Chácara Sudan (Sabbado D´Angelo)

O bairro de Itaquera na zona leste de São Paulo, é uma região da cidade bastante movimentada e populosa e que está em um ritmo de crescimento bastante considerável, além de estar tornando-se foco de uma crescente especulação imobiliária principalmente após a Copa do Mundo de 2014 e com a inauguração mais ou menos na mesma época da sede do novo estádio do Corinthians.

Vista aérea feita de drone da Chácara Sudan, onde pode ser visto o palacete principal e, mais ao fundo, a casa de hóspedes (clique para ampliar)

Assim, fica difícil imaginar uma Itaquera tranquila e bucólica, mas ela existiu até algumas décadas atrás. E para morar por aqui ou você praticamente ficava na região isolado, trabalhando nas chácaras das imediações (como nas plantações de pêssego, por exemplo) ou locomovia-se através do trem (a estação de Itaquera foi inaugurada em 1875) ou ainda, se fosse muito rico, valia-se do automóvel. O que era o caso de alguns poucos, como do industrial Sabbado D`Angelo.

Bem sucedido empresário do ramo do tabaco, Sabbado D`Angelo fez fortuna criando uma das mais célebres e notórias indústrias brasileiras de cigarro, a Sudan. Seus cigarros eram dos mais consumidos na São Paulo antiga e algumas de suas marcas eram sinônimos de enorme sucesso de vendas, como o Leônidas, que homenageava o então jogador de futebol Leônidas da Silva, cujas embalagens atualmente são disputadas a tapa por colecionadores.

Embalagem dos cigarros “Leonidas” um produto SUDAN

Apesar de toda sua imensa fortuna, o empresário não optou por viver apenas nos óbvios logradouros da elite paulista do início do século 20, como as avenidas Paulista e Brigadeiro Luis Antônio ou mesmo a região de Campos Elíseos. Sabbado D`Angelo vivia uma parte considerável do seu tempo bem longe dali e de sua indústria, na então aprazível e distante Itaquera.

Sabbado D’Angelo em fotografia do jornal Diário da Noite

Itaquera era uma região estritamente rural com grandes chácaras que plantavam de tudo, especialmente pêssegos. O córrego do Jacú, hoje um esgoto a céu aberto, era limpo e atendia os moradores da região. E foi em um lugar assim, numa região que hoje nem parece ser o mesmo lugar que conhecemos, que viveu o industrial paulista e amante do automobilismo.

Quando Sabbado D`Angelo faleceu, em 1938, deixou em testamento que sua residência de Itaquera, a Chácara Sudan, deveria ser destinada para um estabelecimento hospitalar ou de educação profissional. Tal anseio seria atendido somente em 26 de maio de 1945  quando através de escritura pública, sua viúva criaria a Fundação Anita Pastore D’Angelo através de um fundo de 8 milhões de cruzeiros, sendo parte em ações da Sudan e parte em dinheiro.

Fachada do palacete que fica dentro da Chácara Sudan (clique para ampliar)

Entretanto, em algum período que desconhecemos, o imóvel passou para o controle da instituição católica TFP (Tradição Família e Propriedade) que passou a administrar o local e realizar eventos religiosos ou relacionados a sua causa. Durante o período que o imóvel pertenceu à TFP passou a ser chamado por seus seguidores de Jasna Gora, alusão a Nossa Senhora de Jasna Gora, padroeira da Polônia.

Com a morte de Plínio Corrêa de Oliveira, grande líder da TFP, a entidade religiosa passou a sofrer uma séria crise interna, e desde então o imóvel passou a ter cada vez menos frequência e atividades, hoje aparentando estar desativado, embora preservado.

Nos anos mais recentes é comentado que com a cisão na TFP o imóvel foi vendido (ou repassado) para outra instituição conservadora chamada Aliança de Fátima. Fato é que vendida ou não o imóvel segue num impasse sem qualquer tipo de atividade, sendo preservada por caseiros que residem na casa de empregados da antiga chácara, no lado esquerdo da propriedade.

Na fotografia acima é possível ver a inscrição “Sudan” no centro da escadaria. Marca está presente em todas as escadas externas do palacete (clique para ampliar)

ENFIM, PATRIMÔNIO HISTÓRICO PAULISTANO

De 2010 para cá, com uma crescente valorização imobiliária de Itaquera, rumores de uma eventual venda e demolição da antiga residência de Sabbado D`Angelo tornaram-se frequentes.  Com receio de perder o principal patrimônio histórico do bairro, a população procurou políticos para lutar pelo tombamento definitivo da Chácara Sudan, evitando assim sua destruição.

clique para ampliar

Desde então foram protocolados diversos pedidos de tombamento para o antigo casarão.

Entre elas, a proposta do então vereador paulistano Juscelino Gadelha (à época no PSB) que além do tombamento como patrimônio histórico municipal, destinaria a área para atividades estritamente culturais, como biblioteca, cinema, anfiteatro e acesso à internet.

Contudo o vereador não se reelegeu e com sua saída da Câmara Municipal o projeto estagnou-se. A ideia de tombamento somente sairia do papel em 2009 após um novo pedido de tombamento, desta vez pelo estadual Condephaat, solicitado pelo então Secretário Municipal de Coordenação das Subprefeituras de São Paulo Andrea Matarazzo.

Desta vez o pedido foi atendido e o imóvel, uma jóia rara no coração de Itaquera, foi tombado como patrimônio histórico. Apesar do tombamento o imóvel segue fechado, porém preservado, como é possível observar nas imagens de drone que fizemos em 23 de junho de 2022.

O palacete visto de cima, telhado está muito bem cuidado (clique para ampliar)

Na área que corresponde à chácara existem três grandes imóveis, que podem ser observados nas imagens mais abertas. Trata-se do palacete principal, originalmente a residência de Sabbado D’ Angelo, um palacete menor no fundo, lado direito, possivelmente para hóspedes e as dependências de empregados, hoje ocupada pelo(s) caseiro(s).

Existem outras construções que não puderam ser identificadas na imagens, devido à grande quantidade de árvores. Aparentemente são garagem e cocheira.

Seja lá qual for o destino da Chácara Sudan no futuro, uma coisa é certa. Até hoje ninguém honrou o último desejo do comendador em transformar o local em uma instituição cultural ou hospitalar, fruto da ganância dos homens que se escondem atrás de religiões para propósitos que muitas vezes não são os mesmos professados por Cristo. Quem viver, verá!

Na foto o palacete menor, localizado atrás da residência principal (clique para ampliar)

Veja mais fotos do casarão (clique na miniatura para ampliar):

Nota: Este artigo substitui o anterior, publicado originalmente em 2012. Os links originais foram mantidos para preservar a indexação e alguns comentários considerados úteis.

Compartilhe este texto em suas redes sociais:
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn
Siga nossas redes sociais:
pesquise em nosso site:
Cadastre-se para receber nossa newsletter semanal e fique sabendo de nossas publicações, passeios, eventos etc:
ouça a nossa playlist:

31 respostas

  1. O casarão tem seu valor histórico e cultural que é imensurável, além do serviço ambiental (lazer, absorção de águas da chuva, retenção de poluentes e umidificação do ar) prestado pelo jardim do entorno.

    É possível criar “entraves” para as construtoras através da área verde, inviabilizando a construção de pombais neoclássicos.

  2. Muito linda!

    Esta mais que merece ser tombada: bem preservada e aparentemente num contexto urbano ainda mais ou menos homogêneo.

  3. Nunca imaginei encontrar em Itaquera casarões assim…apesar de já ter visto no bairro casas muito antigas, talvez sedes de antigas chácaras.

  4. Douglas,
    Vi pelo google maps que nesta mesma rua dois quarteirões acima tem um quarteirão inteiro todo arborizado e não é praça nem parque. quem conhece a região sabe se é um casarão tb?

    1. Era outra chácara, que em breve falaremos por aqui. Mas a casa foi demolida tem alguns anos.
      Ainda amanhã mostraremos outra casa antiga de Itaquera, bem próxima a de Sabbado D’Angelo e que deveria ser preservada.

      1. Douglas, gostaria de saber se essa casa da qual vocês falarão é uma que fica ao lado da Estação Dom Bosco. Grato.

        1. Fica proximo sim, se passar em frente vai ver na parede um imagem de Nsa. Aparecida sempre tem alguma vela acessa em frente …

  5. Olá Douglas,

    Não é verdade que a TFP seja dona do imóvel. A dona do imóvel é outra associação, a Aliança de Fátima, que comprou da TFP. O assunto está na Justiça pois os atuais detentores do poder da TFP são contestatários que assumiram graças a decisões judiciais suspeitas. Mas não há como a TFP retomar o imóvel já que ele foi vendido e pago. A diretoria da Aliança de Fátima é do gênero TFP de verdade, não contestatária. Eles salvaram o imóvel de todas as “modernizações” do bairro, não seriam eles que, defensores da tradição, iriam acabar com aquilo. Não há o menor risco. Só se os contestatários tomassem legalmente aquilo é que haveria algum risco, mas é difícil. Esses rumores e projetos na Câmara mais parecem manipulações do que qualquer outra coisa.
    Já no assunto da outra chácara, ela nunca foi da TFP. Foi sempre alugada, como por muito tempo também o foi a antiga casa da Fundação Sudam, até que um simpatizante do movimento a comprou. As duas casas, repito, foram SALVAS por décadas pela antiga TFP de todas as destruições que o crescimento de SP provocou. Com a dissidência na TFP, o proprietário a vendeu. É um caso diferente da casa acima, que pertenceu a entidades. Nesse outro caso, era um particular o proprietário. O novo titular do imóvel pretendia, tanto quanto eu sei, implantar um projeto imobiliário no local.

    Abraço

    João

  6. eu lembrei da minha infância,quando passava na frente pra ir na casa da minha avó.Saudades.

  7. Nossa, há muito tempo atrás eu conheci essa casa, fui a algumas missas festivas da TFP, no Natal e no Ano Novo, por dois anos seguidos. À noite, a casa ficava lindamente iluminada, o jardim também, parecia que estávamos em um lugar parecido com o paraíso, de tão bonito que ficava. Foi lá que eu conheci dois príncipes brasileiros e o famoso Dr. Plínio, presidente da TFP, um senhor muito simpático e inteligente, além de muita gente de várias partes do mundo. Por dentro, a casa tinha lindos salões bem decorados, me lembro especialmente de um parquet de madeira super envernizado, parecia que tinha madeiras preciosas. No jardim, tinha uma fonte e um oratório de Nossa Senhora. Em torno da casa, 3 grandes pátios com escadarias como a da foto nos 3, mais um pátio pequeno no fundo, que dava para uma escadaria menor. Tudo muito bem cuidado pelos moradores, que eram umas 50 pessoas. Pelo que entendi, eles mesmos cuidavam da casa. Eu também lembro com saudades desse tempo.

  8. Conheço bem esta casa, pois já morei nela quando fazia parte da TFP. Trata-se de uma casa lindíssima, com um ar de bênção impressionante.

    Dentro dela existe uma paz, uma harmonia que não se encontra em lugar algum.

    Quem não conhece vale muito a pena conhecer.

    Muitas saudades desta casa lindíssima e abençoada. Pena que não está mais com a TFP, pois eles a mantinam com muita dedicação.

  9. Nascido e criato no bairro, hoje com 68 anos. Resido a menos de 1000 do dito palacete, por sinal ainda bem preservado. Lembro-me bem de quando, inicio da década de 6O, este imóvel foi ocupado pela TFP, que tinha como seu emulador o Prof. Orlando Fedeli, de quem fui aluno de
    sociologia no colegial. Ele arregimentou muitos adeptos e a entidade era crescente e dinâmica. Quer me parecer que os Arautos do Evangelho sejam seus sucessores ainda que não legais, pelos ideais que assume. Torço para que ocupem o prédio em alusão e revitalizem as atividades inerentes, a exemplo do que ocorre em sua casas análodas….

    1. Era uma dedicatória a invocação de Nossa Senhora de Jasna Gora, padroeira da Polônia.
      Logo que a TFP assumiu a casa e iniciou suas atividades no endereço, eles colocaram um oratório com o quadro da jaculatória.

      Sei disso, porque morei na casa por um tempo. Mas, depois que a TFP saiu, e o comando passou para a fundaçao Curso São João Bosco (nome fantasia para os Arautos do Evangelho, que são os atuais ‘donos’ da casa.)

  10. Neste espaço na década de 50, funcionou uma escola profissional, minha mãe e a sogra estudaram ali. Infelizmente parece que o negócio funcionava bem e como tudo que funciona neste país….acaba.
    Durante a minha infância, o “folclore” local dizia que ali era a “Sede dos Convertidos” e ninguém sabia exatamente o que acontecia por detras dos muros.
    Sempre tive curiosidade de entrar e conhecer este imóvel e assim gostaria muito que ele fosse preservado e aberto ao público.
    É…… mas como estamos na democracia brasileira, acredito que no final o imóvel será destinado para mais umas dez torres d’aqueles prédios horrorosos ou a filial itaquerense da cracolândia.
    De qualquer modo, precisando, estou disposto a ajudar no que for preciso pela preservação.

    Um abraço.

  11. Gente tbem. acho um pecado demolirem este casarão, que traz tantas histórias, por casualidade conheço a história da familia do comendador Sabbado D’Angelo, e tbem. os netos legitimos dele, infelizmente eles nunca receberão herança alguma, e até hoje não sabem onde foi parar esta herança….Esses herdeiros inclusive editaram um livro relatando toda história…porém não obtiveram êxito em suas investidas…à quem possa interessar o título do livro é: “HERDEI OS RESTOS MORTAIS DO COMENDADOR SABBADO D’ANGELO”

  12. Realmente, está estoria é verdadeira, se for a fundo tem muita coisa para ser contada, os verdadeiro netos de SABBADO D’ANGELO foram passado para traz pela sua esposa Anita Pastore ela teve a capacidade de adotar uma criança e colocar o mesmo nome da verdadeira filha de SABBADO D’ANGELO PARA PEGAR A HERANÇA DE SUA FILHA VERDADEIRA FILHA URSULINA e não tem ninguem para fazer JUSTIÇA, O UNICO QUE PODE RESOLVER ESTA PESSOA COM CARRATER É O MINISTRO JOAQUIM BARBOSA.

  13. Conheço bem esta casa, seus jardins, estudei nela, quando era uma escola profissional “Núcleo de Ensino Sabbado D’Angelo.
    Realmente tem que ser preservada . É um espaço lindo, grandioso que se prestaria muito bem para cultura. Só de pensar, que isso tudo pode cair nas mãos de quem só pensa em levantar torres, é muito triste. Tenho fotos do tempo da escola, inclusive ainda possuo a carteira de aluno. Suas escadarias , ladeando a entrada principal, muito linda. Se depender de voto para q isso seja preservado, restaurado, aqui tem o meu.

    1. Olá Miriam, tudo bem ? também fui aluno do Núcleo de Ensino Profissional livre ” SABBADO D’ANGELO, nos anos: 1965 / 1966 / 1967, quem sabe até estudamos juntos nesta época ! vou ligar o VIDEO TAPE da minha vida e tentar encontrar em minha infância esta época gostosa do passado . . . posso lhe afirmar que o que mais gostava era as aulas de TAQUIGRAFIA,
      que até os dias de hoje me acompanham com muito sucesso. Abrçs !

  14. Douglas Nascimento, quero parabeniza-lo pelo belíssimo trabalho e lindas matérias históricas de uma São Paulo inesquecível e tão distante, que só alguém sensível e inteligente como você, consegue nos proporcionar. Achei este site sem querer, acredite, moro próximo ao Galpão da Al. Eduardo Prado em Campos Elíseos, e tive curiosidade em saber o porque daquela construção exótica, e se no passado tinha sido uma fábrica ou o que. Para minha surpresa, achei a São Paulo Antiga. Através do site descobri tantas outras emoções e lembranças de anos tão distantes, porém vivos em minha memória e através de suas histórias e fotos, me deparei com a escola onde estudei em 1965 Sabbado D’angelo em Itaquera, ao ver as fotos do casarão, fui tomada por tamanha emoção que lágrimas rolaram. Tenho uma foto tirada lá ao lado de duas professoras, porém essa foto é de binóculo não dá para postar. Tantos outros imóveis conhecido por mim me surpreenderam, principalmente ao saber que moro bem próximo de um Palacete (passei centenas de vezes em frente e não sabia de sua existência, ontem fui vê-lo de perto e me impressionei com sua majestosa beleza) Obrigado por não deixar a história da nossa querida São Paulo antiga morrer.

  15. DOUGLAS
    Fiquei muito feliz em rever minha antiga escola DE 1.959 GINÁSIO ESTADUAL DE ITAQUERA ou Prof. Emília de Paiva Meira o Diretor na época o “Janista” Sr. LUIZ PERRONE, gostei de saber que o prédio continua conservado, a muitos anos não passo no local. Saudade dos colegas:- Fazano, Paulo Oller, Caravetti, Sheila ,Shirlei, Vera,Clarice (Alemã), Clarice (da V.Carrão), Joice etc..
    Parabéns pela reportagem
    Nelson Sábio Junior

  16. Bom Dia.

    Me Chamo Adans D’Angelo e gostaria de saber se vocês saberiam mais sobre o Sabbado D’Angelo, estava conversando com meus familiares, e uma tia disse que meu bisavô tinha um irmão com este nome Sabbado D’Angelo.

  17. Não há nenhuma pressão contraria da TFP. O problema como sempre é da Prefeitura e anexos.

  18. Nossos orgãos do patrimônio histórico provam cada vez mais sua incompetência e inutilidade, pois nossos patrimônios estão sempre sob risco, porque eles não se interessam pelos bens a ser preservados. Parece mais mesmo um mero cabide de empregos, pois sempre é necessário o povo reagir e fazer campanha pra que eles cumpram a sua função/obrigação e mesmo assim, olha lá. É uma constante. Não querem nada com trabalho, e o povo ainda é obrigado a remunerar os vivem de brisa e dinheiro público.

  19. As pessoas que ocuparam o imóvel na época da TFP, zelaram o imóvel com esmero. Ao contrário do que diz o artigo, não eram pessoas “gananciosas, cujos propósitos eram diferentes daqueles pregados por Cristo”. A TFP foi uma associação católica conservadora composta por pessoas valorosas, realmente católicas que lutam em defesa da civilização cristã. Caso a propriedade não fosse da TFP durante décadas, teria sido demolida há muito tempo e se transformado em um condomínio de prédios.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.