A cidade de São Paulo mudou bastante nestes 467 anos de história, que foram recém-completados no dia 25 de janeiro. No início do século 20, entre 1900 e 1950, a capital paulista ainda estava se transformando na metrópole que é hoje. As festas, os cafés e os bares, por exemplo, se concentravam principalmente na antiga Ladeira de São João, que se transformou na atual Avenida São João.

Rua de S.João e o extinto “Casino Paulista” (clique na foto para ampliar)

Isso significa que, antes de chegar na Vila Mariana, na Oscar Freire ou até mesmo na histórica Rua Augusta, a vida noturna de São Paulo passou por diferentes momentos. No período de maior crescimento urbano da cidade, que aconteceu nos primeiros 50 anos do século passado, a forma de se divertir na capital paulista era totalmente voltada para os cafés. Eles contavam com shows de músicos e bandas icônicas da época.

A popularização do jazz e a chegada da cultura “lowrider”, por exemplo, ditaram o ritmo da cidade até o final dos anos 1950. Os restaurantes, sorveterias e bares eram locais perfeitos para ouvir um rock clássico, o próprio jazz ou outros estilos dançantes com os amigos. Alguns restaurantes mais atuais, como é o caso do Café Society de São Paulo, podem servir de exemplo para quem tem a curiosidade de conhecer um pouco mais sobre o visual daquela época.

Alguns dos lugares mais tradicionais de São Paulo foram inaugurados nestes mesmos anos e ficaram para sempre marcados na história da cidade. Esse é o caso do Theatro Municipal, que foi projetado por Ramos de Azevedo e inaugurado no ano de 1911. Na época, o local recebia espetáculos teatrais e musicais, que eram totalmente voltados para a alta sociedade paulistana. Em funcionamento até hoje, e com projetos inovadores voltados para o território digital, o teatro é uma relíquia que conta um pouco dessa época.

A Ladeira de São João

Entre os vários locais que poderíamos relembrar, essa década de ouro possui uma região que merece maior atenção: a Ladeira de São João, que hoje é a bastante movimentada Avenida São João, que faz o famoso cruzamento com a Avenida Ipiranga. Por lá, foram inaugurados espaços como o tradicional Cassino Paulista, que ficou marcado na história de São Paulo como um dos lugares mais importantes da cidade no início do século 20. O local funcionava como uma espécie de café e casa de eventos, chamando a atenção de todas as pessoas que frequentavam o bairro.

clique na foto para ampliar

Neste período, os cassinos no Brasil eram sinônimo de glamour, fama e ostentação, como explica bem a reportagem do Correio Braziliense. Esses lugares contavam com todos os jogos de apostas mais conhecidos, como o pôquer, a roleta, as máquinas caça-níqueis e o blackjack. Esse último, por exemplo, fosse jogado na versão clássica ou então na europeia, duas dentre as variantes dessa tradicional modalidade, sempre foi considerado um dos jogos de apostas mais antigos e icônicos, um verdadeiro clássico atemporal do gênero, como comenta o site de online cassino da Betway.

Entretanto, assim como acontecia no próprio Cassino Paulista, essas casas não eram focadas apenas nos jogos de apostas. A ideia era se inspirar nos luxosos cassinos da Europa para oferecer um lugar de bom gosto para as pessoas assistirem a um concerto de música ou apenas tomar um café. Era a influência cultural ainda da Belle Époque, que pode ser melhor entendida no artigo do site Viva Decora. A cultura europeia, como sabemos, sempre teve muita influência nas cidades brasileiras.

Além do Cassino Paulista, a Ladeira de São João também era a casa de vários outros pontos de encontros importantes. Um deles era o Café Brandão, que foi inaugurado em 1896 e está para sempre marcado na história como o primeiro café da cidade. Infelizmente, por conta das várias mudanças que aconteceram em São Paulo, esse e muitos outros estabelecimentos foram demolidos e ficaram gravados apenas na memória das pessoas que os frequentavam. 

Outras regiões

Entretanto, assim como acontece atualmente, a Ladeira de São João não era o único lugar onde era possível encontrar os amigos no início do século 20. Alguns outros bairros, desde o Paraíso até a Bela Vista, também chamavam a atenção da sociedade. Inclusive, alguns dos restaurantes e cafés localizados nessas regiões conseguiram sobreviver por um bom tempo no mercado. Um exemplo disso é a cantina italiana Capuano, que foi inaugurada em 1907 e só encerrou suas atividades 111 anos depois. Como mostrou o site Guia da Semana na época, o fechamento do restaurante levou à comoção muitos frequentadores antigos. Afinal, era o fim da longa história de um lugar importante para a cidade. 

Essa é um pouco da história de São Paulo, que precisaria de um texto ainda maior para ser contada por inteiro. A vida noturna da cidade só evoluiu desde os anos 1950, mas isso não significa que antigamente era escassa ou carente de sucesso. Lugares como o Cassino Paulista vão ficar eternamente na história da vida noturna e das festas da maior metrópole do Brasil.

Sobre o autor