Casarão – Fábrica de Tecidos Labor

A região da Mooca é um dos mais citados aqui no São Paulo Antiga, principalmente pelo fato de ser um dos mais importantes bairros industriais da São Paulo de outrora. Entretanto, a grande maioria de suas fábricas estão hoje fechadas, já que migraram para outras cidades do Estado de São Paulo ou do Brasil e em alguns casos fecharam suas portas.

Crédito: Douglas Nascimento / São Paulo Antiga

A antiga Fábrica Tecidos Labor S/A foi uma destas gloriosas empresas do passado fabril da Mooca que fechou. Fundada em 1910, surgiu em uma mesma época que muitas outras indústrias têxteis já estavam operando no bairro, como o famoso Cotonifício Crespi (1897), e as conhecidas Alpargatas, Santa Celina e Três Irmãos Andraus, entre tantas outras.

Durante muito tempo esta fábrica empregou operários de toda a região, muitos deles imigrantes italianos que já estavam acostumados a operar  teares na Itália.

Na foto a linha de produção da Labor (clique na foto para ampliar)

A Fábrica de Tecidos Labor S/A também sentiu os efeitos das mudanças no setor industrial nas últimas décadas do século 20, mas não mudou-se para o interior ou para outro Estado, encerrou suas atividades, depois mais de seis décadas funcionando.

Com o fechamento da Labor, o local começou a sofrer degradação. Apesar do galpão fabril estar ainda bastante conservado, o principal imóvel do compleo, o casarão, está em estado de abandono e bastante deteriorado por dentro e por fora.

Sua entrada frontal e alguns gradis foram emparedados, impedindo uma boa visão da parte térrea da fachada por quem passa pela rua da Mooca. O único acesso ao imóvel é pelo belíssimo portão lateral, que estampa o brasão da antiga empresa.

Na imagem, o lindo portão lateral.
Na imagem, o lindo portão lateral.

Apesar do péssimo estado de conservação da fachada, o interior do casarão está conservado. Tivemos  acesso ao interior do imóvel e trouxemos algumas fotos.

O imóvel tem um tombamento mal planejado. Por estar tombado não só o casarão mas também todo o galpão, dificulta qualquer iniciativa de restauro, recuperação ou mesmo de utilização da construção. Mesmo estando à venda, não conquista interessados. Não seria o caso de destombar o galpão e permitir sua venda independente do casarão ? Apoiar e defender o patrimônio histórico e sua preservação não pode ser feito às custas de manter os proprietários reféns de seus imóveis.

Confira as fotos externas (clique na imagem para ampliar):

Confira fotos internas (clique na imagem para ampliar):
Crédito: Gabriela Gonçalves

Compartilhe este texto em suas redes sociais:
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Siga nossas redes sociais:
pesquise em nosso site:
ouça a nossa playlist:

51 respostas

  1. Olha, eu entendo que esses casarões estejam abandonados, mas o que não entendo é que não se dê um uso a eles. Na rua da Mooca, nao deve ser facil de alugar mesmo comercial e tambem de vender, pois predio ali… sei não. O certo seria dividir a casa em 2 ou 3 internamente, colocar vedacoes de som (janelas por dentro para nao estragar as persianas e janelas originais) reformar e vender como apartamentos. Se eu fosse dono de uma casa dessas, certamente faria isso. Ela é linda e charmosa.

    1. Moradia acho que não, mas concordo com vc. Precisa ser usada.
      Daria uma ótima escola, creche ou coisa assim.
      Na mão do Senai seria um prato cheio…
      Ou mesmo uma escola particular, de ingles, informática, sei lá.

  2. Muitas destas construções poderiam servir de moradia para muitas pessoas que não tem onde morar. O patrimônio histórico está se perdendo, caindo aos pedaços, e parece que muita gente pouco se importa com isso. É a história de uma cidade, que aos poucos vai sendo perdida.

  3. Nesses galpões desta antiga fábrica eu lembro da fábrica de lenços Presidente e em outra parte dela na Rua da Mooca funcionou a fábrica de etiquetas adesivas Torres.

  4. Esse é um dos belos prédios da Mooca que não pode ser perdido para a demolição. Entendo que o terreno seja vendido, é um direito dos herdeiros, mas que o casarão seja preservado como foi a Casa das Rosas. Precisamos continuar lutando pela preservação da nossa história.

  5. Pois é, deu no Estado hoje que este ai infelizmente já foi demolido. O revoltante é que ninguém paga por isso. Não vai dar em nada e a construtora responsável pela demilição, a Lampur Engenharia e a W/A Empreendimentos, ainda vai construir o seu empreemdimento e encher as burras de grana. Canalhas.
    É uma pena, São Paulo fica cada vez mais feia.

    1. João,
      Felizmente este casarão da foto está se degradando mais encontra-se, no local, ele não foi demolido, este casarão está na rua da mooca.Sendo invadido, por moradores de rua, passadores de fumo, etc… mas está lá.

  6. essas fotos não são desta época, janeiro de 2009, pois eu frequentava o “fabrica 5”, dançeteria que é do lado, e essas casas já estavam demolidas, me lembro que o pessoal dos Valet´s gardavam os carros dentro deste lugar.
    Creio que esta tentativa de preservação veio um pouco tarde, é sempre assim o governo, espera, acontecer, no caso demolirem, para depois tomar providência. Isso já deveria ter sido desapropriado e virado museu ou realmente preservado, agora, quem esta querendo encher as burras é o governo multando, e sempre assim, só querem saber de multar, para encher os cofres…..

    1. Gustavo,

      Você deve estar se confundindo pois estas fotos são do finalzinho de 2009 (dezembro) e foram publicadas em janeiro.

      O casarão continua lá por enquanto.

      1. Fala galera, algum de vocês sabe se é de boa fotografar lá? Estou produzindo um ensaio e acredito que lá pode ser uma boa locação,existe algum vigia ou algo parecido?

        Percebi em uma das fotos que o portão da rua esta aberto é assim mesmo?

        Um grande abraço a todos.

  7. Lindo Casarão! Se restaurado ficará um show! Imagine quantas pessoas não passaram por aquelas portas, quantas historias não aconteceram alí? Um lindo postal que deveria ser preservado sem duvida!

    1. nossa… esse imóvel é lindo por dentro.
      Gostei muito do clipe e da banda também!!!!

  8. queria saber como esta esse local nessa epoca tenho saudades de qndo eu ia ai fabbrica 5

    1. Trabalhei na Tecelagem Labor, e preciso saber como
      posso localizar um dos herdeiros desta tecelagem,
      para comprovação que trabalhei ali, pois perdi a
      Carteira Profissional, se puder me ajudar.
      Grata
      Ana

      1. Ana,

        estou fazendo um estudo sobre a fábrica Labor e tenho o contato dos herdeiros. Mas gostaria de conversar com você sobre a história da fábrica, já que você trabalhou lá. É possível?

        Atenciosamente,

        Adda

        1. Ola…
          estou fazendo uma producao e gostaria de usar como locacao a fabrica …. vc tem algum contato que possa me ajudar nesse sentido….

          tenho urgencia
          89251142

          Grata

        2. Olá Adda, você poderia me passar o endereço dos herdeiros? Estou tentando locar o lugar para poder gravar lá
          Dentro

  9. trabalhei muito próximo deste local no começo deste ano. as construções abandonadas desse pedaço, principalmente da rua da mooca, me fascinaram a ponto de também fazer alguns registros fotográficos e procurar saber um pouco mais da situação atual. tentei de algumas maneiras acesso mas não consegui. o máximo que deu foi falar por telefone com um advogado que me informou que a família não permite mais acesso, apenas a interessados em comprar/alugar. no imóvel tem vigia 24hs, o que pelo impede invasões. e também fui informado que quem comprar poderá no máximo restaurar, pois o imóvel foi tombado e a demolição e alterações não são permitidas.

  10. Infelizmente não dá pra tombar tudo. Esse prédio parece ter vocação pra centro cultural ou secretaria de alguma coisa. Mas nem tudo pode virar centro cultural. Qual é a situação atual desse imovel?

    1. Peterson, acabei de entregar o meu tcc e projetei uma nova unidade do SESC, restaurando o local. Pelas minhas pesquisas ainda está em estudo de tombamento e o processo totalmente parado por empasses judiciais, principalmente por conta dos proprietários que não querem que o local seja tombado, pois dificultará ainda mais a venda.
      Uma pena..

  11. Morei no quarteirão vizinho, praticamente passava todo dia na frente desse edificio, desde o inicio da década de 80. Desde aquela época teve essa aparencia, mesmo com empresas utilizando o local, como por exemplo a Pado Cadeados. Toda a fachada em tijolo aparente.
    Infelizmente, com esse abandono definitivo, logo logo vira pó; e no local surge um novo empreendimento. Lamentável.

  12. Poxa!!! não restaura então passa pra frente o imovel pra quem tem condições de dar o devido valor a essa obra!!! Não é possivel que nao tenha comprador! Pelo amor de Deus não derrubem!!!! Em outros paises é proibido derrubar patrimonio… aqui no Brasil é uma Ptaria!

  13. lindo conjunto,quando os investidores veram o potencial economico de recuperar estes conjuntos,ah estado quando fomentara a preservação do patrimonio,as eleições estão chegando devemos questionar atraves do site quais as propostas dos canditatos p a questão.

  14. Como sempre, Douglas nos surpreendendo com mais uma de suas belas matérias.
    Sou admiradora assídua dessas maravilhas. Não concordo com Evandro, em partes é claro. Se puséssemos tais construções como esta para servir de abrigos a pessoas que não tem onde morar, seria fatal. Pois acredito eu que, hoje em dia como existem muitos andarilhos, que já até podem estar usufruindo deste imóvel, daqui há 01 ano, esta casa não existiria mais, porque eles são os principais causadores da demolição, pelo mal uso. Sou a favor do tombamento histórico, esses imóveis deveriam ser conservados, restaurados e transformados em algo útil para a humanidade. Parabéns Douglas.

  15. Foda….. Agora prestem atenção na Vergueiro, tem uma casa muito bonita e em bom estado que recebeu tapumes em sua frente com nome de uma construtora… fica ali proximo ao Centro Cultural…. Sei não!!!! :S

  16. Lamentável, nossos governantes deixarem
    um Patrimônio destes se acabar!
    Infelizmente, este Pais não tem memória! E
    se continuar assim, não vai ter mais História.

  17. Esse trecho todo é ótimo. Facil acesso ao centro, marginais, litoral, ABC, transporte pra todo lado, boas escolas (Firmino+Senai+CamargoAranha+São Judas+AnhembiMorumbi), comercio (Brás+Shoppings).
    Só que está totalmente abandonado. Parece uma cracolândia !
    É preciso reagir e criar lá algum tipo de incentivo para que a evolução cheque. Pq a especulação imobiliária não adota o trecho ??? Vamos contruir prédio onde não tem e não superlotar sempre o mesmo lugar… Só não adota pq é feio. E é feio pq ninguem adota… Podia ter pelo menos uma campanha da prefeitura pra ajudar a restaurar fachadas e calçadas dessas construções antigas.

  18. nossa da uma dó! ver essa casa nesse estado… ô gente alguém faça alguma coisa, olha este portão e as janelas como são maravilhosas, os jovens de hj que estudam precisam fazer uma visita num local historico como este , daqui um tempo não vai ter locar pra um aluno voltar no passado e ver suas origens.

  19. É exatamente o que eu imagino quando vejo estas fotos e leio as reportagem Karin Peixoto.Nas pessoas que viveram ali e nas histórias delas!!

  20. Local extraordinário, deveria ser restaurado e preservado sendo um ponto cultural, salas de teatro pista de skate, etc…

  21. Na minha opinião como arquiteto, a pior opção seria destombar. A parte central da cidade se torna cada vez mais alvo da especulação imobiliária, as pessoas estão voltando a desejar o centro da cidade. Existem inúmeros projetos urbanos na região. Aposto que se esse imóvel fosse destombado, ele viraria uma enorme condomínio de 3 torres, com varandas “gourmet” no mais belo estilo neoclássico. Existem inúmeros exemplos ao redor do mundo, principalmente na Europa, de como dar um novo uso a uma arquitetura histórica, como a da Fábrica Labor, nem muito longe precisamos ir para aprender sobre o assunto, o Sesc Pompéia da Lina Bo Bardi é um grande exemplo para todos nós. A fábrica é uma manifestação concreta de uma memória, de uma sociedade, de um pedaço do que um dia foi o bairro. Tombamento não anula o restauro, pelo que sei é o contrário. Deve haver alguma maneira de os proprietários reverterem essa situação, na verdade eu acho que nesses casos o Estado deveria ser mais presente, pois também concordo que ninguém pode virar refém do seu imóvel. Parabéns pelo site, sempre encontro edifícios que pertencem ao meu cotidiano (ainda mais sendo um morador da zona leste), e sempre achei que eu era o único á prestar atenção neles.
    contato: arthurginoma@hotmail.com

  22. Boa tarde tenho interesse na compra e restauração deste imóvel. Poderiam me passar o contato dos herdeiros ou responsáveis? Grata

  23. Na década de 70 funcionou neste galpão a Super Test Holley S.A fabricante de carburadores, bombas de combustível, platinados etc. O escritório funcionava exatamente no casarão e o vestiário do pessoal da fábrica ficava embaixo do mesmo.Quando chovia ficava cheio de água, e o pessoal tinha que trocar de roupas pisando em algumas tábuas.Atras do casarão (Radial Leste) funcionava a fabrica de lenços Presidente.Trabalhei lá de agosto de 71 a julho de 76, a empresa faliu pouco meses após esta data.

  24. Minha mãe, filha de imigrantes italianos que moravam na Rua Visconde de Parnaíba, trabalhou nessa fábrica com 11 anos de idade. Os meus avós, por absoluta necessidade, a colocaram para trabalhar e mentiram que ela tinha 14 anos, ou seja, não havia a menor preocupação com leis, registros trabalhistas, proibição de trabalho infantil e demais legalidades. Romanticamente falando, a indústria poderia ser linda, mas na realidade era uma tremenda exploração de trabalho infantil e sem o menor respeito à segurança, pois há inúmeros relatos de acidentes nos teares. Ao invés de dar este tom romântico à história, acho que o autor desta matéria deveria destacar a realidade social e o abandono legal dos trabalhadores da época. Aliás a história deste país sempre foi bastante maquiada.

    1. No passado nenhuma empresa do porte dessa tinha qualquer tipo de preocupação social como a que existe nos dias de hoje. É bem possível que se a realidade da época fosse como a de hoje sua mãe teria sido recusada na empresa e as dificuldades da seus avós teriam sido incomensuráveis, podendo – quem sabe – levá-los até a criminalidade para sustentar a família.
      A empresa a acolheu, mas sua visão limitada enxerga como exploração, pra mim é tão somente ingratidão.

      1. A revolução comunista ocorreu na URSS em março de 1917. Portanto sete anos após o início das atividades da empresa Labor, o proletariado brasileiro não estava ainda preparado para derrubar o regime vigente da burguesia capitalista baseada nos moldes do talylorismo implantados na cópia da antiga revolução industrial acontecida na Inglaterra no século XIX. Regime este que se consolidou com a era Vargas durante o estado novo.
        Portanto o bonde da história passou e só deixou rastros de destruiçao e exploração do ser humano pelo ser humano que e a premissa capitalista de acúmulo da mais valia.

  25. Bom Dia Douglas, por favor preciso da sua orientação esse casarão junto com o galpão foi invadido por moradores de rua ,sou morador da região e já está trazendo problemas para os moradores ex: roubo,lixo ,violência.
    Qual canal do governo é o certo para reclamar?

  26. Passei próximo a este casarão, e fiquei curioso sobre sua história. Atualmente, está bem degradada, há pessoas morando no local de forma precária.

  27. Infelizmente tanto o casarão como a antiga fábrica esta sendo invadida por movimentos sociais que por trás dos muros estão realizando construções irregulares e ligações de água e luz clandestinas criando risco eminente de incêndios etc…

  28. Gostaria de saber , se não foi aí a fábrica de bombas de gasolina Super test

Deixe um comentário!

%d blogueiros gostam disto: