Armazém – Rua São Domingos, 229

Certa vez publicamos aqui uma matéria onde falávamos daquela que provavelmente é a casa mais antiga de pé no bairro do Bixiga, região central de São Paulo.

Construída em 1889 – mesmo ano que a nossa república nasceu – o velho sobrado resiste ao tempo de maneira heróica, já que não está em suas melhores condições de preservação.

Ao lado da residência, um armazém muito antigo e talvez quase tanto quanto a casa sobrevive nas mesmas condições:

clique na foto para ampliar

Este armazém – que também já viu tempos melhores – é datado pela base de dados do IPTU paulistano como de 1919, mas creio que é possível que seja até um pouco mais antigo.

A propriedade pertence à família Panzardi, a mesma que é dona da casa mencionada no início deste artigo e tal qual também é tombada como patrimônio histórico de São Paulo.

Abaixo a fotografia com ambos os imóveis:

clique na foto para ampliar

Compartilhe este texto em suas redes sociais:
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Siga nossas redes sociais:
pesquise em nosso site:
ouça a nossa playlist:

7 respostas

  1. Lindo e imponente, não obstante o estado de conservação.  Com um decente trabalho de restauracao autentico, seria sui generis. Para o futuro ou atual proprietario se gabar em festas de cocktail.

  2. Que tipo de incentivo seria necessário fazer para que estes tesouros fossem conservados?

  3. Porque empresas em troca de desconto fiscal não restauram essas verdadeiras obras de arte.
    Isso chama-se memória!

  4. Não existe algum tipo de financiamento para restauro? Isso é uma loucura esse país….aff

  5. Trabalhei durante 17 anos na Rua São Domingos 224, bem na frente do sobrado. Já entrei nele e é muito interessante. Uma pena que esteja abandonado pela família que poderia batalhar parcerias para restauro. Quanto mais demorarem mais cara ficará a restauração. O inquilino faz o que pode mas as condições estruturais não favorecem.

  6. A política de tombamento de imóveis históricos, precisa, adequar-se ao tempo atual, urgentemente, senão continuarão tombando literalmente!

Deixe um comentário!

%d blogueiros gostam disto: