Capelas dos cemitérios de São Paulo tem cores alteradas

Uma polêmica está agitando pessoas e entidades ligadas ao patrimônio histórico de São Paulo e o serviço funerário da cidade (SFMSP). Tudo por conta da necessidade de se pintar e reformar as capelas dos cemitérios da capital paulista que estão há vários anos sem qualquer intervenção.

Tudo estava indo muito bem até que notaram que o SFMSP decidiu por alterar as cores de todas as capelas de tons alaranjados ou terrosos para a cor azul. Apesar de a grande maioria dos cemitérios da capital não serem tombados (o Araçá tem apenas seu muro lateral tombado e só o Consolação é tombado em sua totalidade) nunca havia ocorrido esta falta de sensibilidade.

Nas imagens abaixo é possível conferir os dois tons de cores, respectivamente o anterior e o atual, no Cemitério São Paulo. Clique nas miniaturas para ampliar.

Pessoas ligadas a órgãos de patrimônio histórico municipal e estadual – sob a condição de anonimato – fizeram a denúncia ao São Paulo Antiga que foi atrás das respostas sobre esta mudança radical. Os denunciantes criticam também os materiais escolhidos para a obra que podem vir a causar danos na reforma e reduzir sua durabilidade.

Um desses denunciantes vai além e diz “Ainda q não seja tombado, se há incompatibilidade técnica entre materiais, tá contratando uma reforma pq vai causar danos no futuro.” e complementa “o responsável técnico responde por isso pelo Código de Ética e Disciplina da A&U”. Outro denunciante acrescenta “a questão que devemos colocar para eles é que não é pq não tem tombamento que eles podem sair descaracterizando e agindo sem critério em obras históricas. Usando materiais inadequados e cores que ferem a ambiência do local.”

Na fotografia abaixo, da parede da capela do Cemitério do Araçá, é possível confirmar a denúncia feita por pessoas ligadas ao patrimônio histórico a respeito de que sempre foram utilizados tons terrosos na pintura. Não há azul ou outra cor similar nas camadas mais profundas.

clique na foto para ampliar

O São Paulo Antiga enviou entrou em contato com o Serviço Funerário do Município e fez indagações a respeito das reformar, da escolha da cor e também se há observância ou não de eventuais materiais inadequados nas obras. Recebemos a seguinte resposta lacônica:

A Prefeitura de São Paulo, por meio do Serviço Funerário do Município (SFMSP), informa que o único bem tombado no Cemitério do Araçá é o muro voltado para a Avenida Natanael e Praça Charles Miller.

Conforme Resolução Nº 24/CONPRESP/2017, art 2º, e Resolução SC 5/CONDEPHAAT/1998, art 3º, o muro não gera área envoltória e não engloba a capela em reforma. Sendo assim, não há necessidade de consulta ao DPH, entretanto, o SFMSP está em contato com órgão estadual para tratativas de sugestões acerca da obra.

Tendo em vista a necessidade de reparos em sua estrutura, a Superintendência do Serviço Funerário autorizou a reforma na capela do Cemitério do Araçá. A mesma está sendo acompanhada por engenheiros responsáveis da empresa DB e fiscalizada por arquitetos do SFMSP.

A Autarquia esclarece ainda que as cores utilizadas na pintura estão de acordo com o novo padrão implementado nas demais unidades cemiteriais do Serviço Funerário do Município.

Capela do Cemitério da Consolação pouco após sua última pintura, cerca de dez anos atrás, trabalho cuidadoso e cor correta (clique para ampliar)

O TAL “NOVO PADRÃO IMPLEMENTADO”:

Na foto a capela do Cemitério do Araçá ainda em obras

A reforma das capelas era algo já esperado e absolutamente necessário. Basta visitar o Cemitério da Consolação – que ainda não sofreu esta intervenção – para notar o quão degradado estavam as capelas.

Entretanto, uma pergunta não foi respondida pelo SFMSP e nos deixa preocupados: O tal “novo padrão implementado” de cor, mudando os tons terrosos para azul foi uma escolha e decisão de quem ? De algum arquiteto do serviço funerário ? do chefe do órgão ? São respostas que não chegaram mas que precisam ser urgentemente esclarecidas pois interferem diretamente em um padrão estabelecido e no caso do cemitério da Consolação, em questões de tombamento.

Após o contato com o SFMSP o São Paulo Antiga percorreu os cemitérios da Penha, São Paulo, Araçá e Consolação para acompanhar as obras ou a conclusão delas.

CAPELA DA PENHA FICOU “DEFORMADA”

Ao visitar a capela do Cemitério da Penha ficamos preocupados com o resultado que encontramos. Recentemente pintada a edificação já apresenta manchas e até falhas na pintura, mostrando um serviço com uma qualidade inferior ao prestado no Cemitério São Paulo, por exemplo.

Outra péssima decisão foi a pintar a administração (à direita na foto abaixo) e um outro espaço (à esquerda da capela) da mesma cor azul e sem ausência de bordas no limite do templo, dando uma triste sensação de deformação da capela, que na verdade é somente a parte central. Se tivesse ocorrido a pintura das colunas laterais por completo esse “efeito” não teria ocorrido (como não observaram isto ?). Confira:

clique na foto para ampliar

Caso o Serviço Funerário do Município deseje complementar sua resposta, o espaço aqui segue à disposição.

Assista a seguir o vídeo que produzimos em nossa visita a três cemitérios paulistanos:

Compartilhe este texto em suas redes sociais:
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn
Siga nossas redes sociais:
pesquise em nosso site:
Cadastre-se para receber nossa newsletter semanal e fique sabendo de nossas publicações, passeios, eventos etc:
ouça a nossa playlist:

3 respostas

  1. Um gestor pior do que o outro! Como frequento o Cemitério Quarta Parada há muitos anos, vejo cada absurdo….Teve até um administrador que mandou derrubar um abrigo que servia tanto para os dias de sol forte como nas chuvas. Era super importante e os próprios funcionários comentaram a ignorância de vrs deles e para complementar afirmaram que dinheiro não era problema, pois entrava muito mas havia desvio. Bem claro para os munícipes também!

  2. É esquisita essa mudança, por falta de consulta pública, pesquisa,ou por falta de sensibilidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.