Casa Demolida – Rua Bela Cintra, 171

Fazendo uma pesquisa sobre a Rua Bela Cintra encontramos no Google Street View a imagem de uma residência interessante, que foi demolida já tem um bom tempo lá atrás em 2010:

clique na foto para ampliar

Localizada no número 171, tratava-se de uma construção das primeiras décadas do século 20 que acabou sendo demolida junto com seus vizinhos do lado direito para dar lugar a um novo edifício residencial.

Apesar de ter algumas alterações pontuais aqui e ali a casa estava em ótimo estado de conservação e tinha uma arquitetura muito interessante. Contudo isso não foi o bastante para que ela fosse poupada, sendo colocada abaixo entre setembro e dezembro de 2010.

A foto abaixo mostra um pouco dos belos detalhes da fachada:

clique na foto para ampliar

É realmente uma pena que esta simpática residência tenha deixado de existir, ainda mais em uma rua como a Bela Cintra cada vez mais adensada e complicada de se trafegar justamente por conta da grande concentração de edifícios erguidos por ali. Essa complicação se estende por outras ruas próximas, igualmente caóticas, como Haddock Lobo e Frei Caneca.

Planejamento urbano não é algo que a gente encontra fácil na capital paulista. Abaixo, fotografia do terreno já limpo em janeiro de 2011:

clique na foto para ampliar

Crédito das imagens: Google Street View

Compartilhe este texto em suas redes sociais:
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Siga nossas redes sociais:
pesquise em nosso site:
ouça a nossa playlist:

14 respostas

  1. Na década de 80 havia um bar country nos porões dessa casa!Um ambiente sensacional!Chamava-se “Le Refuge chez Bernard”!

  2. Lamentável, mas não dá para concorrer com a especulação imobiliária. Que dó!

  3. Minha mãe Yolanda contava ter morado numa pensão num casarão na Bela Cintra no início da década de 1960. Terá sido nessa?!

  4. É como perder um idoso querido, cujas lembranças ainda permaneceriam com ele, a maior parte inacessível, outras capazes de ser sondadas pelos arqueólogos e historiadores capazes de levantar a vida de remotas olarias, os detalhes da origem imigrante dos mestres estucadores que lhe deixaram impressas nos adornos de adobe e cimento… um cano de ferro esquecido na parede, os padrões dos azulejos… definitivamente demolidos…

  5. Com o tempo a cidade toda vai ter somente prédios. Daí então a temperatura irá para mais de 45 ou 50 graus e poucas pessoas irão suportar.

  6. Boa abordagem…

    Conheci essa casa ai no Bairro de Pinheiros quando estive ai na Rua Joaquim Antunes por alguns dias…

    Tsk,tsk,tsk… Infelizmente nessa terra de papagaios aqui não há o menor reconhecimento para com a cultura, arquitetura, urbanismo etc.

    Infelizmente tudo continua como no tempo de Dom João VI, José Sarney, FHC, Collor de Mello…

    Como diz o Chico Bento…

    ARA!

  7. Lamentável! Fico super triste com essas coisas. Eu morei em São Paulo por longo tempo, e sei bem como não preservam a memória arquitetônica. Em Santo André – SP, cidade vizinha, onde moro desde 2008, infelizmente, tem acontecido o mesmo, lindas casas antigas são postas abaixo, uma localizada em uma vila, no centro, e outras, no Bairro Jardim, que é próximo do centro. Fotografei uma linda cada de esquina, ainda sem garagem, que já imaginava que seria posta abaixo, e infelizmente, não aconteceu outra coisa. Passei em frente dela há poucos dias, e no lugar já estão construindo um pequeno edifício. A preservação da memória das grandes cidades está vinculada a interesses econômicos, portanto, praticamente inexiste. Ficam apenas as fotografias de ambas, como lembrança.

Deixe um comentário!

%d blogueiros gostam disto: