Sobrados Demolidos – Avenida Angélica 41 a 55

Costumo rodar algumas centenas de quilômetros por São Paulo todos as semanas, em busca de novas pautas e imóveis para colocar no São Paulo Antiga, o que gera um arquivo muito grande de imagens e locais.

Mesmo sendo organizado, me deparo com lugares que fotografei já tem um certo tempo, mas por alguma razão jamais publiquei. É o caso desta dupla de sobrados localizados em Santa Cecília, que só lembrei que não estava ao ar ao descobrir que algo aconteceu com um deles.

clique na foto para ampliar
clique na foto para ampliar

Localizados nos números 41 e 55 da avenida Angélica, no primeiro trecho da via antes de cruzar com a avenida São João, esses dois sobrados eram belos exemplares antigos que existiam por ali. Digo eram porque o azul, do número 41, foi demolido a cerca de um mês mais ou menos.

Construídos na primeira metade do século 20, eram os últimos remanescentes preservados deste trecho inicial da avenida, hoje em dia bastante diferente do que já foi no passado. O que mais entristece é o fato do sobrado demolido estar muito bem preservado até vir abaixo.

Foto: Douglas Nascimento / São Paulo Antiga

Me lembro que até mais ou menos 2008 estes dois sobrados estavam bastante deteriorados e eram cortiços. Quando eles foram desocupados achei que seriam demolidos, mas naquela época houve um belo trabalho de restauração e eles ficaram impecáveis.

Inicialmente ambos na cor bege, tal qual o imóvel do número 55, ocorreu que em 2012 um deles recebeu a cor azul, desde que passou a ser endereço de um bar chamado Vigent. O estabelecimento funcionou até meados de 2014.

Porém, desde que o Vigent desocupou o imóvel o mesmo ficou fechado e não foi colocado para locação novamente (ao menos não vi placa alguma), até que neste ano o imóvel sucumbiu a especulação e foi completamente demolido:

clique na foto para ampliar
clique na foto para ampliar

É realmente lamentável ver um imóvel antigo com tanto potencial e história vir abaixo. Com uma área disponível insuficiente para se erguer um prédio, é de se esperar que ali surja mais um estabelecimento comercial.

O que me chama a atenção ali é a placa de alvará, onde nela é possível ler “execução de reforma“. Não sou engenheiro, mas creio que neste caso não é uma reforma, já que o que ocorreu foi a demolição para a construção de um novo imóvel, não é mesmo ?

Foto: Douglas Nascimento / São Paulo Antiga

Estou consultando a Prefeitura de São Paulo e a Subprefeitura local a respeito deste imóvel e tão logo tenhamos uma resposta irei publicar aqui. Recentemente a Sociedade Esportiva Palmeiras demoliu seu antigo estádio e deixou um pedaço em pé durante as obras da nova arena, para alegar que a obra era apenas uma reforma.

Sempre me dá uma tristeza quando observo que mais uma casa antiga se foi. Espero que a vizinha sobreviva.

Foto: Douglas Nascimento / São Paulo Antiga

Atualização – 23/05/2016

E o que mais temíamos aconteceu o sobrado restante, juntamente com outros imóveis que se estendiam até a esquina seguinte, foi demolido. Até o momento não se sabe o que será construído no terreno, uma vez que não foi instalado nenhuma placa de identificação, exceto pelo alvará de demolição. Até o momento, tudo se encontra como na imagem a seguir:

Atualização – 29/03/2021:

Passado cinco anos da demolição que arrasou o que restava dos sobrados, nada de novo aconteceu permanecendo o local tal qual a imagem de 2016. Entretanto, para enriquecer este artigo, o leitor Ulisses Mattos nos enviou a imagem abaixo, que mostra pessoas diante de um dos sobrados e que teriam residido ali até algumas décadas atrás. Pela vestimenta das mulheres podemos sugerir que a fotografia foi feita entre as décadas de 1920 e 1930.

Compartilhe este texto em suas redes sociais:
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Siga nossas redes sociais:
pesquise em nosso site:
ouça a nossa playlist:

15 respostas

  1. A pretexto de afirmar que o imóvel não é o único exemplar da década em questão no município, pouco a pouco vão acabando com o conjunto histórico de nosso patrimônio arquitetônico, desconsiderando-se o fato de que cada construção tem uma originalidade irrepetível em outros imóveis (algo que estamos nos esquecendo, cada vez que reproduzimos em série casas, sobradinhos e edifícios sem grande expressão).

  2. Douglas, infelizmente acredito que esse últimos sobrado também irá desaparecer, pois todo os outros imóveis ao seu redor foram à baixo, ele esta “perdido” no meio de um terreno onde fatalmente crescerá mais um prédio de espelhos.

  3. Douglas , eu também acredito que êle vá abaixo , mas , como curiosidade , você reparou nas dimensões da porta da garagem no sobrado azul ? Minúscula , e olhe que os carros não eram tão pequenos .

  4. Infelizmente o outro também será demolido, quem comprou o imovel foi o sindicato ao lado o SINDP

  5. Realmente era um belo sobrado, de uma rara beleza e sua fachada lembra algo daqueles sobrados construidos em Nova York, no Bairro Brooklyn, mais especificamente na década de 1920 / 30, e que se vê nos filmes americanos (aparece por exemplo no seriado “Todo mundo odeia o Chris”) … 🙂
    E a nossa “querida” e “velha conhecida” especulação imobiliária trabalhando sem cessar, e as grandes construtoras demolindo anos de história, sem se preocupar em deixar vestígios para nossos filhos e netos.

    Vejo com inquietude o avanço do “progresso”. Necessário ? Claro que sim, mas deveria , “falei” que “deveria”, de alguma forma, serem selecionados, registrados e arquivados – que é o que vocês felizmente fazem, no entanto, muitos prédios históricos e/ou antigos como estes viram pó e sem registro é como se nunca tivessem existido.
    Então por favor, continuem com este belíssimo trabalho de resgate e memória para esta e posteriores gerações que virão. Um grande abraço !

  6. Notei que no segundo prédio ou é uma loja dos maçons e/ou trabalham pessoas ligadas a esta sociedade …
    A arquitetura inclusive, os ajudou, pois eles adoram ter estas duas colunas que ficam na entrada, um portal com as duas “colunas de Salomão” – Boaz e Jaquim. Abraço !

  7. Podiam reformar por dentro, e deixar, ao menos a fachada…O curioso é que eles lembram dois outros sobrados , na própria Av. Angelica, logo abaixo da Maceió, lado impar, tb.

  8. Já começou a demolição do sobrado bege ao lado, infelizmente. Toda a área, até a pça Olavo Bilac, incluindo todo o comercio lateral da rua Brigadeiro Galvão está sendo demolido. Só restará no quarteirão o prédio novo, pois será erguido um hotel…

  9. Muito triste mesmo pois eu testemunhei o processo de degradacao deste trecho da avenida, que era muito tranquilo e seguro. O minhocao tem muito a ver com isto. Neste trecho existiam varios casaroes, alguns deles viraram cortiços na primeira metade da decada de 70. Com o passar do tempo, muitas familias que moravam na regiao se mudaram para outros lugares, e novas familias em sua maioria recem chegadas na cidade se mudavam para o local.

  10. No Brasil se tem a noção equivocada de que para se construir o novo e preciso acabar com o “velho” e isso vem praticamente desde os tempos do “descobrimento” disso daqui e foi mais reforçado ainda nos tempos da ditadura, e hoje para tirar isso da cabeça do povo é praticamente impossível. Nos outros países (acho que tirando os Estados Unidos) a maioria das obras de arquitetura antiga são preservadas e se constroem coisas novas ao lado dessas, e olha que a maioria desses países cabem dentro do Brasil.

Deixe um comentário!

%d blogueiros gostam disto: