Tinturaria e Estamparia de Tecidos Suzano S/A

A memória arquitetônica industrial é a mais difícil de se preservar.

Diferentemente de casas e até edifícios, fábricas e galpões tendem a ocupar um espaço físico muito grande, muitas vezes quarteirões inteiros, e se não recebem uma destinação adequada como uma nova fábrica, escola ou um mesmo um centro de compras, fica muito difícil sustentar a construção e assim, fábricas memoráveis e até de arquitetura singular desaparecem.

No município de Suzano, encontramos as ruínas de uma fábrica cuja história está intimamente ligada ao desenvolvimento da cidade, a Tinturaria e Estamparia Suzano S/A.

Interior da fábrica nos anos 1950 (Crédito: Daniella Romanato)

Fundada em 1920 por Jorge Bey Maluf, a Tinturaria e Estamparia Suzano S/A foi um marco no desenvolvimento da cidade.

De tão importante, impulsionou o desenvolvimento urbano ao seu redor, com a criação da Vila Maluf, em uma área localizada aos fundos da empresa, e de outros bairros próximos, especialmente nos anos 1960.

A família Maluf foi proprietária da fábrica até o ano de 1957, quando a Suzano S/A foi adquirida pelo empresário Luiz Romanato e seus irmãos.

A chegada dos Romanato à cidade e a Suzano S/A trouxeram um novo fôlego a empresa e a região, tanto que apenas as pessoas mais antigas lembram-se do período em que a fábrica era comandada por Maluf. A área que era pouco desenvolvida e  pobre, com poucos sinais de urbanização, logo se transformou.

O interior da Suzano S/A em 1948 (Clique para ampliar).

A fábrica possuia proporções nada modestas, com 12.000 metros quadrados de área construída e, dedicava-se principalmente a produção e tratamento de tecidos para outras empresas, tendo em seu auge cerca de 350 funcionários.

No ano de 1997, a Tinturaria e Estamparia Suzano S/A encerrou suas atividades e desde então a área total 22.000 metros quadrados e sua construção em art decó estavam abandonados.

Recentemente, começaram demolições no seu interior e hoje praticamente só restam as paredes da fábrica (ainda é possível ver a construção inteira no mapa) e uma bela história, intimamente ligada industrialização e urbanização de Suzano. A área não é tombada.

Veja mais fotos da Tinturaria e Estamparia Suzano S/A (clique nas miniaturas para ampliar):
Crédito das fotos: Glaucia Garcia de Carvalho & Douglas Nascimento

Conheça outras belas construções industriais desativadas, demolidas ou abandonadas:

Compartilhe este texto em suas redes sociais:
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Siga nossas redes sociais:
pesquise em nosso site:
ouça a nossa playlist:

24 respostas

  1. Nossa, como vocês são chatos era o estilo deles e acho que meu pai teve boas escolhas e os tecidos eram lindos, e sim Peterson acredito que iria entrar na cabeça de todos menos na sua porque você não tem gosto.

    1. Você não entendeu o que eu escrevi. Naquela época as pessoas colovam o coração nas coisas, até a arquitetura de uma fábrica era feita com esmero. Hoje não é mais assim, por isso não entraria na cabeça das pessoas de hoje.
      Saiba ler com atenção antes de achar que está reagindo a uma critica.

  2. Ai e eu tenho certeza que ENTRARIA NAS CABEÇAS DAS PESSOAS hoje em dia, aliás eles tinham muito bom gosto, a pena que a fábrica faliu se não estaria com fama.

    1. olha, trabalhei naquele local em meados de 78 a 83, quando era bem garoto, e conhecia de perto os proprietarios, é uma pena que tudo acabou. Naquela época, se bem me lembro, eram estampados tecidos para as mais diversas grifes, até o finado Clodovil, andou visitando aquele local de trabalho.

  3. UAU! esse site é um achado!

    Moro em Suzano, e minha mãe trabalhou nessa fábrica!

    1. Eu teria medo de morar ali perto, hehehe. Esta fábrica, do jeito que se encontra atualmente, parece perfeita para servir de locação para um filme de terror.

      É muito triste constatarmos que o progresso e a tal globalização acabaram com tantos negócios que sustentaram famílias inteiras por décadas.

      Quantos pais de família (e mães também) levaram o sustento da casa trabalhando nesta fábrica, que hoje mais se parece com uma ruína azteca?

      Triste…….

  4. Trabalhei nesta empresa (17 anos), ela foi fundada pelo meu pai e o sr. Luiz Romanato deu sequencia no trabalho.
    Para quem não sabe nós produziamos para as mais renomadas marcas: Daslu, Parrech, Maria Bonita, Giovana, Baby,Chocolate, vila romana, Sta constancia,Indaiatex, e etc.
    Em uma ocasião, a Rede Globo ficou uma semana gravando o beneficiamento da seda.Nós eramos os melhores na estamparia de seda, a tal ponto que o Clodovil em seu programa nos indicou como melhor estampadores do Brasil.
    Nossa especialidade era tecido plano: Seda pura, misto de seda, Algodão, Challis e outros.. o fim da Tinturaria foi muito triste e me marcou muito a minha vida, Com a abertura de mercado feita pelo Collor onde entrou no Brasil tanto tecido, ” para se ter uma idéia em um ano entrou tanto tecido que os Estados Unidos maior mercado levaria 5 anos para absorver tudo” o tecido chegava a um custo tão baixo que não justificava produzir aqui ” Custo Brasil de impostos”.
    Sem falar dos maquinários que devido a reserva de mercado ” imposto de importação de maquinas era proibitivo chega as vezes de 3 a 5 vezes o valor ” eram com baixa tecnologia onde era necessário dispor de muita mão de obra.
    Lembro com muita saudade dos amigos que lá fiz . Geraldo, Castelar, Sesc,Zezinho da rama, Margarida,SR. BRUNO (grande Comasco) e tantos outros.
    Aos meus amigos um grande abraço

    1. Sim, mas atualmente não existem mais fábricas de tecido de boa qualidade no Brasil.

      Vou citar mais dois exemplos, além do seu: Braspérola e Ferreira Guimarães.

      Hoje os ternos e camisas são feitos com tecido de guarda chuva importados da China, hehehehe.

    2. Eu também trabalhei nesta empresa de 1986 à 1991, fui ajudante de estampador do meu irmão Sidnei Amorim, meus irmãos também trabalharam muito tempo lá. O Sr Luiz Romanato era um homem muito bom, me lembro que em todos os finais de ano ele fazia questão de entregar o Panetone e o Peru pra cada funcionário, e olha que eram muitos hein…saudades dessa época.

  5. Meu nome e Paulo F.Costa trabalhei na Industria Maluf S/A, visinho da estamparia gostaria de saber se vcs nao teriam informacoes sobre o contador responsavel na decada de 70, pois preciso de uma declaracao de trabalho para o INSS. Sei que ja se passaram muitos anos e talvez nao seja possivel essa informacao, mas qualquer informacao sera bem vinda. Trabalhei nessa empresa de 1975 a 1976. Desde ja agradeco a sua atencao e aguardo ancioso qualquer informacao.

    1. obteve alguma informação paulo sobre o responsavel por documento de ex funcionario ?
      se sim por favor me responde 11984588771

  6. também trabalhei nesta empresa era muita boa ,sinto muita saudades dos meus amigos da rama silas cicero. zezinho ,pedro lisboa e muitos outros .época boa era feliz e nem sabia ,hoje fui a uma exposição da TEITS no centro cultural voltei no tempo vi os tecidos da de maia deu saudade ..

  7. É uma pena que um projeto arquitetônico tão belo esteja desfigurado.
    Aliás, aquela região toda está degradada.
    Uma das fábricas hoje é canteiro de obras da SPMar, a outra é garagem de empresa de ônibus.
    Mas o problema não é só o custo fiscal do Brasil, que é uma verdadeira aventura kafkiana.
    Suzano é uma cidade com todas as características de um hub logístico. Só que não tem investimento em infraestrutura, em desenvolvimento empresarial, não há incentivos a um plano de longo prazo, incluindo educação de qualidade, saúde, segurança …
    Houve um tempo em que Suzano teve grandes prefeitos. Paulo Portela investiu fortemente em infraestrutura e educação; Pedro Miyahira aproveitou a infraestrutura e trouxe mais indústrias para a cidade, principalmente japonesas, como NSK, Komatsu, Mitutoyo, Teijin Tetoron e outras. O Estevam, nas duas primeiras gestões investiu fortemente em urbanismo. Depois disso …
    A cidade está tomada por tudo o que não presta!
    Os acessos são ruins e complicados. Não há uma política de mobilidade urbana efetiva.
    E parece que a cidade tem algo que suga a energia de qualquer um que queira evoluir.
    Não à toa, há uma certa tradição de que, quando alguém melhora de vida, ou quer melhorar, se muda para Mogi, que, embora com um PIB menor, tem uma qualidade de vida infinitamente superior. E é um ambiente propício aos negócios.
    E para complicar, Suzano é uma cidade muito cara! Em vários aspectos!
    O pior que esse tipo de problema vai se ampliando, feito praga; basta ver o que já vem acontecendo por exemplo com Guarulhos.
    E, infelizmente, não há sinais de melhora, nem sequer a longo prazo!

  8. Oi Douglas, estamos fazendo um lançamento de coleção infantil e vimos muita coisa bacana. Você tem o contato desses lugares? tem algum telefone whastapp para nos falarmos? Obrigada Ana

  9. A ultima foto da materia pertence a Sovis e nao Suzano SA, a fabrica era situada na Rua Felicio de Camargo, os dois pequenos predios a direita da foto eram destinados a funcionarios da fabrica, do lado esquerdo o portao de acesso de caminhoes que chegavam com vidro para reciclagem, esta parte da fabrica se destinava a fabricacao de garrafas e garrafoes para vinho e outras bebidas. Obrigado por resgatar um pedaco da minha infancia, boas lembrancas de uma cidade maravilhosa que nao existe mais.

  10. Olá, estou procurando um lugar abandonada em São Paulo para gravar um clipe, mas queria autorização do proprietário, você indica algum ?

  11. Eu também trabalhei nesta empresa muita saudades, gostava muito, saudade dos amigos, meu tio Osmani Baguinatori e meu primo Sidinei também trabalharam na mesma empresa, meu nome Francisco Rogério da Costa Leão estou com dificuldade para pegar documentos para aposentar o PPP mas não estou conseguindo.

  12. Bacana a matéria Douglas, sou da Zona leste de São mais moro aqui desde 1997. O lugar é lindo … daria um excelente SESC ou algo similar. Em 2009 produzi umas fotos de uma banda da cidade lá ficou bem bacana. Um grande abraço, Carlos Magno

Deixe um comentário!

%d blogueiros gostam disto: