O poder financeiro de Bananal era tão grande naquela época, que Bananal chegou a cunhar moedas próprias (foto ao lado) e também chegou a ser avalista de um empréstimo da Inglaterra ao Brasil.

Mesmo com todas essas vantagens, que incluía até uma ferrovia local, a cidade tinha alguns problemas que eram comuns em várias outras regiões do país: água encanada.

Para resolver este problema e atender a demanda da população bananalense resolveu se construir em um chafariz:

clique na foto para ampliar
clique na foto para ampliar

Inaugurado em 1879 a pedido de Alfredo Campos da Paz, da Câmara Municipal de Bananal, o chafariz público foi feito em ferro, é ornado com elementos barrocos e possui quatro torneiras. Era utilizado pela população para a captação de água para suas residências durante o período em que a cidade ainda não dispunha dos serviços de água encanada.

Instalado na Praça Pedro Ramos, bem diante da Igreja da Matriz, o chafariz é um dos símbolos históricos da cidade e por alguns anos ficou deteriorado. Restaurado, foi instalado sobre uma base de pedra.

Abaixo duas fotos mais detalhadas do chafariz:

Foto: Douglas Nascimento / São Paulo Antiga

Foto: Douglas Nascimento / São Paulo Antiga

A cidade de Bananal é rica em cultura e patrimônio histórico, a grande maioria muito bem preservada. Quando fizer uma visita a região, além de conhecer as belas paisagens naturais, não deixe de conhecer o centro da cidade, o Solar dos Valim, a Pharmacia Popular (a mais antiga do Brasil) e também o Cemitério Bom Jesus.

Compartilhe este texto em suas redes sociais:
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Siga nossas redes sociais:
pesquise em nosso site:
ouça a nossa playlist:

12 respostas

  1. Tempos em que Bananal era uma das cidades mais ricas do Estado. Curisamente, sua decadencia começou no mesmo ano em que foi inaugurada a ferrovia (1888) para lá;

  2. como gostaria de conhecer..obrigada pela reportagem Douglas..parabéns

  3. Excelente materia sobre a cidade de Bananal e suas riquezas culturais. Obrigado por esse presente, jornalista Douglas Nascimento.

  4. Muito boa a matéria, conheço Bananal pois tenho parentes lá, um lugar tranquilo pra se viver e com ótima qualidade de vida, apesar de distante da capital fica próxima a grandes centros como Barra Mansa , Volta Redonda, e apenas 1 hora da cidade do Rio de Janeiro,é um ótimo lugar para quem admira a arquitetura do perìodo colonial..

  5. Boa tarde senhor Douglas. Vou á Bnanal dia 7/12/2019, próxima sexta em uma viagem do meu curso de Guia de Turismo e gostaria de mais informaçãoes sobre o Chafariz, pois terei que falar sobre o moninmento. O senhor pode me conceder mais informaçãoes, por fovor?! Desde já agradeço.

  6. interessante e que apesar do empobrecimento da cidade, a praca permanece limpa, sem pichacoes, assim se caracteriza pelas fotos.

    Ser pobre nao e desonra, haja visto esta praca limpa e agradavel para o uso publico.

  7. Lindo esse chafariz! Parabéns à prefeitura da cidade pela restauração e conservação. Fui em 2019 em Monte Sião, por ocasião das minhas férias em Águas de Lindóia, e o chafariz da praça principal não estava bem cuidado, o que achei uma pena. Lamento o que também aconteceu em Santo André – SP que tinha duas fontes decorativas de água, na Rua Coronel Oliveira Lima, mas que foram eliminadas. Assim, as características mais de “interior” dessa ótima cidade do Grande ABC vão, lamentavelmente sendo eliminadas. Muito triste.

Deixe um comentário!

%d blogueiros gostam disto: