FECAP comemora 120 anos de história

A FECAP foi criada a partir de uma captação de valores que contou com diversos empreendedores da época. Entre eles, o maior doador foi Antônio de Álvares Leite Penteado, o conde Álvares Penteado, um rico barão do café de Mogi Mirim nascido em 1852.

Conde Álvares Penteado em ilustração de 1907 (clique para ampliar)

Em busca por profissionais capacitados para realizar a contabilidade de seus negócios, o cafeicultor juntamente com mais 10 pessoas e 7 empresas (em sua maioria bancos) criaram a escola prática de comércio. Inicialmente, seus cursos noturnos eram gratuitos e capacitavam quem se interessasse por comércio na cidade de São Paulo à época, colaborando para o desenvolvimento contadores (na época chamados guarda-livros) brasileiros para trabalhar em negócios.  

A escola de comércio detém desde 1915 a mais antiga certificação de utilidade pública do Brasil. Atualmente, a FECAP é um centro universitário, e vale lembrar que foi uma das primeiras instituições a abrir cursos superiores de Administração, Economia e Contabilidade no país. 

Na foto o edifício do Largo São Francisco em construção no ano de 1908

Para abrigar os estudantes, o conde Álvares Penteado ergueu a primeira sede própria da FECAP, um lindo casarão que teve sua inauguração feita em 12 dezembro de 1908. Projetado pelo arquiteto sueco Carlos Ekman, o prédio tem estética art nouveau com outras influências também, como o conhecido estilo clássico. Na capital paulista Ekman também foi responsável pela construção do já demolido Theatro São José e famosa Vila Penteado.

O palácio do comércio é considerado uma das joias arquitetônicas de São Paulo, tanto é que foi tombado como patrimônio histórico da cidade de São Paulo na década de 1990. Sua construção foi feita com mármores e decoração trazida diretamente da Europa para ornamentar o prédio que abrigaria exclusivamente a escola.

Ilustração da futura sede da FECAP apresentada em 1907 pelo arquiteto Carlos Ekman (clique para ampliar)

O prédio localizado próximo ao marco zero da cidade tem ao seu lado a Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (FDUSP), além do Convento e Santuário São Francisco. 

TESTEMUNHA DA HISTÓRIA  

O casarão foi palco de outro importante marco da história: a Revolução Constitucionalista de 1932, movimento paulista contrário ao governo de Getúlio Vargas e que pleiteava uma Constituição para o Brasil. A FECAP auxiliou na arrecadação e guarda dos recursos que custeariam os insurgentes da revolução.  

Outra importante figura que tem ligação com a história da FECAP é Mario de Andrade, um dos fundadores do modernismo no Brasil. O poeta, romancista, musicólogo, historiador de arte, crítico e fotógrafo brasileiro reunia intelectuais do calibre do casal Levi-Strauss em grupos de estudos sobre folclore e cultura brasileira no prédio do Largo São Francisco. Mário chegou a estudar por um curto período de tempo na FECAP porque acreditava que deveria seguir a carreira de seu pai, que era guarda-livros.

A FECAP no Largo São Francisco em fotografia de 1910 (clique para ampliar)

João Teotônio Moreira Salles é um dos mais ilustres ex-alunos da FECAP. Nascido ainda no século 19 na cidade mineira de Cambuí, ele soube da fama da escola de comércio, mas como não tinha dinheiro, fez o trajeto até São Paulo a pé.

Na foto: João Teotônio Moreira Salles

Na capital paulista, dormia à noite na loja em que trabalhava durante o dia. Ao se formar em uma das primeiras turmas, em 1908, voltou para Minas Gerais e lá fundou uma espécie de correspondente bancário já que na época os bancos não possuíam agências espalhadas por todo o nosso território. Assim, nasceu o embrião para a criação da União de Bancos Brasileiros, ou Unibanco, uma das maiores instituições financeiras do Brasil, adquirida anos depois pelo Itaú. 

GALERIA
VEJA FOTOS INTERNAS DO EDIFÍCIO DO LARGO SÃO FRANCISCO NA ÉPOCA DE SUA INAUGURAÇÃO

CRESCIMENTO E DIAS ATUAIS

Com o crescimento dos cursos, a FECAP adquiriu na década de 1960 um terreno na Liberdade – região que recebeu esse nome por ter abrigado um grande quilombo na época do Brasil escravagista – bairro marginalizado à época. O novo campus foi inaugurado em 1972 e é sede para todas as atividades da instituição desde então. 

Na foto o então novo edifício na Liberdade em fotografia dos anos 1980 (clique para ampliar)

Atualmente, a FECAP oferece Educação de qualidade em diversos níveis: o Colégio FECAP, com seu Ensino Médio regular, técnico e bilíngue; os cursos de graduação (Administração, Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Ciências Contábeis, Contabilidade para Graduados, Ciências Econômicas, Publicidade e Propaganda, Relações Internacionais, Relações Públicas e Secretariado Executivo), 29 cursos de pós-graduação, com destaque para formar profissionais especialistas nas áreas que são o DNA da instituição; e cursos de Mestrado em Administração e Ciências Contábeis, já tendo formado mais de 1 mil mestres.

A FECAP também investe em pesquisas e no desenvolvimento de indicadores econômicos, e cursos livres e in company (voltados a empresas) buscando sempre colaborar com o desenvolvimento profissional dos estudantes. 

Entrada da FECAP na Avenida Liberdade (clique para ampliar)

Por ser uma fundação sem fins lucrativos, a FECAP reverte toda a sua receita na manutenção de uma educação de qualidade. O trabalho sério atrai figuras dedicadas a manter o legado “Alvarista”, apelido dado aos alunos e funcionários da FECAP: a presidente do Magazine Luiza, Luiza Helena Trajano, e o ex-ministro Antônio Delfim Netto fazem parte do Conselho de Administração da FECAP, responsáveis por pensar, junto ao corpo docente, em medidas e planos de ação que perpetuem a história de 120 anos. 

MISSÃO DE EDUCAR 

Atualmente, todos os professores da FECAP são mestres e doutores, e grande parte dos alunos são bolsistas de baixa renda. Como fundação sem fins lucrativos, a instituição investe sua receita formando mais estudantes para mudar de vida por meio da Educação. 

“A FECAP é quase um estilo de vida. É difícil entrar no campus e não se apaixonar pelo lugar e pelas pessoas. Com muita garra, uma marca da nossa comunidade, e apoiadas por um corpo docente de excelência, recursos de ponta e um ambiente acolhedor, várias gerações de ‘Alvaristas’ têm mudado a própria vida e a das suas famílias para melhor e impactado positivamente a sociedade”, diz o reitor, Edison Simoni, um ex-aluno FECAP. 

Escadaria da FECAP no Largo São Francisco, com destaque para a escultura do Conde Álvares Penteado (Foto: Almeida Rocha)

O vice-reitor, Taiguara Langrafe, que também é ex-aluno, acrescenta que o sucesso da FECAP é uma junção de tecnologia a educadores movidos pela paixão em ensinar, oferecendo assim um ensino de ponta. 

“A FECAP sempre esteve à frente de seu tempo. Integrou e integra pessoas de diferentes origens e pensamentos, com valores institucionais claros e unidos para o que importa: desenvolver os alvaristas, impactando positivamente a sociedade. Unimos a tradição e o moderno, provendo recursos tecnológicos de ponta à comunidade em um ambiente de alto desenvolvimento pessoal. Temos uma linda história de transformação de vidas para melhor. Que venham os próximos 120 anos!”.


Curiosidade:
Anúncio das máquinas de escrever Remington, de 1916, onde era frisado que a marca era recomendada pela FECAP
Compartilhe este texto em suas redes sociais:
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn
Siga nossas redes sociais:
pesquise em nosso site:
Cadastre-se para receber nossa newsletter semanal e fique sabendo de nossas publicações, passeios, eventos etc:
ouça a nossa playlist:

4 respostas

  1. O texto diz que o prédio foi inaugurado em 12 dezembro de 1908. Mais adiante, consta que um estudante, João Teotônio M. Salles, formou-se um uma das primeiras turmas nesse mesmo ano: 1908. O curso durava poucos dias ou já funcionava com o prédio inacabado?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.