Apartamentos Bernardini

Quando lembramos de vilas charmosas paulistanas, costumamos lembrar sempre das mais conhecidas, como a Vila Economizadora ou mesmo a aprazível Vila Maria Zélia. Porém, a cidade de São Paulo é repleta de vilas espalhadas por todas as suas regiões, erguidas com os mais diferentes estilos e pelos mais distintos propósitos.

Muitas delas foram erguidas para serem vilas operárias, criadas por empresários que queriam dar aos seus funcionários acomodações dignas e preferencialmente próximas aos seus locais de trabalho. Foi o caso singular de Jorge Street, que ergueu no Belenzinho a famosa Vila Maria Zélia.

E é localizada poucos quarteirões desta famosa vila, uma outra bem pouco conhecida mas que é igualmente bela e charmosa, mas com um nome um tanto diferente: Apartamentos Bernardini.

Localizada na rua Valdemar Dória, no Belenzinho, os Apartamentos Bernardini foram no passado uma espécie de vila operária ocupada principalmente por funcionários da Bernardini S/A Indústria e Comércio, tradicional empresa paulistana, fundada em 1912 e que inicialmente dedicava-se a produção de cofres e móveis de aço.

A empresa, desde sua fundação foi um dos orgulhos da indústria paulista. Seus móveis eram sinônimos de durabilidade e seus cofres sinônimos de segurança e confiabilidade. Não demoraria muito para a empresa expandir seus domínios para outra área a qual se destacaria: a militar.

Rara fotografia de funcionários da Bernadini nos anos 1950 (clique para ampliar)

A Bernardini iria também se destacar produzindo equipamentos militares já em meados dos anos 1950. Com a entrada na linha bélica a empresa cresceria ainda mais, ao ponto de em meados dos anos 1980 a produção deste segmento chegar a responder a 70% do faturamento da empresa, localizada no Ipiranga. Entre seus principais armamentos produzidos destacaram-se o AM-IV (veículo) e o MB-3 Tamoyo (tanque de combate), além da versão brasileira do canhão DEFA-554.

Voltando a vila, praticamente nenhuma documentação histórica é encontrada sobre ela. A única referência que ainda existe a antiga Bernardini é o nome, que resiste em uma placa de ferro localizada em uma das paredes da vila. Os moradores hoje são em boa parte imigrantes sul-americanos. Os poucos que aceitaram conversar com a reportagem não sabiam dizer se a vila ainda pertence aos Bernardini ou se foi vendida a outros. Todos ali, na parte dos fundos, são inquilinos.

A vila é composta de pequenos sobrados dispostos em um pequeno largo. À frente, na rua Valdemar Dória, encontramos geminados à vila quatro sobrados em art-decó que parecem ter pertencido ao complexo habitacional. A vila, é um resquício do passado paulistano que ainda sobrevive, junto com outras vilas ali no bairro do Belenzinho.

Impossível não se apaixonar pela vila e pelos seus pequenos sobrados. Na foto anterior, com funcionários da empresa, o terceiro da esquerda para a direita é meu avô materno Antonio Maria das Dores, que era perito em cofres da Bernardini.

Confira fotos dos Apartamentos Bernardini (clique na miniatura para ampliar):

Saiba mais:

Compartilhe este texto em suas redes sociais:
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Siga nossas redes sociais:
pesquise em nosso site:
ouça a nossa playlist:

24 respostas

  1. Gostei da reportagem. Existiram varias vilas operarias em decadas passadas. A Matarazzo tinha uma industria de Papel e celulose no fim da rua Intendência, no bairro do Belem, e nessa rua foram construidas varias casas para seu operarios(ainda existem algumas e outras descaracterizadas), que fizeram o local ser chamado de “vila matarazzo”. Caso voces nao tenham documentado algo sobre isso, fica ai uma “dica” caso aja interêsse.

  2. Queria muito comprar uma casa dessas só p/ restaurar e mantê-la original.Muito lindas!

  3. Meus avós, Edmundo e Emilia se casaram + ou – em 1946 e foram morar nessa vila na casa 8. Meu pai nasceu em 1951 e cresceu nessa vila até se casar em 1975. Meu avô morreu em 1981 aos 79 anos, mas minha avó ainda continuou morando até 1988 e depois mudou para Lapa e Osasco vindo a falecer em 2000 aos 84 anos.
    Sempre visitáva-mos a minha avó com meus irmaos e na época havia muitas crianças descendentes desses primeiros moradores que tb visitavam seus avós e nos encontráva-mos e brincáva-mos bastante. Nasci em 1978, hoje estou com 33 anos e foram um dos momentos mais felizes da minha infancia e eu me lembro como se fosse hoje.
    Pelas fotos, as casas parecem abandonadas é triste ver
    que um dia aquilo tinha vida. Os vizinhos na época de minha avó se davam muito bem, promoviamos muitos aniversarios e festas juninas inesqueciveis.

  4. Bom dia a todos. Meu pai era vendedor da Bernardini, Senhor Manuel Pereira Rama Pardal, portugues e que seguio o mesmo seguimento mas de usados e reformados. Eu me especializei em abertura de cofres inclusive da marca Bernardini. Fiquei feliz pela materia e parabéns, nada como entrar no túnel do tempo e rever a época de ouro da industria brasileira na era do aço…

  5. Parabens pela materia e pelos registros fotograficos.
    Espero que a vila Bernardini continue forte resistindo as provas do tempo.

  6. legal essa foto na Bernardini,acredito que da direita para esquerda é o Bagno e o Gervásio.
    Abraços,

      1. Acredito que seu avô tenha trabalhado junto com o Maguetinha vc sabe até qdo seu avô trabalhou lá?Um abraço,
        Renato

  7. Meu Deus: cresci no Belenzinho~, conheço este lugar e não fazia a mínima ideia de sua história.
    Por isso que eu adoro este site.

  8. Meu bisavô se chamava Pietro Bernardini. Talvez, ele não fosse dessa mesma linha dos Bernardini, mas, quem sabe existiu algum parentesco, mesmo distante, onde nunca tiveram uma aproximação, afinal, naquela época era tudo mais difícil. Pietro Bernardini e Maria Fortunata Bernardini, desembarcaram no Brasil, vindo da Itália, no Porto de Santos – SP, em 20 de março de 1896, e se estabeleceram na cidade de Itu/SP, onde formaram família e aqui faleceram.

  9. Pena que algumas estao sem condicoes,devido a falta de zelo ou conservacao. Aquelas duas ultima, ao lado do paredao de umafabrica, sao exemplos do acima destacado.

  10. Lindas fotos minha AVÓ morava nesta casa da esquina pagava aluguel justo na epoca 1955 a casa é exelente sempre quis comprar na epoca hoje a rua esta meio abandonada pela prefeitura acho que caiu o nivel dos vizinhos como em São Paulo inteiro i NIVEL das pessoas caiu muito ..ai vem sujeira casas mau cuidadas etc Fico pensando quando que São Paulo vai voltar a ser uma Cidade boa para se viver ?

  11. Você ainda está devendo uma boa caminhada pelas ruas da Lapa e da Vila Romana! É um dos poucos bairros que ainda tem mais casas que apartamentos!

Deixe um comentário!

%d blogueiros gostam disto: