A área do Butantã mais próxima à Marginal do Rio Pinheiros já foi bastante modificada por conta de grandes empreendimentos imobiliários, que trouxeram para aquela região uma série de novos edifícios sendo boa parte deles de cunho comercial.

É por ali que se encontra, por exemplo, a sede da Odebrecht que agora se chama Novonor. Porém ainda resistem algumas casas antigas, parte delas em situação de abandono, onde seus proprietários ficam na torcida de que um dia sejam vendidas por grandes quantias de dinheiro, já que trata-se de uma região bem valorizada. Como o caso de uma localizada no número 79 da Rua Pirajussara, demolida em 2018.

Parece ser o caso dessa charmosa residência antiga localizada no número 431 da Rua Camargo:

Esta residência trata-se de uma que eu acredito que deveria ser a todo custo tombada e preservada. Apesar de não ser um palacete ou casarão, é claramente um exemplo das primeiras construções residenciais do Butantã. Observem o imóvel e vejam que seu padrão construtivo é bem característico das casas da primeira metade do século XX, com largura estreita e comprida, deixando ao lado um grande terreno para o morador usar para uma horta própria, jardim de flores ou até para a cria de pequenos animais, como galinhas, patos e porcos.

Isso era bastante comum, principalmente antes da grande urbanização da região proporcionada pela retificação do Rio Pinheiros. Se demolida, esta história será perdida pelo fato de tratar-se de um exemplar único.

Nossos agradecimentos à leitora Maíra Kaupatez que fez o registro da imagem e nos encaminhou.

Sobre o autor

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, é presidente do Instituto São Paulo Antiga e membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP).

Deixe um comentário!

Comentarios

  • Marcelo Bruno Rodrigues 19/04/2021 at 16:37

    Seria preciso tirar este mato um tanto alto para que comece a ficar melhor valorizada.

    Reply
  • Reinaldo Policarpo 19/04/2021 at 17:37

    bela foto e comrntário. Cresci numa casa assim no bairro do Cangaiba, ZL, ela tinha estas caracteristicas. obrigado

    Reply
  • Rogério Tofoli Kezerle 19/04/2021 at 19:49

    Aqui no Butantã tem varias casas desse tipo.
    Uma pena que varias estejam largadas

    Reply
  • Emerson de Faria 20/04/2021 at 04:01

    Essa casa é testemunha de tempos mais pacatos, o entorno da cidade era composto por pequenas vilas com ares interioranos.

    Reply
  • FRANCISCO ANTONIO ROXO SANTOS 20/04/2021 at 10:07

    Aos poucos vão destruindo a MEMÓRIA DA CIDADE. Como pode deixar isso acontecer?
    Um saco de cal, água e vontade dá para conservar o imóvel. Tem corantes para agregar a água com cal para deixar o imóvel mais belo e atraente. Com tantas famílias precisando de um teto, porque não conseder a moradia graciosamente em troco da conservação?
    É para se pensar…

    Reply
  • Ozair leda Alves de Oliveira 22/04/2021 at 16:45

    Não tem dinheiro que pague a história destas casas principalmente pra quem morou na antiga São Paulo.

    Reply
  • Fernando Barbosa Pereira 23/04/2021 at 22:04

    Graças à sanha das construtoras, avalio seriamente em me mudar com minha esposa para o norte ou nordeste, afinal, ainda há muitos terrenos à espera de construções aprazíveis como essa!

    Reply
  • valter palma 26/04/2021 at 18:53

    Hoje em dia a violência urbana desmotiva viver em casas agradáveis como essa e infelizmente se tornam abandonadas. Este exemplar merecia o tombamento para resgate da memória de uma época.

    Reply
%d blogueiros gostam disto: