Sobrado – Rua Rego Freitas, 557

Até pouco tempo atrás nosso Plano Diretor e a Lei de Zoneamento não eram bem elaborados e não favoreciam as pequenas moradias, ou residências individuais como se deveria. Com o novo plano ai e também as mudanças na referida lei, talvez venhamos a ter tempos melhores principalmente na questão urbanística.

E a falta de planejamento aliada a licenças para construir sem critério técnico adequado, gerou aberrações incríveis por toda a cidade, como o imenso armazém construído ao lado da Capela de Santo Antônio, no Belenzinho, ou mesmo este simpático sobrado do início do século 20:

Foto: Douglas Nascimento / São Paulo Antiga

Localizada na rua Rego Freitas, esta casa é um exemplo de ausência de critérios para o crescimento urbano. Não que ela esteja errada, pelo contrário, ela é a grande vítima.

Observe que a casa está completamente cercada por grandes construções. Do lado esquerdo, um prédio sem qualquer recuo roubou-lhe o sol da manhã e ainda “presenteou” a casa com uma parede. Na direita um imóvel menor, também sem recuo, tirou-lhe o sol do fim de tarde. Isso sem contar ainda o prédio que está ao fundo, com frente para a rua da Consolação.

Foto: Douglas Nascimento / São Paulo Antiga

Se por um lado surge a questão “ora, porque não venderam o imóvel ?“, por outro lado também há a questão do direito a recusar a vender seu lar, e também o direito – que acho fundamental – de ter a luz do sol em sua casa pelo menos em boa parte do dia.

Sem sol direito, casas ficam frias, tendem a ter mais humidade e ficam mais escuras, necessitando mais da iluminação artificial do que o normal.

Mas, por outro lado, acho esta casa uma feliz sobrevivente mesmo com todos estes problemas. A área construtiva do terreno dela é muito pequena, diminuindo ainda mais se considerarmos o recuo. Muito próxima da área de cruzamento com a rua da Consolação, é proibido estacionar diante dela.

Isso tudo somado, torna muito difícil o desaparecimento dela, esta que é a última casa sobrevivente da rua Rego Freitas.

Compartilhe este texto em suas redes sociais:
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Siga nossas redes sociais:
pesquise em nosso site:
ouça a nossa playlist:

13 respostas

  1. Uma falta de respeito para com a dignidade do outro e em favor dos tais interesses de superfaturamento das
    construções!
    Tenho pavor da SP subterrânea. A qualquer momento pode acontecer tragédias sem volta, pois a natureza busca
    o que é dela, sobretudo os cursos d’água,!!
    Nossa SP está sobre rios e seus afluentes, esmagadoramente aterrados…
    Lindo o sobrado !
    Pois é Douglas, tanto trabalho pra fazer em SP e esses “menores” por aí matando e gerando crianças ao abandono. Sou pela pena alternativa e real, palpável. Basta organizar direitos e deveres, horários e salários,
    boas notas e curso profissionalizante.
    Todos ficaríamos bem e os menores devidamente encaminhados, estando ocupados e com objetivos!!

  2. Nao sei porque sou um fanatico por historias de casas assim, poderia relatar sobre as mansoes abandonadas no morumbi tbem…tenho muita curiosidade sobre aquelas casas

  3. No centrão da cidade, há o edifício Martinelli, belíssimo! Bem na sua frente, foi erguido o edifício do Banco do Brasil, enorme e bonito também, mas de outro estilo. O que eu pergunto é: quando o prédio do BB foi erguido, nos anos 50, será que não havia outro lugar para ele ser edificado? Ficou bem na frente do Martinelli, tapando totalmente a visão que outrora as pessoas frequentadoras dele tinham. Nesse sentido foi também uma aberração, e isso há décadas atrás.Se havia critérios antigamente, o bom senso já passava longe!

  4. – Eu trabalho próximo a rua, e nunca reparei nessa casa….como fico triste em saber que tudo em Sampa é correria, vou começar a me atentar mais, São Paulo é uma cidade tão cultural….Amo!

  5. De fato a situação dessa casa é ruim, mas pelo menos não no que diz respeito ao estado de conservação dela até bom se comparado com outras casas postadas aqui no site e pela janela aberta, provavelmente alguém vive nela.

  6. adorei. Adoro imagem de casas antigas e suas janelas floridas. Espero que ela permaneça sobrevivente ainda por algum tempo, apesar das dificuldades mencionadas.
    uma fã

  7. Conheci um motorista de táxi aí em São Paulo que, se não me engano, é o proprietário desta casa.

  8. Olá. Tenho acompanhado seus posts, sobre casas antigas com fachadas ecléticas. Muito bacana este registro. Parabéns.

  9. Sempre que eu passei por essa rua fico indignado com o desrespeito urbanístico e histórico do paulistano

Deixe um comentário!

%d blogueiros gostam disto: