Casa na Rua Lúcia

Eu não sei vocês, mas eu também gosto muito de casas sem muitos adornos, e com uma fachada comum e sem sofisticação. Estas casas nos remetem ao passado da cidade, onde embora possuíamos belos casarões, palacetes e mansões, a grande maioria das residências eram, na verdade, bem mais simples.

clique na foto para ampliar
clique na foto para ampliar

E porque eu aprecio casas como esta ai da foto, que está localizada rua Lúcia na região do Ipiranga ? Basicamente porque elas nos remetem as construções mais comuns na cidade de São Paulo. São casas modestas mas que muitos de nossos antepassados viveram. Convenhamos, somos poucos os que descendem de famílias ricas e abastadas e que viviam na Avenida Paulista ou Campos Elíseos.

Eu, que moro em apartamento, fico imaginando o quanto seria gostoso voltar morar numa casa com árvores e um belo jardim, como esta da foto. Ver frutas crescerem no pé e amadurecerem, flores desabrocharem, passarinhos cantando e dia sim dia não, trocar a água do bebedouro, com um pouco de açúcar, para o beija-flor vir tomar. Não é reconfortante ?

Ter orgulho e consciência de suas origens, de seu passado, é o primeiro passo para construir a história de seu bairro e de sua cidade.

Compartilhe este texto em suas redes sociais:
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Siga nossas redes sociais:
pesquise em nosso site:
ouça a nossa playlist:

16 respostas

  1. E não muito longe dela há um córrego, que na época provavelmente era limpo e tinha peixes.

    1. Silvia, eu passei a minha infância nessa região. Minha avó morava no número 85 dessa mesma rua, bem ao lado do córrego da foto. Tenho 59 anos e lamento informar que, já naquela época esse córrego era sujo e exalava um péssimo odor. Infelizmente já existiam pessoas mal educadas e sem um pingo de respeito à natureza praticamente há sessenta anos.

  2. Eu adoro este tipo de construção… Viajo muito e sempre carrego minha máquina fotográfica para registrar casas como esta, a maioria abandonada, nas estradinhas de terra por onde passo. Gosto também de capelas de beira de estrada ou pequenas vielas, como sempre encontramos por aqui.

    1. Valdimir, como vai ?

      Vai gostar do próximo texto que entra daqui a pouco. É uma capelinha de beira de estrada, mas que hoje é beira de rua aqui em São Paulo!
      Abraços

  3. Poxa Douglas, é uma casinha linda! Bem pintada iria ficar uma preciosidade! É um limpa barro ali embaixo? Abraços e parabéns pelas matérias!

  4. Ah, aqui na região da Vila Nair tem muitas casinhas assim. Eu particularmente adoro uma casa que fica na rua Sussurana, na altura do numero 200. Tem um quintal enorme, com algumas árvores. Alguns anos atrás tinha até plantação. Muito show!

  5. Quando vejo essas casas penso em gente simples e alegre vivendo o dia a dia.

  6. Adorei ver a casa da minha avó, onde, inclusive, eu nasci e vivi toda minha infância e adolescência. Ela continua lá, no mesmo lugar , onde moram minha mãe e minha tia.

  7. Amo Sao Paulo mas sou colombiano e moro em Bogotá. Sigo a tua página porque adoro essas fotos e e histórias urbanas lindas que você compartilha. Sabe o que eu gostaria, que fizesse um especial sobre o Mercadão e outro sobre o Bairro da Luz , quando estive lá vi muita degradação urbana mas muita riqueza e potencialidade. Abraço, meus parabéns e quanto nao dera eu por ter uma página que nem a sua pra minha cidade de Bogotá (que aliás por espíritu, arquitetura e urbanismo é muito mas muito semelhante a Sao Paulo, en especial o centro da cidade).

  8. Essa casinha é da minha tia avó. É linda e simples por dentro. Sim, é um limpa barro da frente. Bela matéria, ela se orgulha muito da casa que um dia morou com seus pais, meus bisavós.

  9. Aparentemente é uma casa operária, casas que eram feitas próximas às fabricas, com financiamento das empresas, ou em função destas. A janela na rua indica uma espécie de economia, se necessário poderiam construir algo colado a uma das faces. Nessa casa, o lote que é um tanto grande, creio que tenha ganhado anos depois, essa entrada de carro e a outra edificação no interior. Palpites. A luz da foto ressaltou o clima de tranquilidade que só uma casa como essa consegue passar. Infelizmente o PT está aí para destruir tudo que os paulistanos construíram, mas pesquisadores, como Douglas, sabem como damos valor à nossa história.

  10. Você tem razão, essas casas tem o toque do passado da nossa cidade. Que bom que ela ainda resiste à tosca fúria dos querem sempre demolir o que pensam ser “velho” ou “aqui daria um bom prédio”.

    Obrigada por todo o seu empenho em nos mostrar nossa cidade. pois hoje mal conhecemos nosso bairro.
    Quando me mudei para o Itaim-Bibi em 1978, havia muitas casas simples como essa. Agora restam poucas. Ruas inteiras foram transformadas. E queriam também acabar com um quarteirão que tem muitos serviços públicos. Você deve lembrar desse fato.

  11. Morei muitos anos na Rua Capão do Rego, quase esquina da Rua Lúcia, éramos vizinhos da família proprietária dessa nostálgica casa. A casa que moramos muitos anos, também foi demolida, como muitas outras e é triste ver que muitas construções que existiam, na época das minhas andanças pela Vila Nair, meu pai tinha uma tinturaria, profissão quase extinta, hoje se ergue até edifícios. Quando percorro essa região, a saudade bate forte

  12. Que casa mais linda, também moro em apartamento, mas que sonho voltar a morar numa rua assim e nos fins de tatde brincar na rua enquanto as mães conversam

Deixe um comentário!

%d blogueiros gostam disto: