Passarela da Rua da Mooca

Construída ainda no século 10, a passarela da Rua da Mooca é um marco do estilo inglês que caracterizou as construções ferroviárias na cidade de São Paulo.

Porém, como não está em um local de tanta visibilidade a bela passarela sofre com o abandono e esquecimento do poder público. Repleta de focos de ferrugem, alguns até bem grandes, a passarela agoniza e espera por dias melhores.

Veja mais fotos (clique para ampliar):
Crédito das fotografias: Wilson Natale

Compartilhe este texto em suas redes sociais:
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Siga nossas redes sociais:
pesquise em nosso site:
ouça a nossa playlist:

10 respostas

  1. Caro Wilson. Fico muito feliz em saber que mais pessoas estão percebendo esse grande acervo a céu aberto que existe na Mooca. Pelo que soube, há um tempo atrás, o pessoal da Associação Brasileira de Preservação Ferroviária – ABPF, que tem uma unidade no Memorial do Imigrante, estaria “responsável” pela manutenção do local, e a passarela foi apontada por nós, alguns moradores com espírito de preservação, como passível de tombamento no DPH. Taí uma boa tarefa para os preservacionistas: cutucar esse pessoal que nada fez até então.
    Parabéns pelo achado.

  2. Essas passarelas, importadas da Escócia e da Inglaterra, foram colocadas ao longo da linha da SPR, São Paulo Railway (EFSJ e RFFSA).
    Já vinham prontas, eram montadas aqui e ainda há remanescentes delas desde Santos até Jundiai.
    São a cara das ferrovias inglesas e sobrevivem até hoje no Reino Unido e aqui.
    Vários livros contam a história dessas passarelas como o livro Arquitetura do ferro no Brasil.
    Não sabia que a ABPF havia se responsabilizado por essa passarela.

    1. Caro Elias. Realmente um patrimônio que merece preservação.
      Você é o ELIAS VIEIRA que conheci em 1968, na cidade de Itararé?

  3. Que eu saiba essa passarela não é de responsabilidade da ABPF. A ABPF tem feito diversos trabalhos no Memoria do Imigrante com respeito a preservação ferroviária e caso a passarela seja de responsabilidade dela pode ter certeza que não foi esquecida, mas certamente ainda não se obteve os recursos necessários para uma restauração adequada.

  4. Essa passarela da Rua da Mooca, atravessei muito ela quando morei no bairro. Na época tinha que tomar cuidado ao atravessá-la por conta de alguns “trombadinhas” que circulavam por ali. Na época a passarela junto ao muro que separava a via férrea foi apelidada de “Muro da Vergonha” por conta da sujeira dos moradores de rua deixavam justamente por onde os pedestres passavam. Realmente é uma bela arquitetura em ferro à moda inglesa, achava ela mais bonita quando era pintada na cor vermelha na época da RFFSA/SPR. Infelizmente aos poucos nossos monumentos estão sendo largados e degradados.

  5. Sim, sou eu…reconheci o seu estilo inconfundível de escrever que revela uma paixão pelas ferrovias… Itararé não tem mais trem, mas ainda existem Jussara, a estação em estilo inglês e a Rua Newton Prado…apareça para um cafezinho!

Deixe um comentário!

%d blogueiros gostam disto: