Sobrado Demolido – Rua Canindé, 772

Quando se fala Canindé em São Paulo a primeira coisa que vem a cabeça de muitos é o estádio da Portuguesa. Entretanto além do charmoso estádio da Lusa o bairro do Pari tem uma rua que também leva este nome e que ainda possui algumas construções interessantes, como os galpões feito em tijolos, na esquina com a Rua João Teodoro e algumas casas antigas, como este belo sobrado.

clique na foto para ampliar
clique na foto para ampliar

Localizada no número 772, este sobrado é a casa principal de um conjunto de residências antigas que estão dispostos em uma espécie de vila. A entrada se dá à esquerda da casa por uma ruela de paralelepípedos que termina em um pequeno largo, onde estão outros dois sobrados geminados e um pequeno galpão.

A impressão que temos é que as demais casas da vila, um pouco menores, eram destinadas a renda (ou a outros familiares) enquanto esta que dá para a Rua Canindé era para o proprietário.

A casa não está impecável, carecendo de uma boa manutenção, entretanto está preservada em sua originalidade, exceções feitas ao muro, que era mais baixo, e ao portão que foi trocado.

A fachada está boa, mas requer reparos (clique na foto para ampliar).
A fachada está boa, mas requer reparos (clique na foto para ampliar).

Mas como o legal é reparar nas pequenas coisas, que é o que faz ainda mais divertido este trabalho de catalogar as casas de São Paulo,o que achei muito bonito e logo me chamou a atenção quando fotografei a residência, foi a cortina que está na janela do quarto, que tem o desenho de uma casa.

A simplicidade das coisas não perde o charme jamais (clique na foto para ampliar).
A simplicidade não perde o charme jamais (clique na foto para ampliar).

A cortina me remeteu a um breve pensamento de viagem ao passado. Ao tempo onde a simplicidade reinava, onde nossas vidas eram mais tranquilas. Época que brincávamos na rua quando crianças, que a festa de aniversário era na garagem de casa e que conversávamos mais.

É evidente que a modernidade trouxe conforto e melhorias, mas perdeu-se muito do prazer que era a vida simples.  Simples e eficiente como esta bela cortina que tremulava com o vento do final da tarde em que fotografei a casa.

Quando você lembra do passado, o que te dá mais saudade ? Deixe seu comentário.

Veja mais imagens deste sobrado (clique na foto para ampliar):

Crédito: Douglas Nascimento / São Paulo Antiga

Crédito: Douglas Nascimento / São Paulo Antiga

Atualização 23/02/2015:

O imóvel foi demolido em dezembro de 2014, como mostra a foto abaixo:
Crédito: Douglas Nascimento / São Paulo Antiga

Compartilhe este texto em suas redes sociais:
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Siga nossas redes sociais:
pesquise em nosso site:
ouça a nossa playlist:

13 respostas

  1. Gosto muito do que voces nos mostra,mais é triste saber que os brasileiros não conservão nada do passado ! Moro na France em Paris e aprendi a conservar os imoveis é proibido mudar o visual temos que guardar a construção de origem ! é isto que faz a France diferente . Lhe digo que se eu pudese voltar ao Brasil e morar no sobrado em que eu naci na vila clementino em São Paulo poderia morrer feliz ! merci

  2. Das reuniões de família, do cheirinho de café com leite e pão com manteiga na casa da avó nas tardes de domingo, das brincadeiras na rua, do cheirinho de almoço de domingo que saia pelas janelas e portas das casas por onde andavamos… coisas simples, básicas, essenciais!

  3. Moro em residência antiga, que tem um banco de pedra na frente e me recordo da infância brincando e sentando ali, vendo a vida correr deliciosamente. Isso não tem preço. maravilhosa matéria.

  4. Do que mais tenho saudade no passado? Acho que de melhores costumes. O que vem na minha mente no momento é que nunca as pessoas tiveram tanta falta de educação como nos dias atuais,com os pancadões dos “fanqueiros”(assim mesmo,aportuguesado!) e esses tais de rolezinhos.Há uma insuportável inversão de valores(para não me prolongar) que não vejo luz no fim do túnel…Mas,voltando à casa fotografada,é mais um belo exemplar resistindo bravamente.

  5. Vivi até 1976 entre os bairros do Brás e do Pari , sempre fui uma criança observadora e já sabia apreciar a educação das famílias, as amizades sinceras de toda a vida , os colégios religiosos , as missas de domingo, as cadeiras nas calçadas nas noites de verão ,o bate papo de nossos pais com os vizinhos enquanto nós crianças brincávamos e corríamos atrás dos vagalumes , saudade das “vendinhas, leiterias,das quitandas , na época a cidade era muito bonita , cuidada , segura ,assim era São Paulo , mas tudo deteriorou muito dos anos 50 em diante, acho que é por esse motivo o meu quase patológico saudosismo por essa época tão linda !

  6. Desse bairro mesmo, o Pari, onde cresci e que mudou tanto. E da bela casa onde cresci, aí perto, na rua Tereza Francisca Martim (antiga rua Estiva, 128). Até recentemente estava em pé e preservada.

  7. Morei na Rua Alan Kardek n 55 tenho muitas saudades daquele tempo (1955 a 1973) tempo que morei lá vcs lembram da quitanda da Dna Elza (japonesa) e da venda de Sr. Colodino, bar do meia lua, pif paf, grafica do Sr.Bighetti, padaria aviação, barbearia do sr.Angelo,colegio Sta Therezinha, estudei no Orestes, e tirei diploma na Escolas Agrupadas do Canindé, hoje Infante Dom Henrique na antiga Rua da Picina, belas lembranças gostaria de falar muito mais e lembrar ET. lembram do caminhinho que dava passagem para Rua São Biagio então iamos na igreja nossa sra Aparecida assistir filmes tempo bom que saudades.

  8. Quando me lembro do passado o que mais me dá saudade é justamente a tranquilidade que se tinha, os muros baixos, as festinhas feita na própria casa ou na garagem, não se preocupava com periculosidade ou coisa parecida ! Quantas saudades eu sinto dos anos 60,70 e 80 !!! Amo essa página, me faz viajar por anos que não vivi, mas que existiram na vida de muitos que hoje em sua maioria já não estão entre nós ! Beeeeeeeeeeeijos no ♥

  9. gostei muito deste artigo do sobrado e da vila na Rua Canindé 772, passo quase todos os dias em frente, mas tenho uma triste noticia para nós, tanto o sobrado como a vila foram demolidos no final do mes de outubro ultimo. Agora resta apenas o terreno limpo com uma placa de Vende-se

  10. Eu não sei o que raios aconteceu com o Brás e o Pari, mas a minha avó morou no Brás nos anos 60 e ela já falava que ali era perigoso a noite desde aquela época e também me lembro de quando eu era moleque já na década de 80, ir para a casa de uma tia minha no Pari e passar pelo Brás e já ver casas antigas com aparência de velhas, talvez isso se deva ao fato de que sempre teve as confecções e as lojas de roupas lá, que concentravam movimento apenas até umas 18:00h.

  11. Saudades da minha infância , morava na rua Itaqui esperava minha mãe vim do serviço no bonde que passava na av. Vautier minha mãe conseguia arrumar bala para que nós embrulhasse para não ir a rua. Mas não adiantava ia jogar bola no Serra Morena , pasei por la esses dias como esta mudado lojas e mais lojas me senti um invasor como gostava de brincar na enchente da rua Carno , assistir filme no cine Haiti , Rialto SAUDADES muita SAUDADES

  12. Minha família morou nesta vila de 83 a 96 na casa de número 04. Dentro da vila tinha 5 casas e uma garagem que cabia uns 3 carros. O sobrado da foto era alugado por uma das maiores e melhores bandas de baile do Brasil, o Santa Maria, depois saíram dele.

  13. que crime meu deus.. q horror..quanto me doí ver isso… eu achei sem querer procurando inspiração para pintar..sou apaixonado por arquitetura.. e não entendo porque não preservam.. jogam fora assim tao fácil… o ser humano está perdido.. jogam fora pessoas..animais.. q dirá imoveis.. querem o futuro..mas esquecendo o passado não se tem futuro.. só posso chorar!!! obrigado! ainda bem q vc fotografou!! achei uns em minas tbm.. em Visconde do Rio Branco – Minas Gerais.. demolidos..mas não tem google street view lá 🙁

Deixe um comentário!

%d blogueiros gostam disto: