Monumento de Borba Gato

Polêmico, popular (e ao mesmo tempo impopular), gigante e considerado por muitos de estilo bastante duvidoso, o monumento dedicado ao bandeirante paulista Borba Gato (*1649 +1718), está localizado em uma praça da Avenida Santo Amaro.

A famosa escultura começou a ser construída no ano de 1957 e só seria concluída seis anos depois em 1963. O conjunto escultórico é autoria do escultor Júlio Guerra, um dos grandes artistas plásticos paulista e que deixou sua obra espalhada especialmente pelo bairro de Santo Amaro onde nasceu. Aliás, quando o Guerra nasceu, em 1912, Santo Amaro ainda era uma município independente, vizinho da Cidade de São Paulo.

De todos os seus trabalhos, sua mais conhecida obra, a escultura do bandeirante Borba Gato, jamais foi uma unanimidade. É amada por uns, e odiada por outros.

O curioso é que tudo que é relacionado com a estátua de Borba Gato impressiona, começando pelos seus números grandiosos: São 10 metros de altura (ou treze se considerar seu pedestal), e o impressionante peso de 40 toneladas. Além disso, a estátua tem algo curioso no interior de sua construção: trilhos de bonde.

clique na foto para ampliar

A escolha dos trilhos foi uma ideia genial. Afinal, como não optou pelo bronze – mais convencional para estátuas e monumentos – Júlio Guerra precisava de algo que desse estrutura para o bandeirante gigante, que é oco.

Para isso, optou por usar trilhos de bondes, que estavam sobrando pela região, já que a cidade estava começando a deixar esse modal de transporte para trás. Assim, após executar os moldes em gesso, Júlio Guerra começou a construir seu gigante, basicamente com argamassa, trilhos e pedras.

Vista do monumento na década de 60 (clique na foto para ampliar)

Ao contrário do que muitos pensam, a Estátua de Borba Gato não é constituída de pastilhas, mas sim de pedras. Esta informação era algo que o escultor fazia questão de lembrar, já que todas as pedrinhas foram quebradas por ele mesmo para serem colocadas na monumento. As pedras, aliás, vieram de vários cantos do Brasil e do mundo: As do rosto vieram de Portugal e são fragmentos de mármore rosado, as que estão no gibão vieram de Ouro Preto e Congonhas em Minas Gerais, além de mármore branco paranaense.

O monumento visto de perfil.

A obra foi planejada e construída na própria casa do artista, que ficava na Avenida João Dias, e foi encomendada para ser inaugurada em 1960 ocasião que o bairro, ex-cidade, iria celebrar o seu IV Centenário. Porém, em 1958, a morte de um de seus filhos, Jairo, afogado, iria fazer com que a obra atrasasse um pouco.

Campanha das Diretas Já no Borba Gato (1985)

Pouco mais de cinquenta anos depois da inauguração, a célebre estátua de Borba Gato, um dos grandes bandeirantes paulistas, consegue atrair elogios e críticas. Mas dificilmente outro escultor teria conseguido representar Santo Amaro tão bem quanto Júlio Guerra, um artista local e conhecedor das tradições, história e costume daquele que já foi um município paulista e hoje é um grande bairro paulistano.

Completa o conjunto, na mesma praça, quatro painéis em mosaico com cenas de Santo Amaro e algumas curiosidades locais, cujas imagens e descrições seguem abaixo:

Referência a Caiubi e Padre Anchieta
Referência a Caiubi e Padre Anchieta
Imigrantes alemães e pioneirismo fabril
Imigrantes alemães e pioneirismo fabril
Referência a João Paes e Suzana Rodrigues
Referência a João Paes e Suzana Rodrigues
Jesuíta Belchior de Pontes e o grande poeta Paulo Eiró
Jesuíta Belchior de Pontes e o grande poeta Paulo Eiró

CURIOSIDADE:

Júlio Guerra não era apenas um cidadão santo-amarense apaixonado por sua região e pela figura do desbravador paulista. O escultor também possuía laços familiares longínquos com Borba Gato. Seu avô, Chico Gato, era descendente direto do bandeirante.

O ATENTADO TERRORISTA:

Em 24 de julho de 2021 o Monumento a Borba Gato sofreu um atentado terrorista que foi reivindicado por um grupo radical de extrema esquerda chamado Revolução Periférica. Com alegações vagas e munidos de muitas informações completamente equivocadas a respeito da figura do bandeirante, os terroristas atearam fogo no monumento utilizando-se de pneus velhos que foram incendiados para causar danos à estátua.

Nas imagens acima o monumento durante e logo após o ataque (clique para ampliar)

Entretanto apesar do ataque a estátua sofreu poucos danos, todos eles superficiais. Ainda no mesmo dia, horas mais tarde, a polícia conseguiu prender um dos autores do atentado e o caso segue com as investigações em aberto.

Poucos dias depois do ataque o Prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), anunciou que um empresário paulistano ofereceu-se para bancar o restauro da escultura. O Departamento do Patrimônio Histórico (DPH), órgão veiculado à Secretaria Municipal de Cultura, já foi até o local avaliar os danos sofridos e o que será necessário para a recuperação.

Artigo atualizado em 28/07/2021

Compartilhe este texto em suas redes sociais:
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Siga nossas redes sociais:
pesquise em nosso site:
ouça a nossa playlist:

74 respostas

  1. Acho muito bonita essa estátua. Morei 3 anos na região (mais precisamente na Vila das Belezas), e gostava de passar por essa praça, por causa da evocação histórica que ele traz.
    Os detratores desse tipo de monumento querem reescrever a história, apagando traços do passado, por serem distintos dos de hoje. As pessoas eram diferentes, agiam e pensavam de modo diferente; não devemos imitá-las, mas não podemos apagá-las de nosso passado.
    Os bandeirantes não são modelo de comportamento para ninguém dos dias de hoje. Mas, se vivêssemos naquela época, quem de nós agiria de modo diferente do deles?
    A estátua de Borba gato é uma sentinela a nos lembrar daquilo que fizemos e não devemos repetir.

    1. Gostei do seu comentário.

      Os detratores dos Bandeirantes são os cariocas que pensam que o Brasil é um país que começa no Pão de Açucar e termina no Leblon.

        1. O colega fez referência ao narcisismo insuportável dos cariocas, e a incapacidade de compreender a personalidade dos outros estados. Essa polêmica vai sempre continuar. O Estado de São Paulo é muito selvagem e taciturno pra personalidade alegrona dos fluminenses.

        2. É que essa estátua é de gosto duvidoso, muita gente achava feia, mas hoje em dia acredito que isso está acabando as novas gerações cresceram vendo essa obra e acabam gostando dela.

          1. narcisista e egocentricos… acham q o brasil é o rio

      1. O que se questiona é a estética da estátua, dentro deste contexto os Bandeirantes nada têm a ver! Eu, pessoalmente, considero a estátua um monumento feio, mas nem por isso defendo sua demolição, pois entendo sua importância histórica e cultural para a cidade!

      1. Obrigado. Creio que eu não disse nada de extraordinário. É que já ouvi a opinião de pessoas que gostariam de derrubar esse e outros monumentos, numa postura anacrônica e sem sentido, algo semelhante à censura de obras literárias antiga, por supostos (às vezes) preconceitos.

    2. Julio, gostei do seu comentario, mas, naquele contexto historico, porque eles eram tão “agressivos?” e que mentalidade é essa que os fazia agir desta mandeira

    3. De acordo em grau e teor. A maioria das pessoas sequer estuda historia para fazer tais queixas sem substanciamento ou pesquisa. Papagaios de imitacao.

    4. Gostei de seu comentário. Eu nasci e cresci em Santo Amaro minha vida foi passar pela estátua do Borba Gato e admirava aquela enorme estátua. Fico indignada que em 2021 pessoas querem destruir uma estátua pois não gostam do que os bandeirantes faziam.

  2. Gostando-se dela ou não, a estátua é única, esse é seu grande mérito. Julio Guerra não copiou ninguém.

    Muito diferente do tal ‘Cristo Redentor de Sertãozinho’.

    Por não possuir uma forte imagem que a identifique Brasil afora, o prefeito da deliciosa e rica cidade de Sertãozinho decidiu erguer uma estátua do Cristo Redentor. Exatamente igual ao monumento que encontra-se no alto do Corcovado no Rio de Janeiro, que acabou transformando-se no mais conhecido cartão-postal do Brasil.

    Mas para Sertãozinho não ficar atrás, ficou decidido que a cópia seria ainda mais alta que o original. Assim, a estátua mais pedestal passam de 50 metros de altura enquanto o cristo original só tem 38.

    Não há até hoje notícia de tanta ignorância cometida por um mandatário brasileiro contra sua cidade. Se a ideia era Sertãozinho ganhar algum destaque nacional, conseguiu. Ficará para sempre conhecida como a cidade que copiou descaradamente o mais famoso monumento brasileiro que projetou o Rio mundialmente. Esse mérito nunca vai sair de lá, nem que outro louco resolva erguer um cristo com 1 quilômetro de altura.

    Pobre povo de Sertãozinho. Não merecia uma estupidez dessa.

  3. A estátua é horrenda e é de um bandeirante responsável pela morte de muitas pessoas!!!

    1. Considerando o valor artístico, o que seria bonito pra você, Nádia??? Já que um Bandeirante não pode ser homenageado, quem deveria ser homenageado na formação deste Estado e porque não do País, na sua opinião?

    2. Horrenda ou não faz parte da história do Brasil; quanto ao fato de um bandeirante responsável pela morte de muitas pessoas, concordo, foram implacáveis com os nossos índios. Para quem conhece pelo menos um pouco de história sabe o quanto os desbravadores foram desumanos. Milhares de índios foram cruelmente massacrados por eles.

      1. Caro Rubens, já que conhece tanto sobre a história do Brasil, deveria se colocar no lugar deles, na situação que se encontravam e com a mentalidade da época. Veja bem, não sou a favor da matança dos índios, mas é compreensivo devido a situação e mentalidade da época. Aposto que vc sabia que os índios se matavam entre si, não é mesmo??? Pois existiam várias tribos inimigas, mas tenho certeza que vc já sabia disso….

  4. Morei por lá durante muitos anos. A polêmica vem do fato de ser o Borba Gato uma obra indiscutivelmente “kitsch”, de gosto pra lá de duvidoso; mas, ainda assim, um ponto de referência para Santo Amaro.

  5. A estátua tem uma qualidade estática, sem “movimento”, que nem todo mundo consegue admirar, por isso ela é polêmica. Pessoalmente considero expressiva. Seria valorizada se o entorno fosse bonito também.

  6. Taí um dos mais horripilantes monumentos da cidade. Impressionante como é feia, desproporcional, e de mau gosto, quase infantil.

    1. Horripilante!!!
      Tudo bem, gosto não se discute…Têm todo o direito de achar a estátua horrível. Mas considerando o valor artístico da obra o que seria bonito pra você, Renato????

    2. Respeito à história é aos artistas é algo que o brasileiro precisa aprender!

  7. Bonito ou feio é opinião pessoal mas se esse monumento estivesse em Barcelona haveria uma multidão de turistas em volta. Vivi a maior parte da minha vida na região e assisti a mudança radical por que passou e vem passando. Não existe praticamente mais nada do que havia na época da inalguração.

  8. Nada tenho contra a estátua; acho-a diferente e inovadora por não seguir o padrão de bronze. Eu admiro a figura e o mito do bandeirante na História do Brasil. Mataram pessoas, é verdade e lamentável, mas a coragem e a bravura indômitas daqueles homens permitiu-nos conhecer melhor o interior do Brasil e dilatar o seu território (como o sogro de Borba Gato, Fernão Dias, e o Raposo Tavares). É preciso considerar as diferenças de mentalidade das épocas _neste caso, a colonial e a contemporânea.

    1. Isso mesmo, Jefferson.
      Criticam os portugueses, mas era a mentalidade da época. Espanhóis, ingleses e holandeses não teriam feito diferente se nos tivessem “conquistado”. Aliás, se ingleses ou holandeses, talvez só não tivéssemos tido Inquisição, pois não são católicos. No mais, vide África do Sul, Curaçau, Jamaica, Guianas…

  9. Julio Guerra , foi um escultor de Santo Amaro e quis homenagear este bandeirante que viveu em Santo Amaro e tem até hoje descendentes com seu sobrenome
    Ele era dono de Santo Amaro Embu guaçu Parelheiros

  10. Nossa, quanto “exibicionismo cultural”, no fundo de todo esse papo…. A obra é bem feita, apesar dos tempos…A História??? é outra coisa…Devemos viver sim, observando, criticando, mas não “amargos”, pois a própria “massificação” faz isso quase que naturalmente em nós…. Vamos pegar mais leve, pois somos mortais, gente…ótimo dia para todos.

  11. 26/06/2013 – Jornal Folha de S. Paulo

    Criador da polêmica estátua de Borba Gato ganha exposição em São Paulo

    TRAJANO PONTES
    COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

    Paulista. Bandeirante. Desbravador de sertões. Aventureiro. Encontrou ouro e esmeraldas. Participou da Guerra dos Emboabas. Genro de Fernão Dias. Cunhado de Garcia Paes. Ele é Manuel Borba Gato.

    A vida do bandeirante talvez desse uma boa apresentação dessas que associam fotos de uma pessoa a adjetivos, tão comuns hoje em dia nos sites de humor e nas redes sociais.

    Isto é, se não tivesse passado tanto tempo de seu nascimento e morte (1649-1718) e se a própria figura dos bandeirantes paulistas na história brasileira não tivesse sido, digamos, repensada.

    Ainda que os feitos desses pioneiros estejam ofuscados, seus nomes ainda batizam ruas, avenidas e rodovias. E a estátua de Borba Gato ainda paira soberana na avenida Santo Amaro, zona sul de São Paulo.

    Difícil passar por lá e não se impressionar com o monumento.

    Alto. Esbelto. Colorido. Para alguns, talvez alto, esbelto e colorido demais. A obra, da autoria do escultor e pintor Júlio Guerra (1912-2001), foi inaugurada há 50 anos e nunca conseguiu uma opinião unânime.

    “[Júlio] queria fazer coisas para o povo e é contestado justamente por causa disso. Sempre foi uma pessoa original, autêntica, nunca dependeu de tendências da moda da Europa ou do Brasil”, explica o professor Eiji Yajima, curador da mostra “Júlio Guerra – Memória, Escultura e Pintura”.

    Aberta na última terça-feira (25), no Museu Belas Artes de São Paulo, a exposição reúne pinturas a óleo e miniaturas de esculturas do artista.

    veja fotos http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2013/06/1301639-criador-da-polemica-estatua-de-borba-gato-ganha-exposicao-em-sao-paulo-veja-fotos.shtml

  12. fico muito feliz e orgulhosa em pertencer a familia de Julio Guerra meu tio avo, nasci conhecendo suas obras e as historias da minha familia em Santo Amaro, bairro onde nasci e fui criada.

    1. Jacqueline, por favor, sendo você da família de Julio Guerra, sabe a razão dele escolher Borba Gato e não outro bandeirante? Há algum motivo em especial? Muito obrigada.

      1. Não será porque Borba Gato viveu naquela região? É uma forma de homenagear um filho ilustre da terra, que mais que um ícone da história paulista (não vou entrar no mérito da questão se o que eles fizeram é certo ou não) é um ícone da história de Santo Amaro.

  13. Pois é Alexandre, conheço sim a história do Brasil e acredito que muito mais do que você possa imaginar. A propósito vou descrever um fato que se deu na minha região, mais precisamente onde hoje é o Município de Avaré/SP. Esse fato está descrito numa Ata da Câmara Municipal de Botucatu/SP e consta do Arquivo do Estado de São Paulo:
    “Exmº. Snr.; esta he e sera sempre a conducta do grande posseiro mineiro com respeito aos índios, exterminá-los com requintada barbaridade, allias como tomar as suas pretendidas posses, matéria comerciável, e manancial de riquesas. Foi por este motivo que há annos, por occasião da morte de Pedro Lopes no Rio Novo, matarão sincoenta e tantos índios. Vivia o mencionado Pedro Lopes em armonia com os índios, e se misturava com elles, tendo matado hum porco do mato, hum índio tomou a caça, Pedro Lopes fes lhe fogo, e matou-o, depois disso foi elle também morto, o que foi causa da entrada dirigida por bugreiro tão mestre, que derão nos índios, estando elles deitados, e matarão dos grandes trinta e tantos, e das crianças à faca matarão vinte e tantas, e com tamanha matança athé se julgou haverem-se elles acabado para este lado, porém sabe-se que escapou um restinho, que por ahí ainda vagão. E o major Victoriano, allias pessoa respeitável, gracejando a respeito, dizia que os índios tinhão sido chamados à assinar termo de bem viver, e que em verdade havião aquietado. Como V. Excia. não leo os meus officios sobre posses e cathequeses, permitta que assim haja recapittulado, e que agora retorne o fio da minha narração”…”
    “…Não terminarei este officio sem rogar ao Governo que me dispense de toda e qualquer intervenção em negócios de índios, porque para o eXtermÍnio delles eu não quero da maneira alguma concorrer..
    Guarde Deus à V. Excia. muitos annos.
    Botucatu, 23 de junho de 1862.
    Fellippe Correa Pacheco
    Fiscal do Termo
    Villa de Botucatu
    Ao Ilmº e Exmº Snr. Dr. João Jacinto de Mendonça
    D. Presidente desta Província.”
    Ai está senhor Alexandre o modo como nossos índios eram tratados pelos sertanistas. Veja que mataram 20 e tantas crianças à faca. O Senhor acha isso certo?
    Em tempo: Transcrevi com a mesma ortografia usada na época; Major Vitoriano foi um dos fundadores de Rio Novo (hoje Avaré). O sertanista burgreiro, creio que seria José Theodoro de Souza o terrível exterminador de índios de todo o oeste do Estado de São Paulo.
    Agora, índio é índio, não eram civilizados, portanto o que faziam era apenas se defender dos intrusos, só isso.

    1. Parabéns pela pesquisa Rubens, é sempre muito legal ver que ainda existem pessoas que se interessam pela História de São Paulo. Também, sempre é muito interessante ver uma carta escrito neste português arcaico. Porém, acho que não fui muito claro quando disse que eu NÃO era a favor da matança dos índios. Apenas citei que era compreensivo estes fatos, devido ao contexto da vida cotidiana no período do Brasil colônia. Essa realidade bizarra e absurda para os padrões modernos, pode ser comparada as matanças do período do império romano e até mesmo com o período da inquisição, na qual Brasil colonia fez parte. É muito difícil aceitarmos tal atrocidades para os padrões de hoje em dia. Mas não podemos negar que esses bandeirantes são responsáveis pela maior parte da formação territorial do Brasil, sem falar que eles tinham uma baita coragem de desbravar um continente que não conheciam, e ainda por cima corriam risco de virar comida de índio…rs. Veja bem, não quero justificar a matança dos índios, apenas estou mostrando um outro ponto de vista.
      A respeito do fato ocorrido na região de Avaré, achei que morreram poucos índios, comparado ao genocídio que aconteceu na região do Guaré, atual divisa do Estado de São Paulo e Paraná, próximo à Presidente Prudente. Está bandeira foi chefiada por nada menos que Raposo Tavares, o numero de mortos chegou a centenas e passaram dos mil o numero de índios escravizados. Esta bandeira teve centenas de bandeirantes para não correrem riscos de levarem uma coça dos índios, e detalhe importante, pelo menos 70% destes bandeirantes eram índios catequizados e mamelucos. Gente matando de sua própria gente…vai entender né??
      Enfim, não podemos julgar o pensamento das pessoas que viveram em uma época totalmente diferente da nossa.

  14. Eu não sei por que erguem estátuas aqui no Brasil para homenagear gente que só tomou e destruiu povos e/ou costumes, os bandeirantes são um exemplo disso.

  15. Eu moro em Santo Amaro há 49 anos, deixem o Borba Gato em paz… se a estatua é feia ou bonita pouco importa, o bairro tem uma história riquíssima… de colonização… nossos bandeirantes fundaram varias cidades, desbravaram o Brasil a fora… e merecem uma homenagem sim… como julgar tais comportamentos da época… vamos pensar no futuro… será que nossa geração estará impune de julgamentos futuros… daqui a uns anos não me surpreenderá estatuas de “heróis” como dos nossos jogadores de futebol… Sem dizer que todos adoram as piramides do Egito e o Coliseu… ninguém morreu e ninguém foi escravizado para a construção de tais monumentos… aquilo pode ser marco histórico… o brasileiro sempre vê o belo no que pertence aos outros países…

  16. Alexandre, essa estátua é muito feia, não tente defender tuas ideias com esse papo intelectualóide!!!!!!!

    1. Caro Julio, já ouviu falar no famoso ditado: “Gosto não se discute.” Pois é. É um direito seu de acha-la feia, mas como vc nunca ouviu falar neste ditado, acabou expondo a sua completa ignorância e desconhecimentos dos fatos históricos que citei acima. Não que vc seja obrigado a saber disto, pois ninguém é obrigado a saber de tudo. Na verdade ninguém sabe de tudo. Afinal, somos seres humanos. Mas se você tivesse lido com calma o que escrevi acima, perceberia que em momento algum impus o que é bonito ou o que é feio. Apenas questionei e expus os fatos artísticos e históricos para as pessoas refletirem, e pararem com estes radicalismos que estão consumindo este país, provando que a educação no Brasil está cada vez pior. Donos de comentários desnecessários como o seu, que não tem argumento crítico pra nada, e que adoram usar a palavra ” intelectualóide” quando não tem uma opinião adversa para provar seu ponto de vista; afim de enriquecer a conversa, só provam que são pessoas que leem cada vez menos. Lamentável!

  17. Honorável Odorico. Nem na novela vc disse tanta bobagem rsrsrs. O Prefeito de Sertãozinho não estava homenageando a estátua do Corcovado e sim Jesus Cristo e, por falta de uma imagem melhor, usou a que que iconizou a Cidade Maravilhosa – justamente a imagem do Cristo Redentor.

    1. Meu caro Oscar

      Louvável a intenção do prefeito de homenagear Jesus Cristo. Só que ao copiar o famoso monumento carioca incorreu em um erro grosseiro que marcará para sempre a cidade de Sertãozinho.

      A cópia, qualquer criança sabe, não tem valor algum uma vez que jamais deixará essa condição.

  18. Vocês são umas figurinhas. Discursos maniqueísta. Criticar opiniões de quem achou a obra bonita, francamente. Argumentos ”ad hominem”, absurdos. Infelizmente as pessoas perderam o direito de ter opiniões próprias, agora todos tem que ter opiniões homogêneas sem convicções e divergências sob pena de irritar os fiscais do status quo e ser alvo de críticas ou mesmo ameaças veladas. Quanto aos que acharam a estátua feia, nem se passarem 100 anos tentando criar algo semelhante não irão conseguir. Apresente-nos suas obras de arte. Um artista, com o que tinha em mãos entre 50 a 60 anos atrás, sem a tecnologia de hoje, fez algo tão belo, artesanalmente, rico em detalhes e ainda tem pessoas que não compreendem isso após tantos anos (que descanse em paz o escultor Júlio Guerra e sem o julgamento de vocês). No meu caso, eu achei o máximo essa escultura, independente do conceito histórico…

    1. De fato sobra maniqueísmo e “ad hominem”, mas você incorre no mesmo vício ao lançar como argumentação o desafio de “fazer igual”. É outra retórica vazia que sugere a impossibilidade de se criticar sem capacitação técnica no metiê. Seria como precisar ser cozinheiro para falar de um prato, ou engenheiro para observar uma construção, e por aí vai. A opinião, se convicta, se basta.

  19. Após leitura de todos os comentários acima, permitam-me deixar aqui o meu, em jeito de conclusão:
    – Bonito ou feio, é uma questão de opinião pessoal à que todos têm o direito. E não se discute, ouve-se.
    – Os monumentos são sempre uma homenagem que representa alguém, um lugar ou acontecimento. Se (esse alguém, lugar ou acontecimento) foi/é ou não merecedor do mesmo, é outra questão. Estamos cheios de exemplos em todo o mundo.
    – A estética, forma, aparência, técnica, composição, criatividade, criação, etc., ou seja a obra em si, é outra coisa. É conhecido popularmente por ARTE. E esta, contempla-se.

  20. Conheço a Estátua do Borba Gato há 42 anos e acho uma obra perfeita do escultor Júlio Guerra, considerando a imaginação e a criatividade dele ao projetar e realizar
    este trabalho, que se tornou um ponto de referência para o bairro de Santo Amaro.

  21. A foto da estatua referida como sendo da decada de 60, provavelmente deve ser do inicio da decada de 70, quando as luminárias suspensas sobre o leito das ruas foram substituidas. Nesta foto ja aparece o modelo novo de luminárias suspensas.

  22. Esse é um dos monumentos mais interessantes de São Paulo e, sem peias, digo que é um dos mais belos. Representa a audácia e o temor a Deus que os bandeirantes tinham. Sem eles, a cidade, o estado de São Paulo também, não teriam sido civilizados. E os grandes responsáveis são eles, os bandeirantes, que exerciam muito bem as virtudes varonis da direção, da decisão e da capacidade de realização. E eram católicos exemplares, o que é o mais importante na consideração acerca desses desbravadores, e com relação aos quais tenho não poucas afinidades. Claro que cometeu-se um delito aqui, outro ali, algum exagero do trato com os índios, que não devem deixar de ser tidos como tais. Entretanto, alguns erros de forma alguma invalidam a grande contribuição que deram ao desenvolvimento da nação. Qualquer paulistano ou paulista que tenha um mínimo de retidão de consciência, e que não está dominado pela inversão moral devida a alguma agenda ideológica, e considera os fatos em sua justeza, tem gratidão aos bandeirantes. A estátua feita pelo artista Júlio Guerra é muito bem representativa da força e da inseparabilidade do bandeirante em nossa história e em nossa consciência. Ela se impõe como um homem virtuoso que ganha a ascendência sobre aqueles que precisam de tutela e orientação. Ela é magnífica nesse sentido. Inclusive achei graça em como as qualidades representadas pela estátua incomodam alguns comentadores soberbos deste tópico, e daqueles que têm por história as distorções revolucionárias que a tia Teteca repetia em classe… Porém, certamente, Borba Gato é tema que se poderia desenvolver de forma bastante percuciente se relacionado à trajetória histórica do distrito que virou cidade e voltou a ser distrito, como é o caso de Santo Amaro. Deixo a tarefa para um historiador consciencioso e mais sábio do que eu traçar tais linhas. Só o que não gosto são os painéis: tentou-se usar os mesmos materiais em outro formato e não ficaram bons. Perto da estátua, os painéis resultaram artisticamente inferiores.Não possuem o mesmo atrativo, embora os momentos históricos sejam muito apropriados.

  23. Queria saber se alguém que viveu nos anos 1975 a 78 lembra de alguém que doou uma criança recém nascida? Tenho um amiga que descobriu que foi adotada à pouco tempo e que sua mãe morava na parada de taipas nesse ano. Se alguém ler pode me responder pelo email por favor. Obrigado.

  24. Na 3a foto, a pizzaria Paulino, fundada em 1945 e que existe até hoje em outros locais. Também lembro desse pinheiro da foto.

  25. Sou paulistano e garanto que se essa estátua horrível fosse implodida não faria a menor falta para a cidade. Se fosse uma estátua do demônio seria a mesma coisa.
    Parece que os defensores da escultura desse borba gato se esquecem dos seres humanos que foram dizimados pelos bandeirantes simplesmente por serem os verdadeiros brasileiros. Homenagear um bandeirante assassino é como se o povo judeu erguesse uma estátua para homenagear Adolf Hitler.
    Se alguém tem de de ser homenageado é o Índio Brasileiro, isso sim. Mas colonizadores que somos preferimos fazer o inverso.

    1. Valdeci, não concordo. Os bandeirantes caminhavam junto com os índios na grande maioria de suas expedições, andavam bem maltrapilhos e sofriam muito para se embrenharem nas florestas.
      Analisar os Bandeirantes pelos olhos de hoje, como você está fazendo, é algo completamente sem cabimento. O mundo há 300 ou 400 anos era outro, a humanidade tinha outros objetivos.
      Este revisionismo da imagem dos bandeirantes só atende aos auspícios de uma porção ignorante que nunca estudou a fundo os bandeirantes e sua importância para o Brasil.
      Quanto aos índios, existem 4 monumentos em São Paulo que os homenageiam. Nunca foram esquecidos e jamais o serão.

  26. Borba Gato x Zumbi dos Palmares

    A esquerda ataca Borba Gato e outros personagens da nossa história apenas para reforçar a narrativa da luta de classes: negros contra brancos, trabalhadores contra empresários, mulheres contra homens etc.

    A estratégia da esquerda é dividir a sociedade entre oprimidos e opressores.

    Zumbi dos Palmares tinha escravos, mas nesse caso a esquerda ignora isso e considera ele um de herói. Inclusive a esquerda é a favor do feriado do Dia da Consciência Negra, que é em homenagem a uma pessoa que tinha escravos, o Zumbi dos Palmares.

    Os comunistas querem destruir a cultura local e substitui-la pela cultura comunista. Eles sempre fazem isso em todos os lugares em que se instalam (China, Coréia do Norte, Cuba, Venezuela etc).

    E aí, Douglas, concorda? Precisamos combater o comunismo.

    1. Acho que precisamos mesmo é combater os maniqueísmos ideológicos tanto da direita quanto da esquerda que adoram enaltecer uns e demonizar outros, este obscurantismo e ignorância ficam patentes em seu comentário, a melhor maneira de não resolvermos um problema é polemizá-lo, mais do que nunca é hora de despirmos de nossos conceitos e preconceitos e construirmos pontes e não muros que nos separam, já que, goste-se disso ou não, vivemos em sociedade e devemos sempre buscar pontos de convergência e não de divergência para o bem comum, precisamos mais de aliados do que de adversários, independente das convicções político-partidária-religiosas de cada um. E tenho dito!

      1. Re: EMERSON DE FARIA

        Sou contra a defesa de qualquer tipo de ditadura, seja ela fascista, nazista, positivista, militar ou comunista.
        No meu comentário acima eu disse apenas verdades óbvias.
        Não me importo em desagradar defensores de ditadura. Meu compromisso é com a verdade.
        Ditaduras são implantadas justamente porque as pessoas assistem sem fazer nada.

        1. Muito mais que o comunismo ou o capitalismo precisamos mesmo é combater a ignorância onde quer que ela esteja, e não enxergarmos quem pensa diferente de nós como um inimigo e sim um possível aliado e procurarmos sempre o bem comum, este é um jogo onde não há vencedores ou perdedores e sim termina em empate, com todos cedendo um pouco para convivermos em sociedade, se todos pensassem iguais não haveria troca de ideias, nossa principal missão nesta terra é aprendermos uns com os outros e deixá-lo um pouco melhor do que quando aqui chegamos.

          1. O desconhecimento histórico promove aberrações como a de hoje. Atear fogo num monumento com uma possível justificativa de algo que Borba Gato não fez. (Vide comentário do Douglas com o link para o video) Minha teoria de que “leite com pêra” faz muito mal ao invés de leite com manga que é altamente nutritivo. Agora mais uma despesa nas costas dos pagadores de impostos.‍♂️

  27. A estátua e um marco de referencia de Santo Amaro. Ponto Final.  Qualquer Santamarense a usa quando quer se referir a localização em relação ao bairro.  E por sinal bem preservada, o que se ha dizer sobre Santo Amarenses.

    Com relação a Bandeirantes, a maioria dos que se queixam contra eles sequer fizeram algum estudo , quando menos entenderem o contexto da epoca.  

    Esta gente se embrenhou mato adentro, sem o auxílio da Coroa Portuguesa, que quando muito queria compartilhar nas fortunas produzidas. Maltrapilhos, passavam fome, morriam dizimados por malária, cólera.   O aprisionamento por indígenas precede a importação de escravos vindos da África.  

    Eles nao sao melhores ou piores do que os garimpeiros que, em tempos recente, invadiram Serra Pelada. A motivação e a mesma, a busca de fortunas e oportunidades.  E em seu rastro, ainda que acusados de genocidas, deixaram povoações, ermidas, igrejas.

    O Contraste e Choque entre civilizações, o Europeu e o Americano ou Africano, era inevitável, e um teria que sucumbir.  Calha que Europeus eram mais organizados, entendiam o cultivo, a alienação do solo em propriedade privada,  já era um costume no Velho Continente.  

    E antes que um se apresse em barbarizar os conquistadores ( sejam eles Pizarro, Cortez, Bandeirantes, Cristóvão Colombo, Puritanos Ingleses ), cabe a lembrar que os locais não eram tão puros assim.  Guerras tribais, escravizamento de conquistados , canibalismo, eram práticas de muitos nativos, até mesmo aqui no Brasil ( Leia-se Hans Staden ).

    Na África, a venda de escravos era facilitada por tribos  Africanas, uma prática de tribalismo na qual eles próprios vendiam tribos vencidas a mercadores Holandeses e Britânicos. Branco nao ia mata adentra capturar crioulo.  Eles eram entregues e vendidos no Porto de Embarque.

    Nao tao distante, a guerra Tribal em Ruanda, que resultou em extermínio étnico de Tutsis e outras minorias, na mão de Húmus ( assistam Hotel Rwanda com Don Cheadle e Nick Nolte ).

    O conforto proporcionado na sociedade moderna, o qual muitos destes opositores liberais  desfrutam, foi proporciuonado em parte pela acumulacao de riqueza nas Colonias,  qual proporcionou a base econômica para a Revolução Industrial do fim do Século XIX.  E facil, e hipócrita, falar mal e se distanciar do passado  quando se está confortável no presente.

  28. Monumentos que representam o racismo e a exploração do homem já foram derrubados em vários locais no mundo em nome de uma sociedade mais justa. Os Bandeirantes faziam a caça ao índio e a escravidão, podem pertencer a história mas devem ficar no passado e suas estátuas derrubadas e seus nomes tirados de vias públicas. O Monumento às bandeiras também retrata o vil e hipócrita sentimento de bandeirantismo. Cultuar estátuas e nomes que pertenceram a uma classe dominante e opressora é compactuar com o sentimentos de racismo e morte que não tem mais lugar nesse contexto histórico atual.

    1. Ricardo, um dos maiores problemas das pessoas é generalizar.
      É importante ler, estudar e conhecer o tema antes de expor um comentário, crítica etc.
      Borba Gato foi um bandeirante bem atípico se comparado com outros e nada de caça ao índio ou escravidão faz juz à sua história.
      Recomendo esse vídeo pra você assistir: https://www.youtube.com/watch?v=UKHK80py4qo
      E viva Borba Gato!

  29. Um desavisado disse aí em cima: “É fácil, e hipócrita, falar mal e se distanciar do passado quando se está confortável no presente”.
    Contudo, que “conforto” é esse do qual ele fala? Certamente o desavisado é branco, abonado e perverso, posto que nada aprende com nosso terrível passado. Ele fica na defensiva e não enxerga a potência de uma transformação histórica que está em nossas mãos, em nosso tempo. Não merece o seu conforto!

  30. deixem o velho Borba em paz. que figura histórica resistiria ao escrutínio ético e moral do século 21, ainda mais quem viveu no século 17? e não acreditemos em tudo o que se escreve sobre ele. ao forjarem o mito dos bandeirantes, como forma de enaltecer o “sangue das famílias tradicionais paulistas”, o povo de são paulo forjou personagens que nunca foram o que se aprende sobre elas. Borba Gato não foi santo, nem foi bandido. Foi uma pessoa de seu tempo, com todas as qualidades e defeitos de um vivente que andou nessa mundo de Deus.

  31. Parabéns ao São Paulo Antiga por dar o nome certo as coisas. Atentado Terrorista é o nome e não protesto ou manifestação.
    Borba Gato viveu no seu tempo como a maioria vivia e se teve escravos isso não era crime e nem mal visto naqueles tempos, portanto, julga-lo hoje é no mínimo ridiculo.
    Se deixarmos isso passar em branco em breve estarão queimando igrejas com a alegação que os católicos tiveram escravos e os jesuítas catequizaram os índios a força.

    Essa gente deveria estar mais atenta aos crimes que ocorrem atualmente como os roubos perpetrados por todos os Governos de esquerda, centro e direita, os gastos dos congressistas, a boiada que passa em forma de Lei ou Decreto, o conluio entre políticos, igrejas, milícias e traficantes, isso sim deveria ser combatido e mal visto pela sociedade.

  32. A polícia não ”conseguiu prender“ ninguém. O participante do ato de protesto (não sei de onde o artigo tendencioso tirou a palavra terrorismo, provavelmente de algum grupo reaça de WhatsApp) se apresentou espontaneamente à polícia e apesar de colaborar com as investigações continua preso (ao contrário das milícias ligadas e protegidas pelo governo vigente). No Brasil o único crime passível de punição é não lamber saco de genocida.

    1. Andre, respeito seu comentário. Entretanto, recomendo ir estudar – de verdade – para conhecer melhor a figura de Borba Gato que está sendo erroneamente acusado de coisas que ele jamais fez.
      O que ocorreu de acordo com a nossa linha editorial foi um atentado terrorista e seus responsáveis deveriam ser punidos severamente. Um deles, inclusive, esteve envolvido na morte de um torcedor boliviano alguns anos atrás. Não são ativistas, são bandidos.

      1. Douglas, parabéns! Muitos se calam ou evitam dar o nome correto as coisas, principalmente nos tempos atuais onde quem é contra X é taxado automaticamente de ser a favor de Y, quando as vezes não é favor de X, Y ou Z.

Deixe um comentário!

%d blogueiros gostam disto: