Edifício Mina Klabin

O modernismo está presente na arquitetura paulistana através das obras de alguns dos mais renomados arquitetos do Brasil e do mundo. São estes nomes que principalmente a partir dos anos 1930 começaram a transformar a paisagem da cidade. Arquitetos como Rino Levi, Flávio de Carvalho, Oscar Niemeyer e também Gregori Warchavchik.

E é deste último nome o prédio que falamos aqui:

Localizado no número 1003 da Alameda Barão de Limeira, no bairro de Campos Elíseos, o edifício Mina Klabin foi uma de suas grandes obras espalhadas pela cidade, inaugurada no ano de 1939. O arquiteto também projetaria anos depois (em 1954) outro prédio no mesmo bairro, bem maior, que é o Edifício Cícero Prado, na Avenida Rio Branco.

Considerado bastante arrojado para a sua época, em sua estrutura foram utilizadas lâminas de concreto armado, ao invés das então usuais colunas. Trata-se de uma construção robusta, de linhas sóbrias e com grandes janelas. O prédio possui 5 pavimentos com dois apartamentos por andar, sendo um à frente e outro ao fundo, além de dois apartamentos no piso térreo.

Por muitos anos o famoso edifício de Warchavchik esteve em péssimo estado de conservação, algo infelizmente bastante corriqueiro em muitos edifícios do centro paulistano projetados por arquitetos consagrados. Quem passava pela região encontrava o edifício nesta situação:

O edifício em 2010 – Foto: Douglas Nascimento / São Paulo Antiga

Entretanto, em 2012 começou a ser recuperado com um amplo e rigoroso trabalho de restauração, tocado pelo neto do arquiteto Carlos Warchavchik. O resultado do projeto, concluído em 2013, pode ser conferido abaixo:

Crédito: Douglas Nascimento / São Paulo Antiga

Tão logo foi recuperado as unidades foram colocadas à venda e rapidamente vendidas, mostrando o quanto um bom trabalho de recuperação e retrofit podem ser vantajosos para proprietários e investidores.

 

Veja mais fotos do edifício após concluído (clique para ampliar):

Veja fotos publicadas na extinta revista Acrópole (clique para ampliar):

DADOS TÉCNICOS (agradecimentos a Carlos Warchavchik):
Período: 1938
Área total: 430 m²
Área construída: 974 m²
Andares: 5

Saiba mais sobre Gregori Warchavchik:

Compartilhe este texto em suas redes sociais:
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Siga nossas redes sociais:
pesquise em nosso site:
ouça a nossa playlist:

46 respostas

  1. Este edifício será revitalizado, está em fase de projeto, as obras se não já começaram, começam em breve!

  2. As imagens estão desatualizadas, felizmente. Herdeiros do próprio Warchavchik estão restaurando o edifício desde dezembro de 2010. Depois de uma ano de obras, a cara do predinho já deve ser outra…

    1. As imagens não estão desatualizadas, foram tiradas há pouco mais de 1 semana. E passei hoje por lá e está na mesma, por fora. Se estiverem reformando, por enquanto estão fazendo primeiro por dentro.

    2. Ele está mais ou menos assim ainda, Vinícius. Passei na frente dele na quarta. Só não vi a bandeira do Curíntia… Mas espero, mesmo, que o prédio seja reformado. O projeto e a qualidade da construção são bons demais para deixá-la às traças!

  3. Puxa, quando vi a foto meu coração pulou. Eu fiz um trabalho de História da Arquitetura exatamente sobre este edifício no primeiro ano da FAU! Warchavchik construiu o prédio para a mulher dele, Mina Klabin Warchavchik, muito provavelmente para alugar os apartamentos. Havia antes um recuo com jardim, que desapareceu quando a rua Barão de Limeira foi alargada. O prédio é de padrão simples e as unidades não são grandes – os da frente tem dois dormitórios e os do fundo, um – mas os quartos tem 3X4m limpinhos, dimensões impensáveis mesmo para apartamentos de alto padrão hoje. Detalhe: justamente por causa do método construtivo de lâminas pré-fabricadas, as paredes não tem ressaltos, aqueles “dentes” onde normalmente teríamos as colunas. E é um prédio muito bem construído, de linhas elegantes – o terraço curvo confere charme e movimento à fachada – e sim, belíssimo em sua simplicidade. Aí eu pergunto: o que é luxo, afinal? É a arquitetura simples, mas com bom projeto, como preconizava Warchavchik – nada de ornamentação: a beleza do edifício é reflexo de sua funcionalidade e projeto – e dimensões dignas, ou um mega condomínio com nome pomposo e estrangeiro, cheio de “espaço gourmet”, piscina, sala disso, lounge daquilo para que o morador possa fugir um pouco do cubículo que comprou?

    1. Espaço gourmet, lounge, espaço fitness, espaço barbecue, espaço childrenplay, espaço carpark, espaço space, espaço swimming é tanto espaço que sobra pouco pro apartamento. Por isso são tão pequenos.

      E aqueles de três ou quatro suítes, que o cara tem que entrar no “espaço banho” já posicionado corretamente?

      1. E ai do indivíduo se pesar mais de 90 kg! Vai precisar se pendurar no teto para tomar banho.

  4. O que mais dói em São Paulo, depois das demolições, é ver edificios inteiros, que poderiam ser bem utilizados, sendo jogados as traças. Isso porque temos um defcit habitacional e de salas comerciais.

  5. É um uso tão irracional do espaço urbano! Precisamos fazer alguma coisa.

  6. que legal morei a muitos anos na barão e sempre curti muito o predio ja sabia de sua importancia e fico feliz com a sua recuperação pela familia proprietaria trabalho tb com recuperação de patrimonio e muito me emociona estas iniciativa parabens aos proprietarios deste que e o mais bacana edificio da barão

  7. O prédio foi desocupado para receber uma reforma completa tanto da estrutura fachada e espaços internos. Em breve vocês terão outra imagem para mostrar.

  8. Douglas, passei em frente ontem e está quase pronta a reforma! Nem parece o mesmo prédio!

  9. Está em fase final de restauração, todo original, e já foram vendidas todas as unidades para pessoas que reconhecem o valor histórico e arquitetônico…. ótima notícia!

  10. Como a reforma já está em fase final seria interessante conversar com os donos e tirar fotos dele internamente, ou pelo menos de como ficou a fachada!

  11. Sempre adorei este edifício, moro perto e sempre passo em frente. Felizmente ele foi totalmente reformado e está uma beleza, merece nova foto, pois é um raro caso em que a memória da nossa cidade não é destruída.

    1. olá Felipe, vou vender o apto 10 (fundos). é um “studio” de 60m2. Sou o Carlos Warchavchik (quem fez o restauro). Penso em alugar o apto 9 (de frente, c/ 2 dorms)

        1. eu não tenho boas fotos internas, preciso fazer isso ainda. Ainda tem restos de obra, papelão protegendo o chão, etc

  12. Conseguir comprar um apartamento no 5º andar de frente pra rua, pois sou amigo dos proprietários… estou aguardando a reforma para colocar pra alugar. Abraços!

    1. ÓXENTE ATÉ TU POR AQUI, JOÃO!!! POIS É, MUITO BACANA QUE NOSSO TRABALHO FOI RECONHECIDO, ESSE BLOG É MUITO BACANA.

  13. que delicia ver o barão de limeira restaurado,tb morei na rua e curtia muito o prédio,parabéns carlos pela linda restauração,se tivesse dim dim disponível comprava um apê kkkkkk,viva para sempre GREGORI WARCHAVCHIK!

  14. Olá pessoal,

    O objetivo do São Paulo Antiga é contar a história da cidade e não para funcionar como um balcão de negócios.
    As mensagens de compra e venda foram removidas pois divergem de nossa proposta. A partir desta mensagem não serão liberados nenhum comentário que perguntem preços, venda, aluguel etc.

    1. acho que entendo seus motivos, mas discordo da decisão. diversos comentários deixados em diversos posts expressam interesses pelos imóveis que vão além do histórico. querer adquirir um imóvel para aluguel ou venda é também uma forma de desejar preservá-lo e valorizá-lo, afinal, poucas coisas são mais preciosas em que o local em que moramos. o blog ganharia muito mais que perderia com estas trocas entre proprietários e interessados nos imóveis, principalmente em relação àqueles abandonados e sujeitos à demolição. ele poderia servir como um canal e um ponto de encontro entre estas duas partes, vejo que muitos benefícios, não apenas de ordem individual, poderiam surgir de tal troca. mas enfim, o blog é seu, e a decisão é sua.

      de qualquer forma, parabéns pelo belo trabalho 🙂

      1. Erica,

        Não é justo permitirmos negócios em nosso espaço se não ganhamos nada com isso. Temos uma dificuldade financeira imensa para manter o site no ar.
        Quem tiver interesse em anunciar, terá sempre os anúncios liberados. Infelizmente já se vai muito tempo que nossas contas não fecham e temos um risco grave de ter de remover o site do ar em março por falta de recursos.

        Normalmente perguntas sobre preços, compras ou vendas nem sequer são liberadas nos comentários. Fiz uma exceção por se tratar de um prédio que conheço as pessoas responsáveis pelo restauro e só encerrei o tema após todas as tratativas serem concluídas.

        Abraços e obrigado por comentar.

        1. são razões válidas, Douglas. há diversas formas de se conduzir um blog e certamente a minha seria diferente da sua. obrigada pela resposta. espero que o blog continue muitos anos por aqui. descobri-o apenas ontem, mas pretendo passar muito tempo explorando. é um belo trabalho, de verdade.
          um abraço,

    2. Olá pessoal, concordo com o Douglas. Inclusive, acho uma indiscrição falarmos de assuntos comerciais assim abertamente. Peço desculpas a voce Douglas, mas eu precisava responder à pessoa interessada. Abraços

      1. Imagina Carlos, espero que tenha dado certo. Nos próximos eu encaminho direto pro seu email sem passar pelos comentários.
        Acho que fica até mais seguro para os dois lados de eventuais transações.

  15. Ola,
    O edificio Barao de Limeira é lindo!
    Eu comprei um apartamento em um prédio redondo localizado na esquina da rua Pamplona com a rua Itapeva. Apos a compra, alguem me falou que o projeto do prédio era do Gregori Warchavchik.
    Alguém por acaso sabe me dizer se é verdade?
    Obrigada!

    1. olá Maria, vi agora esse predinho no Google, lindo predio! Parabéns pela compra. Nunca ouvi falar desse prédio, não creio que seja de Gregori Warchavchik.
      De qq forma mandei darem uma olhada no catálogo nosso pois havia algo dele na Pamplona.

      1. Ola Carlos,
        Muito Obrigada pela resposta e por pesquisar sobre o prédio. Ele é realmente super charmoso, iluminado, com o pé direito alto e paredes arredondadas.
        Se descobrir algo ficaria feliz em saber!
        um abraço

        1. Olá Maria, vasculhamos nossa listagem aqui e não encontramos nada mesmo de GW na Pamplona. Tente pedir ao síndico alguma planta, na prefeitura eles também tem dados (no Arquivo Histórico, no Anhangabaú), mesmo se o síndico/ zelador não encontrar o alvará de construção ou “Habite-se”, pelo numero do contribuinte constante no carnê do IPTU vc deverá conseguir alguma coisa lá no arquivo. Tem que solicitar pelo site. Se houver interesse posso tentar de ajudar. abraço!

  16. Alguém tem fotos internas do prédio? Eu estou escrevendo um livro e me inspirei neste prédio para descrever o apartamento de uma das personagens. Ficarei muito grata!

  17. Conheci agora o site, bacana saber que este charmoso edifício foi restaurado. Morei na Alameda Nothman entre 1993 e 1995 e lamentava o estado em que se encontrava tal edificação ! Parabéns pela preservação !

  18. Douglas, que bela reportagem, parabéns a você e ao arquiteto Carlos Warchavchik! A cidade de São Paulo hoje, em sua área central, está se transformando num cemitério de edifícios abandonados. Áreas muito nobres em termos de infraestrutura (transporte, energia, água, esgotos) como o centro da cidade, foram abandonadas em benefício de um crescimento absurdo de novas e longínquas áreas urbanas, que demandam mais e mais investimentos em infraestrutura, pressionando as combalidas finanças públicas. Seu texto mostra que a recuperação do centro de São Paulo é viável, mas é preciso que os paulistanos exercitem o direito de melhorar a sua cidade. Uma ideia seria isentar de impostos projetos de recuperação da enorme quantidade de prédios abandonados no grande cemitério central e taxar fortemente novas iniciativas longínquas que demandam os cofres públicos para construção de novas e caras infraestruturas urbanas.

  19. Nossa que saudades eu morei nesse predio ate 1995 desde pequena tenho fotos na sacada
    Nos moravamos no 3 andar apto 07 o elevador parecia aquele do antigo mappin
    Minha avó e meu avô moravam no apto da frente que era de 1 quarto o nosso era de 2
    Em 1995 saimos e nos modamos para o fim da Barão de Limeira
    Muitas lembranças muitas saudades de tudo que vivi ai muitas historias e muits amigos
    Saudades me deu agora

  20. Uma época de ouro na arquitetura brasileira, o estilo funcional se desenvolvia.

Deixe um comentário!

%d blogueiros gostam disto: