Sobrados Demolidos – Rua Carlos Sampaio, 75 e 83

Texto e Fotografias: Alexandre Giesbrecht

Ao longo dos últimos pelo menos cinco anos, uma paisagem constante na Rua Carlos Sampaio era a de dois sobrados vizinhos, de números 75 e 83, ambos desocupados. O último uso do número 75 ainda fora como residência, enquanto o do número 83 fora como uma cantina.

Os sobrados ainda de pé em imagem do Google Street View

Não conseguimos determinar quando os imóveis foram desocupados. É certo que em meados de 2006, pelo menos, eles já estavam vazios. E assim ficaram até o fim de agosto de 2010, quando foi iniciado o processo de demolição em ambos ao mesmo tempo. Em poucos dias, estavam no chão, junto com as memórias de seus antigos habitantes e frequentadores.

O terreno foi limpo e ficou aguardando, vazio, a decisão sobre ser usado para um prédio comercial ou residencial. A segunda opção prevaleceu, e será erguida no local uma torre com 54 apartamentos, a grande maioria com área entre 40 e 45 metros quadrados.

O tráfego da Rua Carlos Sampaio, que nos horários de pico já é problemático, causando congestionamentos nas ruas Cincinato Braga, Treze de Maio e especialmente Fausto Ferraz, tende a piorar. No terreno já foi construído um estande de vendas.

Saiba mais: Outro texto descrevendo todas as casas da rua Carlos Sampaio. Clique aqui para ler.

Veja mais fotos externas dos sobrados (clique para ampliar):

Veja mais fotos internas dos sobrados (clique para ampliar):

Compartilhe este texto em suas redes sociais:
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Siga nossas redes sociais:
pesquise em nosso site:
ouça a nossa playlist:

9 respostas

  1. Uma pena. Não vai demorar para chegar o dia em que só existirão prédios nas cidades. Aqui em Santos soube que um supermercado na avenida da praia foi vendido e também 3 casas na rua onde estudo francês. Tudo isso, claro, para a construção de prédios.
    Uma moradora do bairro Pompéia mandou uma carta a um jornal da cidade reclamando que uma faculdade vendeu seu campus mesmo com o prédio tombado. A idéia da construtora é fazer um edifício no terreno e os moradores terão acesso para visitar o antigo prédio da faculdade.

    1. Vc pode me passar o endereço desta futura demolição, tiro fotos para internet e me interessa muito fotografar e eternizar um sonho antigo antes da imaginação ver o q vai fazer…

  2. Impressionante: 54 aptos. de 40 a 45 m 2. cada um. As pessoas não moram mais. Ela se amontoam… e pensar que derrubaram casarões tão impoortantes.

  3. Carissimos,
    Uma das casas demolidas era a residencia do Dr. Henrique Ambrosio Paraventi. Passei muitos momentos divertidos da minha adolescencia com a filha do Dr. Paraventi e sua esposa D. Ana. Na década de 70 se mudaram, se não me engano o Dr. Paraventi nasceu em uma dessas casas.A casa junto a igreja Anglicana, que virou em restaurante. Para falar a verdade estou procurando saber sobre a rua Maria Horta e nada encontro.
    Boa sorte a todos vocês.

    1. Ola Raquel, vc sabe se essa familia que vc frequentou ainda éram os antigos proprietarios, ou ja tinha sido vendido a muito tempo? obrigada!

  4. Alexandre,

    “Eis que surge uma luz no fim do túnel…”

    Dá uma olhada neste projeto de restauração do patrimônio histórico, chamado de PROJETO MONUMENTA – é um Programa do Ministério da Cultura com recursos do Orçamento da União e financiamento do BID, com a cooperação da Unesco e da Caixa Federal, com contrapartidas do município onde o Programa está inserido. Tem por objetivo a atuar nos sítios históricos urbanos brasileiros, não apenas como um programa de recuperação física de monumentos, mas visando criar referenciais para prática da gestão sustentada do patrimônio cultural.

    Em especial dá uma espiada nos Sobrados da Rua dos Andradas, 673/677/679/683 o qual fiquei fascinado pela obra final.

    Primeiro quero parabenizar a vocês pelo trabalho que é realizado neste site e em segundo para este projeto que me parece válido.

    FONTE:http://lproweb.procempa.com.br/pmpa/prefpoa/vivaocentro/default.php?reg=4&p_secao=109

    Um abraço.

  5. O que dizer??? Fiquei muito triste… Uma casa feita com tanto amor com esse tragico fim! Que os antigos donos sejam enterrados com a “fortuna” adquirida! DESPRESO! Por quê essas péroras caem nas mãos erradas?

  6. As casas eram vizinhas da Igreja Imaculada Conceição. A de tons mais marcantes não era um restaurante chinês há uns anos atrás?

Deixe um comentário!

%d blogueiros gostam disto: