Banco das Nações (Edifício Senador Paulo Abreu)

1956 - Divulgação

Um dos mais significativos ícones da art decó em São Paulo, é também dos grandes exemplos da degradação e do abandono de parte da região central da cidade.

Localizado na esquina das Ruas General Carneiro e Doutor Itapura de Miranda, trata-se do Edifício Senador Paulo Abreu.

Erguido pelo empresa do ilustre senador que dá nome ao edifício, o prédio foi sede de seu banco, denominado Banco das Nações S/A e de outras empresas do mesmo grupo.

Crédito: Douglas Nascimento / São Paulo Antiga

Primeira grande sede do grupo, com o tempo suas atividades administrativas do banco foram transferidas para outros endereço, inaugurado nos últimos anos da década de 1950, e o charmoso edifício do Parque D. Pedro II, com relógio em sua torre passou a sofrer um lento processo de abandono e decadência.

A desvalorização da região nas últimas décadas, especialmente com a proliferação de moradores de rua deixou o edifício meio que esquecido. Neste trecho ele é o único edifício, cercado de pequenos sobrados comerciais e armazéns.

clique na foto para ampliar
clique na foto para ampliar

E curiosamente o Edifício Senador Paulo Abreu também não escapou da tradição de comércio da região.

O que era antes um prédio sede de um banco, transformou-se em distribuidora e loja de frutas. Sim, por mais estranho que isso possa parecer, o prédio agora parece ser ocupado apenas em seu piso térreo, para a venda de frutas, como ilustra a imagem a seguir:

Ter um prédio histórico, às vezes, é um grande abacaxi (clique para ampliar).
Ter um prédio histórico, às vezes, é um grande abacaxi (clique para ampliar).

Não podemos aceitar que um prédio tão belo e significativo fique relegado apenas a uma loja de frutas. O edifício, que tem o nome de um dos grandes nomes paulistas no senado federal e também nome de um banco outrora tão importante, precisa ser recuperado.

Atualmente o Grupo Nações, fundado pelo Senador Paulo Abreu, é um importante ator nos campos imobiliários, seguros, agropecuários entre outros. Pelo que consta este edifício não pertence mais ao grupo.

Confira outras imagens do edifício (clique na miniatura para ampliar):

Notas do artigo:
*1Paulo Abreu exerceu o mandato de Senador da República entre os anos de 1955 a 1959
*2O Banco das Nações S/A foi fundado no ano de 1954 e liquidado em 1999

Compartilhe este texto em suas redes sociais:
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Siga nossas redes sociais:
pesquise em nosso site:
ouça a nossa playlist:

31 respostas

  1. Parabéns pela matéria e pela excelente qualidade fotográfica que já é de rotina neste site.

  2. Parabéns pelo site e o serviço prestado!

    Pela primeira vez vejo alguma matéria sobre esse edifício.

    1. Também acho muito estranho a total ignorância de outros meios de comunicação a respeito deste prédio. Na minha opinião, este prédio é histórico e deveria ser conservado.

  3. Com a reforma planejada para essa região e o projeto Nova Luz da luz, em 15 anos esse prédio vai valer uma fortuna, se ninguém comete a estupidez de o demolir.

  4. tenho um lápis antigo com os dizeres banco das nações sociedade anonima com um numero de telefone da época, 34-5159 com medidas 21 cm por o,2 cm. talvez seja único.

  5. Alguem teria informações sobre o arquiteto que construiu esse edificio?? preciso para um trabalho…

  6. Esse pedaço de Sampa tem coisas muito bonitas e se ganhar uma restauração vira cartão postal. O prédio do “Nações” é uma jóia arquitetônica e vamos torcer para não acabar virando comida de caçamba!

  7. Prezados amigos,

    O Banco das Nações faz parte da minha vida pois até hoje lembro de meu primeiro talão de cheques, e meu primeiro gato foi na Agência Gianetti de Jornais e Revistas na cidade de Piracicaba SP., que lembrança tão boa, esta época se respeitava um cheque, meados do ano de 1984 onde os gerentes eram nossos amigos bem como seus funcionários. Jamais vou esquecer desta história verdadeira. E hoje ver um pedaço deste Banco abandonado deste jeito me constrange. Que Deus abençoe a todos e como Advogado me coloco a disposição de interessados que queiram este desafio de recuperar este imóvel ícone, belo e saudoso por demais.

  8. Lembranças… O Banco das Nações fez parte do começo da minha vida profissional, entrei para trabalhar em 1978, entrei para trabalhar como “boy” antigamento era este o termo, muito importante para o primeiro emprego. Fui trabalhar de boy para o presidente Henry Abreu, na época um apaixonado por futebol, montei o primeiro time dos jovens de 15 anos do Banco, quado entrei na sala do Henry para pedir se ele pagasse o uniforne, ele me disse pode escolher o que voce quer. E assim começou o time com um lindo uniforme preto e branco, com o nome do Banco das Naçoes. E muitos amigos que lá deixei.

    1. Rogerio tb entrei de boy em 1988, fui trabalhar na contabilidade, com Dr. Malheiros, e Erasto. Lembro-me do Dr. Henry, Adhemar e tantos outros, Ah tb joguei futebol de salão no time , jogávamos no colégio Republica do Paraguai, na Vila Prudente.

      1. eu entrei no banco em 1975 como boy, trabalhei na c.corrente e depois fui para gerencia tambem como boy, onde o gerente era Sr. Mario Florindo, trabalhei com a Dona Guiomar , sai do banco em 1994- quando já era Bamerindus – joguei muito na quadra do republica do paraguaY, VArios campenonatos , fiz otimos amigos .

    2. Minha mãe trabalhou como telefonista só que no prédio da Rua 7 de Abril, entre 1974 e 1980, contava muitas histórias deste banco!

  9. Conheço um senhor de nome Roberto que mora hoje na Paraíba , que foi boy em 1952 do Senador Paulo Abreu, e também do assessor do senador o Dr. Geraldo de Ulhoa Cintra. Quem se interesar pela história escreva e será um prazer em detalhar pormenores. Abraços.

  10. tbem comecei minha vida profissional neste saudoso banco. Eram meados de 1978 e fui para ag v formosa, depois para a matriz na 7 de abril, lá onde encontrei uma das pessoas mais importantes de minha vida!! bons tempos abraço a todos toninho chiummo

  11. Olá boa tarde, gostaria de saber se alguem puder me ajudar, tenho um veiculo q na ´´epoca foi financiado por esse banco Naçoes e foi pago a muito tempo, mas preciso de um contato do banco , se existir ….., ou alguem q assumiu as atividades, pois preciso dar baixa no gravame do documento, aquela anotação q diz q o veiculo está alienado, Obrigado e Aguardo……….

  12. Esse prédio tem uma incrivel semelhança com o Edificio Félix Guisard (ou relogio da cti) da qui de Taubaté, a diferença é que o nosso é da decada de 40…… Douglas existe alguma ligação entre eles?

  13. Nossa e então eu me lembro é muito de tudo isso! Fui muitos finais de ano junto com meu pai ” Sr. Malheiro ” falecido em 11-07-2003 fechar muuuuuitos balanços no saudoso prédio do Banco das Nações !!!! Eu era bem pequenininha e adorava brincar com aquelas máquinas de somar de manivelas !!!!! Ó prédio era um espetáculo de arquitetura ! Eu ficava encantada! Também lembro de todos que trabalhavam com ele… Dr Henry ( falecido a muitos anos de um acidente de carro em Itatiba ) um coração maravilhoso! E toda a família do Sen. Paulo Abreu! Que até hoje mantenho um grande carinho ! Sr. Mário Florindo uma graça de pessoa até hoje tenho contato! Está Muito bem graças a Deus! Muito lindo e emocionada pelas palavras e lembranças de vcs que como boys lembraram do meu pai! Grande abraço a todos ! Regina Malheito

  14. A família de Paulo Abreu possui até hoje muitas posses em Itatiba-SP, minha cidade natal, onde naturalmente também havia uma filial do banco. Ainda há um prédio residencial de mesmo nome que esse da matéria, além de uma estátua de bronze do senador na entrada da cidade.
    Em Itatiba ficava também a indústria têxtil do grupo, a Pabreu S/A, minha mãe trabalhou no escritório junto ao senador. Hoje, no local onde era a fábrica, seu filho Paulo Abreu Jr. tem um centro comercial, margeado por uma avenida que leva o nome do pai, onde aluga lojas e espaços para restaurantes.

  15. Vejo sempre este prédio, de carro indo em direção a R. Florêncio de Abreu e ele me fascina…ansiava respostas, procurei pelo Maps e Google, e ENCONTREI-O AQUI NO SP ANTIGA….SALVE SP ANTIGA, VIDA LONGA A ESTE SITE QUE AMO!!

  16. entrei como continuo como dizia na época foi em 1963 trabalhei até 1971,foi muito bom e muito aprendizado conheci pessoas amigas foi uma escola realmente,conheci Dr Henry Abreu,Dr Ademar, Snr Mário Florindo, dona Guiomar, Wilson do cadastro, Vilmar quando iniciou computadores no banco , Zilda, Carlos,Frederico.Snr Malheiros mais o pessoal da Agencia Vila Prudente, onde iniciei com 16 anos, época muito boa.

  17. Otima reportagem. Parabéns realmente é triste ver o descaso com edificações como esta.

    1. Lembranças e mais lembranças, só as tem quem as viveu.Em 1960 fui trabalhar em São Paulo, o escritório era na Rua 7 de Abril, nº 105, ao lado do Banco das Nações onde de imediato abri a conta corrente em 1963 fui transferido para a cidade de Paraibuna-SP e lá também tinha uma agência e passei a utilizar também. Época em que uma PALAVRA valia mais que qualquer título, Saudades…

  18. Reparei que as janelas são tão pequenas que pensei que o edifício dificilmente pudesse ser usado para fins comerciais em seus andares, com exceção do térreo.

  19. Douglas, o endereço correto e Parque Dom Pedro, 94-100.  Terreno 240m² Area Construida, 960m².

    Aos demais, a valores de 2020, seria um prédio de R$1.500.000 a R$2.000.000,00, se vendido atualmente.    
         
    A vista frontal e horrível,  cheia de Viadutos atravessando a esplanada entre o Brás e a baixa do Centro. Porem nao e uma sentença de morte. Há recuperações bem sucedidas que se deram  em lugares piores.  So que e uma metamorfose que leva tempo, processos de gentrificação sao efeito, não causa, na transformação de bairros, e ha sempre uma matiz socioeconômica. Ademais, são transformadas por etapas, e nunca necessariamente planejadas. Portanto, os prospectos para o entorno, em termos de re-urbanização, ao menos a curto e médio prazo, nao sao la animadores.

    Se ao menos artistas plásticos, escultores, se mudassem para o bairro… Mas Brasileiro e cheio de preconceitos, portanto duvido que isto aconteça.  Se você pegar um Europeu, ou ate um Americano, na penúria, ele se muda para lá de mala e cuia.

    Alguém citou o Projeto Nova Luz.  Esta citação não provém, no caso do Parque Dom Pedro II.  O projeto Nova Luz apenas engloba as áreas envoltas pela Av. São João, Rua Mauá, Av. Rio Branco, Alameda Eduardo Prado, Largo do Paissandu. Ou seja, o plateau elevado.   Um projeto que, eventualmente poderá sair da gaveta, e a transformação da Marginal Tietê e Tamanduateí. Para isto, haverá que se “limpar” Os rios Tietê, e Tamanduateí, ja completamente desfigurados, verdadeiros esgotos a céu aberto.

    A maioria dos ocupantes no entorno sao Atacadistas de Frutas e Cereais,  os quais recebem seus carregamentos diariamente pela madrugada adentro. Porém, a fruta transportada, presume-se armazenada na fonte e trajeto, em câmaras frigoríficas, para prolongar a conservação. Quando chega no Entreposto, e empilhada para rápida comercialização. Eu pessoalmente duvido que qualquer um dos operadores de entreposto trabalhe com câmaras frigoríficas.  Portanto, ali e area de aluguel barato, e o tratamento dispensado aos imóveis pelos inquilinos, beira negligência.

    Quanto a estética do edifício, so vejo defeito nas molduras de stucco das  janelas do terceiro andar até o relógio, cujo desenho bloqueia luz natural.  Tirando se isto, o prédio e lindo.  

  20. Muito bom. Pena que não há registros da época de sua inauguração ou de quando funcionava efetivamente como a sede do grupo e devia estar em melhores condições. É muito triste ver o jeito que está atualmente.

Deixe um comentário!

%d blogueiros gostam disto: