Casas de 1914 – Rua Bresser 638 a 640

A Rua Bresser de outrora não existe mais. Salvo algumas poucas exceções as casas desta rua foram quase que totalmente demolidas para dar lugar a pequenos prédios comerciais ou, no caso das que sobreviveram, a larga maioria foi adaptada para funcionar como ponto comercial. De ponta a ponta casas ainda sobrevivendo como residência são raríssimas.

Isso não significa que mesmo assim não seja possível encontrar fachadas antigas interessantes ali e acolá. É o caso destas duas, localizadas nos números 638 e 640 da Rua Bresser respectivamente:

clique na foto para ampliar

Já se vai muito tempo que estas duas casas construídas em 1914 deixaram de servir como residências. Entretanto, mesmo com as adaptações que sofreram para operarem como lojas suas fachadas foram parcialmente preservadas, deixando a metade superior de ambas intactas. Apenas as janelas de madeira foram removidas e trocadas por um vitrôs de ferro, mas pelo tipo delas essa troca já ocorreu há muito tempo.

Com um pouco de paisagismo, maior esmero na calçada e pintura frequente ambas as casas ficarão embelezando a já sem graça Rua Bresser por um bom tempo. Juntamente com essa linda árvore na calçada, bem no meio dos dois lotes.

clique na foto para ampliar
Compartilhe este texto em suas redes sociais:
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Siga nossas redes sociais:
pesquise em nosso site:
ouça a nossa playlist:

4 respostas

  1. Ás vezes, quando eu passo por essa região, muito me entristece a quantidade de retalhos de tecido espalhados pelas calçadas, indo parar por vezes nas ruas também. Como se sabe, essa vizinhança é repleta de oficinas de costura. Eu só não sei se os sacos com esses panos são colocados na rua para o coletor de lixo levar ou se são para alguém aproveitar ainda as “sobras” e levá-las consigo. O fato é que tudo se espalha por ali, da noite para o dia( já passei por lá bem cedinho, e lá estavam os retalhos de pano espalhados).
    Fora isso, que maravilhosos frontões idênticos, hein? O São Paulo Antiga bem que podia fazer uma matéria sobre esses adornos, como e por quem eram feitos, etc.

  2. Fachadas superiores parcialmente e razoalmente conservadas, mantendo características de adornos que dificilmente serão encontrados artífices que saibam reproduzí-los,

Deixe um comentário!

%d blogueiros gostam disto: