Sebo do Messias

Hoje em dia é muito difícil encontrar livros sobre a história de São Paulo por aí. Especialmente quando se trata de autores mais antigos e tradicionais e que hoje caíram no esquecimento, seja por falta de interesse de leitores ou de editoras.

O São Paulo Antiga depende muito destes livros para aprofundar suas pesquisas e fontes, e é neste momento que os sebos paulistanos, tão abundantes e interessantes, entram em ação. E falar sobre sebos em São Paulo é imprescindível mencionar aquele que é o mais conhecido e volumoso da cidade, onde já encontramos livros raros incríveis: O Sebo do Messias.

Crédito: Douglas Nascimento / São Paulo Antiga

Com sua matriz localizada no número 140 da Praça João Mendes, bem atrás da Catedral da Sé, o Messias não é apenas um sebo, mas um marco comercial paulistano. É conhecido pela grande maioria das pessoas que amam a leitura e é visitado diariamente por centenas delas que buscam livros antigos, gibis, revistas, discos e até passar bons momentos em meio ao mundo da literatura.

Setor de gibis e HQs (clique para ampliar)
Setor de gibis e HQs (clique para ampliar)

A história do Sebo do Messias começou em 1969, quando a loja foi inaugurada em uma pequena sala comercial. Era o início de uma trajetória que já dura mais de quatro décadas totalmente dedicada a cultura.

Divulgação

O nome do sebo é também o nome do fundador e proprietário, Messias Antonio Coelho, de 72 anos. Há cinco décadas em São Paulo e natural de Guanhães (MG), ele é facilmente visto na loja, pois é raro passar por lá e não encontrá-lo sentado em sua mesa, logo na entrada, sempre trabalhando em ritmo frenético. Segundo um dos atendentes do balcão, o senhor Messias nunca tira férias e costumeiramente é o primeiro a chegar e também o último a sair.

O Sebo do Messias é, possivelmente, a mais democrática das livrarias paulistanas. É um local onde você encontrará a freguesia mais diversa, com leitores desde pesquisadores em busca de livros raros e específicos e estudantes a donas de casa e operários. Até morador de rua comprando livros por R$1,00 eu já encontrei em uma visita que fiz ao estabelecimento.

clique na foto para ampliar
clique na foto para ampliar

Estabelecido em um espaço de 2 mil metros quadrados, o Sebo do Messias tem um acervo impressionante de mais de 500 mil títulos, entre livros, revistas, gibis, dvds, cds e lps. Para manter toda esta grande estrutura há uma equipe de 49 funcionários.

A loja dispõe de instalações bem organizadas, com os livros classificados por assunto e por ordem alfabética e dispõe de um amplo leque de assuntos. É possível encontrar desde livros didáticos até obras esgotadas e raras.

clique na foto para ampliar
clique na foto para ampliar

Há também a democratização da cultura. Você hoje não consegue pegar um ônibus com R$2,00 mas consegue ter acesso a vários livros no Sebo do Messias a este preço. Só não lê, quem não quer.

Alguns anos atrás o Sebo do Messias deu um importante passo para ampliar suas vendas por todo o país, inaugurando sua loja virtual. A loja eletrônica, que é considerada uma das melhores da América Latina, devido a sua estrutura, acervo e segurança, conta com uma reserva separada de livros, que fica no subsolo.

Quem nunca visitou a loja e ficou o dia todo olhando as intermináveis prateleiras e saiu de lá com uma sacola cheia e pesada de livros, não sabe como é divertido. Além de ser um estabelecimento tradicional paulista o Sebo do Messias é, sem dúvida, um pólo de cultura e ponto turístico de São Paulo.

clique na foto para ampliar
clique na foto para ampliar

E você, frequenta sebos ? Já foi no Messias ? Conhece outro sebo bacana pra indicar ? Deixe seu comentário!

Serviço:
Sebo do Messias
Praça João Mendes, 140 – Centro
Telefone: (11) 3104-711
Site: www.sebodomessias.com.br

CURIOSIDADE:

Nos anos 1950 o local onde hoje é o Sebo do Messias era uma farmácia, veja na fotografia abaixo:

Compartilhe este texto em suas redes sociais:
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Siga nossas redes sociais:
pesquise em nosso site:
ouça a nossa playlist:

26 respostas

  1. parabens, Douglas. O sebo do Messias é fantastico e sempre o visitamos qdo vamos a Sao Paulo. Somos viciados nos sebos aqui de Curitiba. Muito boa publicação e divulgação!

  2. ola ,vi a reportagem sobre o Sebo do Messias,nao sei se voce sabe aqui em guarulhos tem um Sebobem grande que se chama Sebo do Batata fica na rua Joao Gonçalves em frente a Igreja do Rosario. Paulo

  3. Passei atrás da Catedral da Sé e não sabia desse sebo =(
    Agora vou ter que esperar próxima vez que for a SP…

    1. Então, quando vier novamente a SP e for fazer uma visita ao Sebo do Messias, o que realmente vale à pena, aproveite para ver um antigo ponto de bonde, bem em frente ao Sebo e dê uma passada na belíssima igreja de São Gonçalo, que fica ao lado esquerdo.
      Vale à pena também, conhecer o antigo restaurante, que fica sobre a padaria à esquerda do Sebo.

  4. há muitas décadas que frequento o Messias quando vou ao centro. geralmente não compro nada, mas me divirto fuçando pelas estantes.. alguns livros antigos dão dó de ver no estado precário em que se encontram, não dá nem para adquirir; mas é legal folheá-los. mas sugiro o uso de uma mascara cirúrgica para a turma mais alérgica.
    sugiro levarem as crianças para se divertirem nas estantes de livros infantis, onde pode-se encontrar muita revistinha. há outros sebos na região para aproveitar o tour. infelizmente alguns clássicos na região já fecharam as portas como o famoso alfarrábio (sebo) Ornabi.

  5. Referência imperdivèl na cidade de São Paulo para garimpar livros , discos e afins.
    Conversei várias vêzes com Sr Messias em minhas procuras.

  6. Eu frequento o Sebo do Messias há mais de três décadas. Sempre que vou a São Paulo procuro dar uma passadinha por lá. Abraço ao Messias!

  7. Amigos, vcs ainda tem toca discos de vinil? Aqueles antigos, com CD, toca discos e fita cassete?

  8. Será que ai eu consigo encontrar ai neste Sebo Messias as Revistas Tópicos de 1951 a 1954, cujo Diretor na época era Walter Vasquez, Tipografia: Irmãos Dupont – São Paulo a redação era na Rua Rangel Pestana 2149 a Caixa Postal era : 6869 uma revista que tratava do Problema da epra antiga no Estado de São Paulo. Jaime Prado- Bauru/SP – Preservando a História

  9. O Sebo do Messias é um ícone paulistano, como rato de biblioteca que sou, conheço este e muitos outros sebos ali na região, mas nenhum outro se compara ao Messias. É pena que com a correria do dia a dia não tenho mais tempo de ir lá.

  10. já fui no sebo do messias,….já visitei também um pequeno sebo na rua salete em Santana, e também já entrei na pagina do estante virtual.

  11. Ótima matéria para celebrar esse marco da cidade. Sou mais um frequentador assíduo: frequento o Messias há mais de 20 anos ( o descobri durante minhas andanças pelo centro, como contínuo de banco), depois fiz letras (sou professor de português há quase duas décadas) e comprei uma infinidade de livros que li/utilizei durante o curso lá, e continuo me perdendo nas suas prateleiras – a seção sobre história de São Paulo é de pirar! Ia tanto que em certa época os vendedores me cumprimentavam, assim que eu entrava! Hoje vou menos, mas não fico mais de mês sem aparecer nesse local que deveria ser tombado!
    Em tempo: ontem mesmo fiz uma visita e comprei livros para dar de presente!
    Abraço.

  12. Querido amigo e irmão Douglas,
    Saudações!

    Caramba, você sempre se superando em tocar e sensibilizar o nosso Coração, descobrindo, resgatando ou simplesmente confirmando o lado majestoso da Cultura paulistana.
    Adoro o sebo do Messias e considero-o uma referência nacional, quiçá, internacional. Até eu sair de S. Paulo, eram três lojas, tinha a da rua Senador Feijó, da praça João Mendes e mais outra por ali.
    É, de fato, uma maravilha e sempre digo que você precisa dar uma garimpadinha, pois há de tudo para todos: tem livros raros, em ótimo estado de conservação, por um preço módico, mas, evidentemente, também tem umas tranqueiirinhas para um público menos exigente. Muito da minha pequena Biblioteca, principalmente na parte de Ciências Naturais, Psicologia e Esoterismo eu adquiri lá.
    Quanto ao mercado virtual, não tenho muito o hábito de utilizá-lo, mas sei que o serviço deles é excelente, assim como de um tal de Submarino e outras livrarias.
    Parabéns por mais este gol de placa. Espero que tenha considerado e esteja preparando o livro com o seu material sobre a linda, querida e insólita Paulicéia Desvairada. Abração. Shalom Aleihem! Paz Profunda!

    L. Lafam.

  13. Impressionante o sebo do Messias,centro de cultura história e lazer, quado for a S. Paulo farei uma visita.

  14. Adoro livros e, por extensão, adoro sebos. Mas tenho rinite e faringite crônicas, o que infelizmente impossibilita uma ida mais frequente aos sebos. No entanto, há um sebo na Penha, no centrinho, o sebo do Cezar, em que não passo por esses problemas. O sebo é pequeno, mas bem organizado e extremamente limpo. Eu e meu marido fazemos a festa lá.

  15. Lá comprei muitos bons livros. Gostava de garimpar primeiras edições, cujos preços meu bolso comportava, Por motivos vários, há uns oito anos não vou lá. Outro importante sebo é o Ornabi, na Rua Benjamim Constant, no Edifício Arcadas, do qual posterioremente passou a ocupar toda a sobreloja. Alguém poderia me dizer se ainda está aberto ?. Continua funcionando ?

    1. Eu não conheci esse sebo, mas após ler a sua indagação, resolvi pesquisar no google e encontrei as informações o senhor procura.
      Sugiro que faça o mesmo. Há um filme sobre a livraria que é realmente emocionante.
      Para quem conheceu o local, como é o seu caso, sugiro assistir ao filme sentado.

  16. O Srº Messias é um homem bem esperto, compra produtos das pessoas, paga uma merreca e vai vender por um preço superior ao preço que ele ofereceu ao comprador, tô fora ali eu não levo mais nada ´para vender ou trocar, tive uma péssima experiência com ele, mas é bom pois assim fico sabendo como é esse ambiente.

  17. Uma pena que esses sebos que sempre fui “gourmetizou”
    Livros mais caros que novos
    Quando esta barato parece que o livro foi atropelado

Deixe um comentário!

%d blogueiros gostam disto: