Armazém Antigo – Rua Bresser, 1224

Em um bairro que no passado foi tipicamente operário, muitas das construções da região são remanescentes deste período. E o bairro do Belenzinho, tal qual seus vizinhos Mooca e Brás, é repleto de galpões que no passado deram abrigo as mais variadas fábricas e que empregavam muitos operários.

Este enorme galpão da Rua Bresser esquina com a Rua Coimbra, não é diferente. A construção de 2777 metros quadrados está há muitos anos fechada. E há algum tempo ostenta uma placa de vende-se.

O destino de um galpão deste ao ser vendido não são muitos. As opções geralmente giram entre ser demolido e dar lugar a novos prédios ou a tornar-se mais um estacionamento. Dificilmente quem compra um galpão quer mantê-lo como está, especialmente em uma cidade como São Paulo, cujos espaços nobres para a construção tornam-se cada vez mais raros.

No entanto, muitas vezes não há o que de fato se preservar, e manter um galpão como este em pé não seja talvez a melhor das opções. O quadrilátero compreendido pelas Ruas Bresser, Coimbra, Rua Marajó e Vinte e Um de Abril há muito tempo está degradado, com muito lixo nas ruas devido ao serviço de varrição ineficiente e outros galpões fechados no entorno que também trazem deterioração. É possível conferir em algumas fotos abaixo a presença excessiva de lixo no entorno do imóvel.

Talvez um novo empreendimento no local seja benéfico para a recuperação desta área. No passado o imóvel foi sede da empresa Ultraprint, que mudou-se para outro bairro paulistano.

Atualização – Abril/2013

Por algum motivo (evitar o tombamento, talvez ?) o imóvel teve sua bela fachada de tijolos coberta por cimento e ficou muito esquisito.

Confira mais fotos do galpão (clique na foto para ampliar):

Compartilhe este texto em suas redes sociais:
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Siga nossas redes sociais:
pesquise em nosso site:
ouça a nossa playlist:

9 respostas

  1. Este galpão pertenceu à UltraPrint , que hoje tem matriz na Barra Funda.

    1. A informação é verdadeira, era uma grafica grande que tinha tambem o escritorio quase em frete no 1197 um edificio baixo.
      Ultraprint

  2. pq não fazem como na região da joli….dividem esse galpao em diversas lojas sem ter interferencia na fachada acredito que seria sucesso de vendas e não teria que mexer externamente em nada. Ai daria um ótimo shopping.

  3. Esse galpão em 1966/7 abrigava a Fábrica de cigarros Flórida; o quarteirão e imediações recendiam aos odores do fumo numa determinada etapa da fabricação.
    É uma construção interessante, poderia ser arrendada para um shopping ou um outlet como foi realizado com a tecelagem dos Crespi na Moóca, o prédio com as frentes para a Rua Taquari e Javari foram restauradas. Confiram.

  4. Bom. como carioca, fica dificil situar a geografia do lugar em relação a outros bairros, mas pelo que entendi além deste galpão, tem outros, também vazios e nessa área esvaziada de serviços públicos minimos, como a retirada do lixo, por exemplo., são os mesmos proprietários, são todos diferentes? Eles tem algum interesse que não seja livrar-se do imóvel? Não sei se cabem as perguntas, mas o sentido é juntar pessoas, idéias, para restaurar estas construções e dar um destino a elas e ao entorno um valor novo sem perder sua história.,

  5. O “quadrilátero” não comporta a Rua 21 de Abril, mas sim a Dr. João Alves de Lima, onde morei até 1972.

  6. Fopi pintado e parte dele virou estacionamento…já não é mais tão belo…

Deixe um comentário!

%d blogueiros gostam disto: