A casa ferroviária da Rua do Bosque

Quem anda pela Rua do Bosque no bairro da Barra Funda, zona oeste da cidade de São Paulo, provavelmente começa a pensar qual a razão deste logradouro levar este nome. Árvores nesta rua chega a ser um artigo de luxo e nada de bosque por ali.

E justamente as escassas árvores que são encontradas nesta via estão justamente dentro do terreno desta residência localizada na altura do número 1087. E esta construção destoa de seus vizinhos por uma série de peculiaridades que dão ao antigo imóvel um toque de exclusividade.

clique na foto para ampliar

Construída em madeira e com cercas nas laterais feitas do mesmo material que são feitos os trilhos de trem (veja fotos 6 e 8 da galeria abaixo) a casa está localizada ao lado do extinto pátio ferroviário da Barra Funda e pertenceu no passado à extinta Estrada de Ferro Santos Jundiaí (EFSJ). Este tipo de construção é muito comum próximo de linhas férreas e casas similares a esta podem ser vistas em locais como Paranapiacaba.

O imóvel está habitado e deve pertencer ao espólio da RFFSA, sendo que isso se confirma pelo fato do IPTU deste imóvel estar em nome da União e também pelo fato que são encontradas nas paredes externas da casa placas com a numeração de patrimônio (veja fotos 3 e 7 da galeria abaixo).

Além de ser uma casa muito bonita é uma construção rara e curiosa que vale a pena ser vista e preservada.

VEJA MAIS FOTOS (clique para ampliar):

ATUALIZAÇÃO – 7/10/2021

Exatos onze anos depois de nossa primeira visita a esta preciosidade paulistana, fomos informados por vizinhos que o imóvel foi parcialmente descaracterizado e algumas árvores arrancadas do terreno. Estivemos no local para averiguar e descobrimos estes absurdos que vocês conferem a seguir.

O muro original, baixo e gradeado, foi removido e em seu lugar foi instalado um muro mais alto que dificulta a visualização do imóvel. Se fosse só isso até seria aceitável, por razões de segurança, no entanto houve remoção de árvores da lateral do terreno e a construção de um imóvel no antigo quintal. Observem a foto abaixo, de 2021:

Crédito: Google Street View

Mas o mais absurdo de tudo isso foi a remoção do curioso e único muro feito de trilhos que era a principal peculiaridade da propriedade e que servia como um vínculo histórico com o passado ferroviário da região. Mesmo estando em perfeito estado e não interferir em nada na construção da nova casa – que não sabemos se for construída regularmente, com autorização – foi arrancada e trocada por uma parede convencional. Vejam as imagens abaixo, respectivamente de 2010 e 2021.

Como um absurdo desses é feito sem qualquer reação das autoridades, sejam elas municipais, estaduais ou federais ? Não há punição ? Averiguação ?

É por isso que somos aqui no Instituto São Paulo Antiga de uma urgente reforma e remodelação dos órgãos de defesa do patrimônio histórico, especialmente o DPH (Departamento do Patrimônio Histórico) que há muito tempo deixou de ser eficiente e propositivo.

Cobramos a União referente a autorização ou não destas obras e quando eles responderem (isso se responderem) este artigo será atualizado novamente com estas informações.

Compartilhe este texto em suas redes sociais:
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Siga nossas redes sociais:
pesquise em nosso site:
ouça a nossa playlist:

8 respostas

  1. Essa casa é linda… É antiga da aquela ar de interior. Parabéns pela reportagem !

  2. Moro desde meus 12 anos nesta casa, hoje tenho 30 anos, ela trás excelentes recordações. Só não gosto de recordar o dia 04 de junho de 2010 quando acordamos em meio a chamas da casa vizinha também antiga e de madeira, em chamas. Fomos salvos por um milagre, a casa vizinha queimou por completo, porém a minha casa permabeceu intacta. Graças a Deus não houve vítimas. Apesar de tudo ela me tráz grandes lembranças, da infância a vida adulta !!!

  3. Caramba….não to nem acreditando, mas morei nessa casa até o ano de 1.991.Na verdade era na casa germinada com ela que fica na Cap. Mor Gonçalo Monteiro, no qual tinha um portão verde grandão.Em 21 anos passados reparei que a casa tá bem acabadinha, mas a cor é a mesma, e o portão de ferro em formato de lança também.Essa casa era enorme com uns 4 quartos e uma sala gigante.O piso era de madeira e embaixo tem um espaço vazio.Por dentro as divisórias também eram de madeira.O banheiro era gigante também.O melhor de tudo era o pátio que tínhamos para brincar no fundo da casa, no qual juntava com outras casa também….saudades desse tempo, da poeira que vinha do negócio que faz asfalto e dos armazéns que tinha na frente de casa, onde eu e minha irmã vendíamos geladinho…rsss…estudava no Canuto do Val…enfim…muito bom encontrar fotos dessa casa.

  4. Deve ser muito bom publicar fotos de uma casa antiga e encontrar moradores. Parabéns Douglas, suas reportagens são delíciosas!

  5. A madeira de revestimento externo esta podre, com infiltracao de humidade. Se a estrutura da casa estiver solida, basta apenas repor as tabuas danificadas .

    Alias ha um mito que casa de madeira e apenas para climas frios, o que e uma inverdade. A madeira e excelente isolante termico, frio ou calor, se tratada, e a casa receber isolamente entre a parede externa e a interna ( geralmente la de vidro rosa da conta disto ), no caso de construcoes feitos com tabuas planas.

    A madeira deveria receber tratamento anti apodrecimento e cupim, com cozimento sob pressao em substancia liquida.

    Outro mito e o soalho de madeira. Ha muita gente abusando de piso ceramico, o que e insuportavel em dias frios aos pes. Nada mais confortante do que andar descalco em um soalho de madeira.

    O que realmente afeta o calor em comodos, e a circulacao de ar. Para se corrigir a sensacao de abafamento basta erguer a casa com pe direito alto, e inserir amplas janelas. Alias, era assim que se fazia, em predios antigos, no Centro, antes do Ar Condicionado. Va em qualquer edificio comercial das decadas de 1900 a 1940 e notara, que ,quando se retira o forro exdruxulo, a circulacao melhora consideravelmente, e o ambiente, em dias quentes, se torna mais confortavel.

  6. Fui morador da Rua do Bosque na Vila Alfieri desde os anos 60 onde nasci, tinha um amigo xará meu chamado Júlio que morou nessa casa até o final dos anos 80, andei pelos cômodos dessa casa algumas vezes sempre achei ela interessante e bonita. Quando eu for à São Paulo irei visitá-la. Eu tinha um amigo que morava na Usina de asfalto da prefeitura bem na frente dessa casa……saudades da Barra funda.

Deixe um comentário!

%d blogueiros gostam disto: