Casarão de 1917 – Nazaré Paulista

As cidades mais próximas da capital também possuem construções antigas bastante interessantes. Em recente visita ao município de Nazaré Paulista, nos deparamos com um belo exemplar antigo que necessita de melhores cuidados:

clique na foto para ampliar
clique na foto para ampliar

Localizado no número 150 da estreita Travessa Francisco Mathias, este imóvel de 1917 é uma das mais interessantes construções da área central da cidade.

clique na foto para ampliar
A entrada é compartilhada por ambos os lados (clique na foto para ampliar).

Apesar da beleza e robustez da construção, segundo moradores vizinhos o imóvel está em situação de abandono há mais de uma década e já enfrenta sinais fortes de deterioração.

As janelas foram tampadas com tapumes tanto para evitar a entrada de pessoas não autorizadas, como para evitar o descarte de lixo. A vegetação cresce na área comum e já chega ao portão, também já escapando por algumas das janelas mais próximas da entrada (foto anterior).

Apesar disso, a situação da fachada ainda é bastante satisfatória, com uma pintura não muito recente mas ainda preservada e com os detalhes do frontão preservados intactos.

A foto abaixo tirada do outro lado da rua dá uma visão geral externa:

clique na foto para ampliar
clique na foto para ampliar

O tipo do terreno alto e acidentado da área central de Nazaré Paulista é desfavorável a demolição para erguer um edifício, por exemplo. Isso é um fato que pode ser essencial para a preservação deste imóvel. Apesar de fechado e com a aparente situação de abandono, é bem fácil de ser recuperado, mantendo a fachada preservada e partindo para uma reforma mais moderna em sua porção interior.

Quem sabe em alguns anos não encontramos este casarão recuperado e funcional novamente ? Não é um processo complicado.

Atualização – 1/9/2021:

Após um longo período de disputa judicial , o casarão em questão, há anos abandonado pela família, foi desapropriado pela prefeitura municipal e está sendo executada a reforma de sua fachada em breve deve abrigar um projeto cultural. O imóvel já apresenta uma nova pintura em sua fachada, veja fotos:

Atualizaremos novamente este artigo conforme formos recebendo novidades.

Compartilhe este texto em suas redes sociais:
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Siga nossas redes sociais:
pesquise em nosso site:
ouça a nossa playlist:

7 respostas

  1. restou somente a fachada, demais já está no chão. Desapropriado a alguns anos, imóvel, deteriora dia após dia. Esta é uma cidade onde nada se preservou. A casa paroquial, na praça principal, ao lado da igreja, está sendo demolida. Cidade sem memória e sem preocupação alguma com o passado.

  2. Nos anos 1980 visitamos o Pe. Arturo que nos levou à pé – a poucos metros da paróquia – para almoçar em um local onde o piso era de terra batida, mesa e bancos enormes e rústicos de madeira crua e escurecida pelos anos, despojados de quaisquer forrações e fixadas nos solo.
    Confesso que a simplicidade do local me impressionou e me pôs em estado de alerta.
    Uma senhora negra gorda e muito simpática nos serviu diversas travessas da mais trivial, perfumada e deliciosa comida que já provei na vida.
    E tudo isso dentro desse mesmo casarão.
    Quando esporadicamente passo em frente ao local as memórias voltam com tamanha intensidade que meus olhos se enchem de lágrimas.

  3. Meus avós paternos moraram nesse casarão, João Antônio Pinheiro Mariano e Eulália Cândida da Silva. Minha irmã Maria de Lourdes ( já falecida) nasceu nessa casa

Deixe um comentário!

%d blogueiros gostam disto: