Avenida 23 de Maio – 1985 & 2015

Fazer um comparativo entre duas épocas de um mesmo local é uma excelente meio de estudo da evolução das cidades. Através destas imagens podemos levantar dados sobre o que melhorou ou piorou, o impacto da verticalização, a poluição no horizonte, o aumento do tráfego e até o aumento ou diminuição do verde.

O slide abaixo traça um comparativo entre dois momentos da Avenida 23 de Maio. Ambas as fotografias foram tiradas do alto do viaduto da rua Cubatão, sobre a referida avenida. São trinta anos entre a primeira e a segunda imagem, tiradas respectivamente em 1985 ou 2015.

Arraste para os lados para ver as imagens completas:

[image-comparison left=”16947″ right=”16946″]

Observando as imagens, a primeira coisa que me vem aos olhos é o verde que está muito mais presente hoje em dia do que na primeira foto. Depois a ausência de publicidade na foto atual, enquanto na imagem antiga podemos ver os outdoors da Kodak do lado esquerdo e de uma marca de iogurte no lado direito, além logotipo do Itaú bem ao fundo. Na pista sentido bairro, o prédio da IBM teve sua vista parcialmente obstruída por um novo prédio residencial.

Voltando os olhos para a avenida em si, é possível notar como o trânsito cresceu vertiginosamente. A foto de 1985 foi tirada em um dia de semana, enquanto a de 2015 foi feita em um domingo. Além do grande número de veículos que temos nos dias de hoje, o colorido dos automóveis de outrora virou um mar de carros cinza, branco e preto. Podemos contar nos dedos os carros coloridos.

Para você que foto mostra melhor nossa cidade a atual ou de trinta anos atrás ? E por quê ? Deixe um comentário.

Compartilhe este texto em suas redes sociais:
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Siga nossas redes sociais:
pesquise em nosso site:
ouça a nossa playlist:

27 respostas

  1. Amo as comparações de vcs… Dá pra conhecer um pouco da cidade que eu não vivi por não ter nascido ainda… Dá vontade de voltar no tempo

  2. Nesse caso específico, as mudanças não são tão drásticas como as que podem ser observadas em outros cantos da cidade, ou mesmo em outros trechos de 23 de maio.

    Uma outra mudança em relação ao trânsito é o numero de pistas na via, que passou de 4 para 5 em cada um dos lados.
    Também se notam algumas motos na foto recente e nenhuma na antiga, ilustrando bem esta transformação da nossa frota.

    Quanto à vegetação, apesar de a atual ser mais vistosa em virtude do porte elevado das Tipuanas que aparecem na foto, na antiga nota-se uma preocupação maior com a jardinagem.
    Qual é melhor é uma questão de gosto, apesar de eu também preferir a atual.
    O que sem dúvida mudou para melhor foi o surgimento de vegetação no canteiro central, ainda que bastante modesta.

    Achei o comparativo muito interessante. Espero que seja apenas o primeiro de muitos.
    Abraço

  3. Tenho sempre a tendência de achar melhor o “antes” em comparação com o atual, e nesse caso, não é diferente. O que havia de errado com as propagandas? Por que tiraram? Por causa da “Lei Cidade Limpa” ?Ora, faça-me o favor! Cidade limpa pra mim, é a calçada bem varrida, juntamente com a sarjeta. Cidade limpa pra mim é o cuidado com o descarte do lixo urbano. Cidade limpa pra mim, são praças e árvores bem cuidadas.Isso sem falar nos monumentos…

    1. Luiz,
      Na foto de 1985, as propagandas (poucas por sinal) não poluem visualmente e acaba por ficar compatível com o cenário. E se fosse hoje ? Como estaria a foto de 2015 ? Com certeza uma poluição visual só. Infelizmente, vivemos num país de exageros.

      1. Carlos, é claro que eu não estou me referindo somente à essa foto.Mais do que isso: não vejo necessidade de se acabar com a propaganda, podendo a mesma ser fiscalizada e “sem exageros”. Eu defendo que uma “cidade limpa”, como o nome sugere, deve ter prioridade em manter limpos os parques públicos, as praças, os monumentos, as ruas, as calçadas, etc.E não somente no centro, mas uma abordagem mais abrangente, seguindo pelos bairros.É isso. entendeu?

  4. Mais uma cacetada de prédios… As árvores deram uma crescida desordenada, os jardins abertos de 85 ali estavam muito mais bonitos que esse matagal obstruindo a vista e que acaba servindo até de esconderijo pra ladrões surpreenderem os motoristas à noite. Não deteriorou muito e muito menos perdeu a cor, só os canteiros que precisam de um cuidado

  5. Essa avenida sempre foi minha paixão, eu qdo jovem adorava passar por ela nos finais de semana em que o dia estava iluminado, com a luz das tardes de primavera na garupa de uma moto, sim pq eu era uma Maria cilindrada, nossa eu pirava. Amo Amo AMO DEMAIS

  6. Mora à época no Campo Belo.Quando terminaram essa avenida a se juntou à Ruben Berta,pelo projeto inicial o percurso Aeroporto- Centro era para ser feito em 8 minutos.
    Hoje, vc não anda nesse espaço de tempo nem 10 metros.

  7. Hoje em dia temos tantos carros velhos andando pela cidade que até os carros sãos os mesmos!

  8. Se tornou bem menos inóspita com árvores maiores e mais variadas, o que ajuda bem a abafar o ruido muito maior do excesso de veículo de hoje e as propaganda que forma retiradas graças a lei da Cidade Limpa. Ah, e a iluminação hoje deve ser bem melhor que naquela época.

  9. Acho a 23 uma das avenidas mais bonitas de SP, apesar do transito caótico. Nas fotos acho a atual mais bonita, com mais verde.

  10. Aqueles barrancos só podem ter árvores, nada mais. Foi uma ótima visão quem imaginou o mar verde que viraria. Não há meios de fazerem favelas por ali porque é muito íngreme e os prédios tem segurança o que dá uma retaguarda a essa área.
    Não somos obrigados a consumir produtos o tempo inteiro. Temos direito ao aspecto contemplativo da vida, inclusive nos grandes centros. A cidade não foi feita pra certos espertinhos faturarem sobre ela a cada segundo, como uma prostituta geofísica aliciada por um único grupo. A cidade possui sua razão em si mesma, essa razão deve ser respeitada. Não está em discussão se a cidade precisa ser útil em cada um de seus centímetros cúbicos, conhecemos muito bem a utilidade das áreas verdes e das áreas livres. O respeito e auto respeito passam pela consciência de que valores econômicos jamais poderão se sobrepor a valores humanos.
    Senti falta aqui, de gente se interessando, por exemplo, pelo nome das espécies ali plantadas. Gente criticando árvore, chamando de matagal? Gente querendo encher avenida de placa? Que gente é essa? Que vergonha!
    Cidade limpa tanto é livre de poluição visual, quanto de lixo no chão e o prefeito atual é um exemplo do contrário disso nos dois casos.

  11. À época da foto mais antiga, eu morava num prédio que fica à direita da imagem, na Rua Tomás Carvalhal. Na prática esse trecho não mudou muito, em termos de construções novas somente alguns prédios residenciais. Na verdade uma mudança muito maior na paisagem está nas costas do fotógrafo. Em 1985 era possível ver ali a fábrica da Brahma, que permaneceria em funcionamento até 1993, quando foi demolida. Hoje, em seu lugar, há um conjunto de prédios residenciais de gosto um tanto duvidoso.

  12. Em 1975 eu estudava na FAAP e voltava para casa perto do aeroporto de Congonhas lá por volta da meia noite, eu tinha um Fusca 1966, eu lembro que todos os dias eu fazia essa descida até perto do Detran, em ponto morto, para economizar gasolina.

  13. Foto tirada na esquina de casa… Moro em frente a 23 de maio desde que nasci. Quando eu era criança ficava debruçado na janela advinhando qual seria a cor do próximo ônibus que passaria na 23 de maio (época em que os ônibus CMTC eram coloridos)… Hoje não tenho mais a visão privilegiada que tinha quando era criança. Saudades deste tempo.

  14. Eu prefiro aquela época (1985), embora as mulheres fossem mais feias, do que a atual (2015/2016), embora as mulheres sejam mais bonitas. Pois naquela época (1985), a música, a televisão brasileira e os eventos esportivos eram muito melhores do que os de hoje em dia, e as pessoas pareciam mais tranquilas e inteligentes, enquanto que hoje as pessoas parecem mais irritadas e estúpidas, além de terem estragado (e bastante) a música, a televisão brasileira, e os eventos esportivos…

Deixe um comentário!

%d blogueiros gostam disto: