Casa – Rua Dr Carvalho de Mendonça

Localizada na Rua Dr Carvalho de Mendonça 217, em Santa Cecília, esta residência se encontra há vários fechada e emparedada em uma triste situação de abandono.

clique na foto para ampliar

Mesmo que a casa tenha um proprietário, é visível que seu abandono acaba por influenciar todo o seu entorno com podemos observar em todas as fotografias, que mostram a pichação que iniciou-se na casa emparedada espalhando-se pelos vizinhos. É o conceito da “Teoria das Janelas Quebradas” se apresentando na prática.

Deveria existir uma legislação mais dura quanto a imóveis que se encontrem aquém de sua função social. Uma vez esquecidos por um determinado número de anos, deveriam se desapropriadas e destinadas à moradia popular.

Enquanto nada próximo disso ocorre, seguimos encontrando casas nesta situação lamentável por todos os cantos de São Paulo.

Veja mais duas fotos (clique para ampliar):

Compartilhe este texto em suas redes sociais:
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Siga nossas redes sociais:
pesquise em nosso site:
ouça a nossa playlist:

6 respostas

  1. Cada caso deve ser analisado, se negligência ou incapacidade financeira, quem sabe problemas ligados à herança, inventário. Não é justo que o Estado como o maior criador de crises e confiscador do dinheiro alheio que tantas vezes é para remediar (quase nunca curar) as crises que ele próprio cria; não é justo que o escopo do Estado seja maior do que já é (IPTU!). Espero que haja outras soluções que possam possibilitar os proprietários permanecerem os proprietários e dar-lhe o melhor destino possível.

  2. Então, moradia popular? Sinceramente não acredito que as pessoas que desfrutarem destes imoveis vão cuidar.

  3. É necessário saber o que existe por trás desse abandono. Eu tenho um imóvel que não consigo alugar nem vender por culpa da crise. E preciso desse capital para cuidar da saúde. Mas o que fazer? Dar como moradia a um favelado o meu patrimônio? O estado não dá curas médicas a nós que pagamos impostos e a Sabesp ainda cobra a conta todo mês.

    1. Não necessariamente, o que o Douglas quis dizer é que há centenas de imóveis desocupados no centro, abandonados e que poderiam muito bem reformados e revendidos à população em geral, o que ajudaria a conter o processo de degradação do centro, e não se trata de tomar na mão grande, mas negociar a aquisição com proprietários e herdeiros (quando houverem), reformarem e revenderem, há imoveis no centro para todos os gostos e bolsos, do pessoal da varanda gourmet aos menos aquinhoados. Em tempo: nem todo pobre é maloqueiro e vive num chiqueiro.

  4. Nossa cultura não entende o sentido da “memória cultural” de um povo.

Deixe um comentário!

%d blogueiros gostam disto: